Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 28 de junho de 2011

Cine Dica: Em DVD e Blu-Ray: BRUNA SURFISTINHA

O QUE NÃO CONSEGUIU NA GLOBO, DEBORAH SECCO CONSEGUIU NAS TELAS 
Sinopse: Raquel (Deborah Secco) era uma jovem da classe média paulistana, que estudava num colégio tradicional da cidade. Um dia ela tomou uma decisão surpreendente: virar garota de programa. Com o codinome de Bruna Surfistinha, Raquel viveu diversas experiências "profissionais" e ganhou destaque nacional ao contar suas aventuras sexuais e afetivas num blog, que depois acabou virando um livro e tornou-se um best seller.
Ouvia muito dizer que, para fazer Bruna Surfistinha no cinema, tinha que ser mesmo Deborah Secco, devido aos seus papeis nas novelas da Globo onde na maioria das vezes explora mais sua sensualidade do que seu talento. É bem da verdade que em parte esse fato é genuíno, entretanto é um tanto que desmerecer o talento ainda escondido dessa jovem atriz na telinha, o que falta talvez para a emissora carioca seja esquecer um pouco da audiência. Enquanto isso não acontece, Deborah finalmente consegue um papel no cinema que não só explora toda a sua sensualidade, mas também um talento até então inédito, de retratar uma pessoa que seguiu o caminho mais difícil para se virar na vida. Deborah vai gradualmente crescendo na historia e ao mesmo tempo se definhando aos poucos que sua personagem vai para o lado mais obscuro da profissão, sobrevivendo e chegando a sua redenção. Para um diretor estreante como Marcus Baldini, vindo do mundo da publicidade, até que ele se saiu muito bem em explorar todas essas facetas que a personagem passou durante esse período de sua vida e ao mesmo tempo usa sua experiência que teve no canal da MTV para criar uma montagem ligeira e eficiente em que retrata por exemplo, os inúmeros programas que a personagem fez durante um dia. Uma maneira divertida e interessante para contornar algo mais chocante e desnecessário.
Com grande sucesso de publico e critica, Bruna Surfistinha foi uma prova de que certos temas polêmicos que para muitos acham impossíveis de serem filmados, podem sim ser realizados, desde que feitos com eficiência e saber jogar na elaboração, para então ser acessível para um publico interessado em assistir uma boa historia, não importa qual o tema.

Curiosidade: Raquel Pacheco, a verdadeira Bruna Surfistinha, aparece em uma ponta como a garçonete na cena em que Bruna e Hudson jantam fora.

Me Sigam no Facebook e Twitter:


http://pt-br.facebook.com/people/Marcelo-Constantine/100001635958492
http://twitter.com/#!/cinemaanosluz

Um comentário:

ANTONIO NAHUD disse...

E a Deborah Secco tem talento, Marcelo? rs...