Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 25 de junho de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: ‘Relatos no Front’ - Fragmentos de Uma Tragédia Brasileira

Sinopse: Enquanto o Rio de Janeiro vive um de seus momentos mais difíceis em relação a segurança pública, aqueles que convivem diariamente com a violência e o medo da morte fazem de tudo para que consigam sobreviver mais um dia. 

Abertura da obra já nos mexe, pois ela se coloca  contextualizando a criminalização histórica do povo negro que, mesmo após o fim da escravatura, permaneceu nas margens da sociedade branca e que até hoje sofre com um preconceito, seja pelo próprio estado, ou vindo das classes sociais que se acham os donos do mundo.  “Relatos do Front” nos apresenta o dia a dia das favelas, onde todos os lados perdem nessa realidade nua e crua.   
O documentário é certeiro ao trazer as duas faces da mesma moeda: o policial que mata e morre, que é pobre e negro da mesma periferia e que mata o próprio povo sob o comando de um estado que ganha votos com a guerra sem sentido. Pelo outro lado, o quase sempre negro, da favela, seja ele um traficante que porta o fuzil, ou um simples morador, estudante ou uma criança inocente, que morrem neste mesmo conflito, sem nenhuma boa expectativa para o futuro. E o que o estado ganharia alimentando isso? O estado atualmente lucra com um sistema que se encontra falido.  
O documentário coloca na mesa sobre dados, que trazem em estatísticas o atual quadro da violência no estado do Rio de Janeiro, para destrinchar a situação e compreender sobre os que vivem nesta realidade e trazendo uma visão dos dois lados desse conflito infinito. Isso é mostrado de uma forma mais do que explicita com gravações verdadeiras, a maior parte delas durante os conflitos nas favelas, além das manchetes da imprensa e criando um mosaico de informações a todo o momento visto na tela.  
Vale destacar que o documentário deixa mais do que claro que faz uma dura crítica contra o próprio estado e de como são feitas as políticas de combate a violência, por vezes, ineficazes e desastrosas.  E essa crítica não se limita a realidade atual, pois ela busca em uma linha do tempo sobre a formação da polícia, passando pelos tempos de chumbo, da redemocratização e o estado atual. Com uma trilha sonora dramática, ela insere um ar de dramaticidade para obra e fazendo que os momentos documentados se tornem ainda muito mais dramáticos.   
Renato Martins acerta nos depoimentos de suas escolhas, de como a edição das cenas vieram e iniciando com a visão de cada lado separadamente. Seguindo uma leitura especializada e posteriormente com pessoas que vivem no cotidiano de forma ativista em misto com aqueles que também vivem o mesmo cotidiano, mas que sofreram consequências dessa violência. Como um retrato real do Rio de Janeiro, e um reflexo de um país como um todo, “Relatos do Front” deve ser assistido e pensando, principalmente para a parcela de um povo que apoia essa política de confronto ou aqueles que acreditam que uma arma em casa vai resolver todos os problemas de um país moribundo. 


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: