Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Cine Dica: Durante a Quarentena Assista: 'Viveiro'

Sinopse: Na esperança de encontrar o lugar perfeito para morar, um jovem casal acompanha um estranho corretor de imóveis até um bairro misterioso repleto de casas idênticas.  


A década de cinquenta da realidade norte americana pode ser interpretada em diversas formas. Da minha parte, eu acho que era um período em que o governo de lá tentava passar ao máximo a propaganda de sociedade perfeita e da qual jamais se desequilibraria. Porém, foi a partir do momento em que o presidente Kennedy teve a cabeça estourada em um atentado que foi então que os americanos perderam a sua inocência. 

Olhando para trás, se percebe que foi uma espécie de sistema controlador, do qual o governo fazia de tudo para passar ao mundo a propaganda sobre a terra das oportunidades e de esperanças a serem sempre conquistadas. O cinema, por sua vez, sempre usou essa realidade maniqueísta como uma espécie de metáfora para realização de determinados filmes. Pegamos, por exemplo, o clássico "Eles Vivem" (1988), onde a sociedade convivia e sendo controlada por seres alienígenas que se interagem com elas. 

Por conta disso, se percebe que a nossa realidade, mesmo ela aparentando certa normalidade, possui um material farto para se criar histórias fantásticas e das quais podem nos fazer pensar e gerar inúmeros debates. Porém, é difícil para a maioria dos cinéfilos de hoje, acostumados sempre com o cinema convencional, embarcarem em uma trama que fará os mesmos se perguntarem sobre o que está acontecendo na história. "Viveiro" vem para dividir o público, sendo que muitos irão questionar o que assistiram, mas essa é a principal intenção do projeto como um todo.  

Dirigido por Lorcan Finnegan, o filme conta a história de um casal que procuram uma casa ideal para que possam morar juntos. Porém, após conhecerem um subúrbio onde todas as casas são idênticas, eles se veem presos em um complicado labirinto infinito. Quando eles percebem que o local não é nada do que imaginavam, pode ser tarde demais. 

O prólogo já coloca os nossos pensamentos em movimento, já que testemunhamos um pássaro expulsando um outro recém-nascido para assim apossar do seu ninho. Essa abertura seria uma espécie de representação com relação da questão em obter a sobrevivência, não importando as consequências, mesmo quando as próprias revelam o pior de cada pessoa. Ao testemunharem uma situação incomum, o casal passa a testarem as suas forças físicas e mentais para sobreviverem nessa realidade que não dá nenhuma explicação a eles.  

O cenário, por sua vez, é justamente a realidade que o sistema norte americano queria vender para a sociedade norte americana da década de cinquenta, mas sendo ela sem vida, mesmo colorida, e nos passando uma sensação de realidade plástica propositalmente. Aqui, o sistema controlador não seria necessariamente vindo do governo, mas sim de outro poder já inserido algum tempo e passando a nos controlar gradualmente. Isso acaba abrindo um leque para outras diversas interpretações e cada um levantará a sua própria teoria.  

Já o casal em si nada mais é do que uma representação de um casal contemporâneo, sendo que se amam, mas que não desejam serem controlados, seja pelo sistema ou por eles próprios. Na medida em que o tempo avança, ambos enfrentam os seus lados mais obscuros, assim como os típicos obstáculos que um casal enfrentaria em uma situação de normalidade. Porém, a inserção de um terceiro personagem seria uma espécie de metáfora de um casamento desgastado com a vinda de um filho, mas aqui visto de uma forma ainda mais absurda, para não dizer assustadora.  

Tanto Jesse Eisenberg, como  Imogen Poots, vista pela primeira vez em "V de Vingança" (2006), estão ótimos em seus respectivos papéis, sendo que essa última passa para nós através do seu olhar toda a loucura que a sua personagem começa experimentar. Curiosamente, a interpretação de ambos sintetiza o mesmo estado mental que o nosso, já queremos saber o que está realmente acontecendo, mas o próprio roteiro não nos dá as informações suficientes para obtermos.  Porém, é um filme a ser degustado, revisitado, pois cada momento é algo para ser dissecado aos poucos.  

Resumidamente, eu interpreto como um filme que retrata um sistema controlador querendo nos controlar e fazer de nós como mercadoria para que, posteriormente, seja descartada. O final não dará satisfação para aqueles que buscam alguma solução para obter uma compreensão, mas sim um modo de adquirir um bom tempo de questionamentos, reflexão e de debates acalorados. "Viveiro" te convida para assistir uma trama incomum, porém, uma metáfora sobre controle e alienação que enfrentamos do nosso próprio mundo real. 

Onde Assistir: Google Play Filmes. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

3 comentários:

Xracer disse...

Uau, interessantissimo filme ! Genero de ficcao fantastica e ficcao cientifica com drama.

Estou a anos tentando achar um filme que assisti emprestado em VHS na decada de 90, que muito me tocou e procurei vastamente na internet e mesmo no ImDB e nunca encontrei, alguem aqui nesse site poderia me ajudar ou sabe aonde posso perguntar ?

O filme tinha um titulo semelhante a "O centro do coracao" e era sobre um garoto ingles que cresce num Orfanato, antes da II Guerra, depois que comeca a guerra ele vai pro Comando de Bombardeiros, aonde participa dos terriveis bombardeios de cidades alemas. Mas numa dessas missoes (parece que em Dresden) seu aviao eh abatido e ele salta de paraquedas na cidade em chamas, aonde ele ainda salva uma crianca desgarrada de ser morta e fica questionando o que na realidade seu pais esta fazendo com o outro. Tudo isso e mais uma linda estoria de amor por uma garota que ele tambem havia conhecido no Orfanato. Alguem sabe o nome desse filme no original ?

Marcelo Castro Moraes disse...

Boa noite Xracer. Olha no momento não faço ideia de qual filme se trata mas você pode conseguir informações no grupo do facebook chamado Fora do Catalogo.

Xracer disse...

Obrigado pela dica, Marcelo, vou procurar sim ! Valeu !