Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio e Diretor de Comunicação e Informática do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já mais de 100 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento, Cinesofia e Teoria Geek. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de março de 2023

Cine Dica: Streaming: 'Monstro'

Sinopse: Acompanhamos a jornada de um jovem negro de 17 anos tentando provar sua inocência diante de um julgamento por homicídio doloso. 

Os verdadeiros fatos de uma determinada situação nós nunca teremos uma exata certeza sobre o que realmente aconteceu, já que nunca estivemos lá para testemunharmos ao olho nu. Por conta disso, o relato de determinado indivíduo pode ser, tanto verdadeiro, como também falso, ou simplesmente são relatos de acordo com a sua visão pessoal com relação ao mundo. "Monstro" (2021) não somente fala sobre um determinado crime, como também com relação a perspectiva das pessoas com relação a realidade em sua volta.

Dirigido por Anthony Mandler, o filme conta a história de um rapaz de 17 anos, Steve (Kelvin Harrison Jr.), um estudante e aspirante a cineasta do Harlem, em Nova York. Preso em uma casa de detenção juvenil, ele está sendo acusado de homicídio por um crime que afirma não ter cometido. Steve precisa lutar para provar que é inocente diante de um sistema judiciário racista.

Além de explorar o preconceito que o rapaz sofre perante a justiça unicamente por ele ser negro, o filme explora as visões do protagonista com relação ao mundo em que vive. Aspirante a futuro cineasta, Steve cria pequenos filmes de acordo com a sua visão das coisas e das pessoas em sua volta, como se as adversidades vindas do mundo real não pudessem lhe tocar, já que ele estava somente ali para observar. Por conta disso, sua aproximação, mesmo que de forma indireta, com relação as pessoas que ele não deveria conversar desencadeia uma realidade da qual ele não poderia imaginar.

Tecnicamente o filme é ótimo na sua transição entre o passado e o presente. Em narração off, conhecemos a história de Steve no antes e no depois, onde diversas passagens transitam entre a calmaria para momentos de tensão na prisão onde ele se encontra. Vale destacar os vídeos dos quais Steven cria através do seu celular, cuja as imagens sintetizam uma realidade totalmente filtrada e da qual se aproxima ainda mais com relação ao que ele realmente enxerga.

Como um bom filme de tribunal, várias versões são colocadas na mesa sobre o tal crime que Steve teria participado ou não. Curiosamente, os realizadores somente colocam na tela os verdadeiros fatos do ocorrido na reta final, sendo que até lá criamos um filme mental, onde imaginamos como foi realmente a participação de Steve no caso. Vale destacar que o filme presta uma bela homenagem ao clássico japonês "Rashomon" (1950), do mestre Akira Kurosawa, já que ambos os filmes falam sobre crimes cometidos e que cada um conta sua versão sobre os fatos.

Logicamente, o filme chega justamente em um momento em que o preconceito racial transbordou nos últimos tempos, principalmente em decorrência desses desgovernos da extrema direita. Porém, Anthony Mandler não se limita em somente ao nos apresentar uma história para se debater, mas também tendo ela sido moldada com os melhores ingredientes de um cinema autoral e o filme é exatamente isso ao nos ser apresentados. Com uma ótima participação de Jeffrey Wright como pai de Steve, "Monstro" é sobre a visão autoral de cada ser humano perante as adversidades do mundo que nos atingem a cada momento.  

Onde Assistir: Netflix. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: