Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio e Diretor de Comunicação e Informática do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 99 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Cine Dica: Streaming: 'Um Clássico Filme de Terror'

Sinopse: Nesse filme de suspense brutal, estranhos viajando pelo sul da Itália ficam presos na floresta e precisam lutar desesperadamente para saírem de lá vivos. 

O cinema pós-terror tem surpreendido a crítica especializada e o público nos últimos anos. São filmes que vão além do óbvio, onde se explora um terror psicológico, uma crítica aos diversos sistemas de hoje, desde ao papel da política e da religião dentro da sociedade. Porém, não significa que o horror tradicional esteja morto.

Não que ele não possa mais nos trazer algo de original, porém, o gênero de horror não se prende exclusivamente aos estúdios nortes americanos. Por lá, os engravatados estão mais preocupados em lançar um grande sucesso dentro do gênero, criar franquias e expandir para mais filmes interligados e formar assim o seu universo cinematográfico de monstros. A fórmula até que funciona, mas as vezes se esquecem que o mundo real pode ser ainda mais assustador do que se imagina.

Em uma sociedade de hoje cada vez mais presa em redes sociais, onde o jovem tenta de tudo para obter sucesso com vídeos caseiros sem conteúdo, se tem um prato cheio para se tirar dali o quanto a humanidade está cada vez mais em estado de alienação e desumanidade. Neste último caso, parece que vivemos dentro de uma sociedade que se alimenta das tragédias, onde as mídias jornalísticas, sejam elas imparciais ou sensacionalistas, cada vez mais alimentam o desejo do ser humano em ver algo catastrófico. "Um Clássico Filme de Terror" (2021) não é somente uma homenagem a diversos filmes clássicos, como também uma crítica acida sobre a vida alienada que cada vez mais estamos nos enterrando.

Dirigido por Roberto De Feo e Paolo Strippoli, "Um Clássico Filme de Terror" é um suspense violento sobre um grupo de pessoas viajando em um trailer pelo sul da Itália. Durante o caminho, eles acabam sofrendo um acidente quando um animal aparece, de repente, no meio da estrada. Tentando continuar sua viagem, o grupo percebe que o caminho por onde vieram desapareceu misteriosamente e resta apenas uma densa floresta em sua volta. Sem saber que um grande perigo os espera no meio da mata fechada, eles caminham pelo lugar desconhecido procurando ajuda. Dentro desse lugar sombrio, a noite será longa.

Em um primeiro momento, parece que o filme é construído através de várias referências de outros filmes clássicos, que vai desde a trilogia "Uma Noite Alucinante" (1981), "O Massacre da Serra Elétrica" (1974) e até mesmo obras recentes como o cultuado "Midsommar" (2019). Porém, estamos falando de um filme de horror italiano, onde as regras do cinema tradicional norte americano não são seguidas e por conta disso espere pelo imprevisível. O que eu posso dizer é que, para o cinéfilo atento principalmente, os realizadores se inspiraram no horror do cinema italiano de antigamente, principalmente aqueles construídos pelos cineastas como Dario Argento e Mario Bava e por conta disso aguarde por horror gore, com muito sangue e membros cortados mesmo que discretamente.

Porém, quando achamos que o filme se encaminha para óbvio, eis que o terceiro ato nos surpreende de uma forma impressionante, onde horror dá espaço a uma crítica acida contra uma sociedade movida por crenças, mas que não esconde o seu lado mais hipócrita. Em tempos em que a religião cada vez mais se adentra aos poderes políticos o filme acaba por assim dizer bem corajoso neste ponto. Ainda assim, o filme me vem com outra peça fundamental em sua mensagem principal.

Em 1954, por exemplo, o mestre Alfred Hitchcock previu que o voyeurismo seria cada vez um vício maior dentro da sociedade através do seu clássico "Janela Indiscreta". Porém, a sociedade perderia a sua timidez, não se importariam mais que fossem observados e adquirindo o desejo quase obsessivo de se exibir em vídeos pelas redes sociais para obter sucesso a qualquer preço. Wes Craven previu isso em sua franquia "Pânico" iniciada em 1996 e sintetizando os tempos atuais em seu quarto e último filme antes de morrer.

Pode-se dizer que "Um Clássico Filme de Terror" possui um final dividido entre três atos, sendo que o segundo é disparado o melhor, por ser simbólico, assustador e não menos que realista, pois a sociedade de hoje primeiro registra para depois pensar em salvar vidas. Pelo visto, os monstros clássicos realmente deixaram de ser assustadores, pois o ser humano comum de hoje ganha com facilidade.

"Um Clássico Filme de Terror" não é somente uma homenagem ao gênero, como também um aviso de que nós mesmos estamos alimentando aqueles que obtém o lucro através do horror e alienando cada vez mais uma sociedade em transe total.

Onde Assistir: Netflix

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: