Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

Cine Dica: Streaming: 'Val'

Sinopse: Val é um documentário sobre o grande astro norte-americano Val Kilmer. O filme se aprofunda na carreira e vida pessoal do ator, apresentando ao público um lado pouco visto da estrela.

Cinema é arte enquanto Hollywood é uma indústria e cujo o intuito é somente arrecadar milhões em bilheteria com as suas superproduções. Não que os grandes estúdios de lá não tenham criado grandes obras primas, pois basta estudar sobre história de cinema que irá conhecer, por exemplo, a "Nova Hollywood' e que para muitos é apontado como o melhor período do cinema norte americano. Hoje em dia, infelizmente, esse lado perfeccionista e autoral de diretores e interpretes anda se evaporando, sendo que é raro um profissional dessa área obter carta branca para adquirir qualquer projeto e fazer dele o que bem entender.

Por conta disso, ano após ano, sempre surgem cineastas ou interpretes que se tornam grandes promessas para a sétima arte, mas que acabam sendo mastigados e até em alguns casos cuspidos para a vala do esquecimento. Dentre os inúmeros casos está Val Kilmer, ator de grande talento, mas que viu os seus sonhos serem esmagados, seja pela indústria ou pelos próprios percalços que a vida nos dá. "Val" (2021) é um documentário revelador, onde mostra o lado humano de um grande astro e cujo o maior sonho era alcançar a liberdade para interpretar os mais diversos personagens do seu jeito.

Dirigido por Leo Scott e Ting Poo, o documentário é narrado pelo filho de Val Kilmer, enquanto esse último se revela o que ele é atualmente. Vítima de um câncer na garganta, o ator vive se recuperando aos poucos, usando um aparelho para poder falar enquanto viaja pelo país para divulgar os seus trabalhos do passado. Sem efeitos visuais, ou explosões, apenas um retrato de um homem comum, porém, de enorme talento que ainda quer nos brindar.

Antes de mais nada é preciso tirar o chapéu pelo farto material de vídeos caseiros que Val Kilmer havia guardado, pois as imagens revelam os primórdios de sua vida, de tempos que brincava de filmar diversas histórias ao lado do seu irmão que, infelizmente, acabou falecendo logo cedo. Embora sendo filho de pais bem sucedidos, Kilmer sempre procurou a sua independência, ao menos no ramo do cinema, mas para isso mal sabia o grande trabalho que teria ao longo desse percurso. Curiosamente, é impressionante ver ao lado do jovem Val Kilmer astros que mal sabiam que um dia ganhariam o estrelato, como no caso de Sean Penn e Kevin Bacon.

Começando como herói coadjuvante em filmes como "Willow - Na Terra da Magia" (1988) e Top Gun (1986) o ator obteria o papel que o consagraria em "The Doors" (1991), onde interpreta o vocalista Jim Morrison, dando um verdadeiro show de interpretação e encarnando o cantor com perfeição. Parecia que a partir desse papel o astro obteria qualquer papel quisesse, mas não escapando de certas armadilhas. Segundo o próprio ator, interpretar o Batman é realizar um sonho que tinha desde criança, mas mal sabendo que esse sonho viria a se tornar em um enorme pesadelo.

Em "Batman - Eternamente" (1995) o ator conheceu de perto o que é a verdadeira face da Hollywood, que ao menos naquele tempo enxergava os filmes baseados em HQ como um mero entretenimento para obter lucro, vender camisetas, refrigerantes e brinquedos. Por conta disso, os dotes de interpretação do astro ficaram de lado, se tornando um mero boneco emborrachado e se tornando uma marionete que somente se movia de um lado para o outro de acordo com as ordens do diretor. Embora tenha feito certo sucesso de bilheteria, não é à toa que Val Kilmer veio a desistir de uma continuação e embarcando em um filme que o desafiava que era "O Santo" (1997).

"Fogo Contra Fogo" (1995) e "A Sombra e a Escuridão" (1997) deram certo alivio para o ator, mas não escapando da bomba que foi "A Ilha do Dr. Moreau" (1996), filme que somente aceitou para obter a chance de estrelar ao lado de Marlon Branco, mas sendo que o último mal aparecia nos sets filmagens. Neste enredo, o documentário revela os altos e baixos da carreira do ator, do qual o mesmo não se intimida de se revelar como ele está atualmente diante das câmeras e revelando um pouco do seu dia a dia ao lado dos filhos. Ao mesmo tempo é emocionante quando, por exemplo, vemos o ator passar mal em uma sessão de autógrafos, mas logo voltando ao local e agradecendo aos fãs pelo apoio.

Aos poucos, vemos em cena a sua carreira declinar, começando atuar em filmes cada vez mais duvidosos e somente para sustenta-lo e que pudesse dessa forma alcançar os seus objetivos. Curiosamente, o maior sonho do ator era levar para as telas uma atuação da qual ele dá vida ao comediante Mark Twain (1835-1910), que há quem diga foi um dos primeiros comediantes de stand-up de que se tem notícia. A ideia não foi levada para o cinema, mas ao menos o astro conseguiu levar o seu trabalho para uma peça de teatro e conseguindo realizar, enfim, o seu sonho.

Logo após isso vemos Val Kilmer enfrentar de forma inesperada o câncer que atingiu a sua garganta e tendo que usar desde então um aparelho que pudesse falar. Isso não o impediu de continuar como um artista, sendo que as suas pinturas que são jogadas na tela se tornam um aperitivo a mais para esse documentário tão revelador. Ao final, vemos um interprete alcançando a sua redenção, seja na vida pessoal, ou profissional e jamais desistindo mesmo quando o mundo deu todos os motivos para desistir ao longo do percurso.

O documentário em si é um verdadeiro tapa na cara contra a Hollywood, da qual a mesma vive das aparências, fabricam os seus grandes astros dos quais os mesmos são jogados a inesgotáveis franquias, mas sem se preocupar com o que pode vir em seguida. Val Kilmer é um de muitos exemplos de talentos que foram mastigados por essa indústria, mas que se viu ele próprio recomeçar do zero e sem ajuda dos grandes estúdios que sempre prometeram sonhos infinitos. O sonho acaba, mas a vida continua e não importa para qual tipo de pessoa.

"Val" é um documentário corajoso que fala não somente de um astro, mas sim de um homem que sobreviveu contra as engrenagens do mundo do entretenimento hollywoodiano.    

Onde Assistir: Amazon Prime.

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: