Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 25 de agosto de 2020

Cinema especial: Série “The Head”

 Terça feira, 21 de Agosto de 2020


Disponível pela plataforma Globoplay, a série The Head, mistério na Antártida, possui em sua origem, referências de Agatha Christie em “Assassinato no Expresso Oriente” e a Casa de Papel. Porém, para os fãs de filme de terror, podemos observar o filme o “Enigma de outro mundo”, onde o mesmo, aparece sendo exibido, dentro da sala da Polaris (VI), para os personagens da série, criando uma atmosfera de eu já vi isso antes? Mas, não se engane.


Álvaro Morte, o Professor de La casa de papel, é um dos atores do elenco da série e que possui em seu currículo, diversas outras produções exibidas no Brasil. Além de Álvaro, a série conta com um elenco que vale a pena conferir pela atuação.

The Head foi criada pelos irmãos espanhóis Álex e David Pastor, contribuindo com filmes de invasões Zumbis, vírus e demais anomalias ficcionais que conhecemos, porém, não vamos com muita sede ao pote. A série inclui no seu tempero, seis primeiras temporadas e uma boa dose de disparates à moda das séries de outro espanhol, como o Álex Pina de La Casa de Papel e Vis à Vis. O ritmo é acelerado, não existe monotonia e a cada capítulo, nos perguntamos, o que é isso?

Quando o inverno se intensifica no Polo Sul, uma pequena equipe, conhecida como Winterers, permanece na estação de pesquisa Polaris (VI), para continuar um estudo inovador e crucial na luta contra as mudanças climáticas. Com a chegada da primavera, o comandante Johan Berg (Alexander Willaume) retorna à estação apenas para descobrir que todos os pesquisadores estão mortos. Um assassino está à solta, e Annika (Laura Bach), esposa de Johan, está desaparecida.

A série é considerada um thriller psicológico e possui em seus seis capítulos, críticas relevantes ao tratamento dado às mulheres, por homens imponentes em cargos de gestão e comando de pesquisas, que os incluem como deuses e não seres humanos, acima de tudo e de todos.

A crítica ácida, refere-se ao grande domínio de um projeto muito bem arquitetado e posto em prática na estação Polaris (VI), que consegue nos surpreender no final desta primeira temporada.

Grandes questões ficam evidentes na série e a crucial é, que em termos de preservação de meio ambiente, nos formatos sociais atuais, todos nós somos culpados, até que se prove o contrário.


Referências:

BOSCOV I. Em “The Head”, Agatha Christie e “Casa de Papel” se encontram na Antártida. Disponível em: https://veja.abril.com.br/blog/noblat/2020-a-eleicao-dos-laranjais/

Postado por: Ana Lúcia Schmidt Castelo

Centro/RJ, Brasil.

Mestranda em Administração, graduada em Pedagogia, Arquivologia e concluindo a graduação em Letras. Apaixonada por cinema com preferência por filmes de terror e colaboradora do Blog: “Cinema cem anos de luz, Arte e reflexão” do amigo Marcelo Castro Moraes.

Nenhum comentário: