Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Cine Dica: Em DVD: VOCÊ NÃO CONHECE JACK

AL PACINO DA A VOLTA POR CIMA NA TELINHA EM PRODUÇÃO POLEMICA
Sinopse: história de Jack Kevorkian, médico que ficou conhecido como Dr. Morte por defender a eutanásia e ajudar mais de 130 pacientes a cometer suicídio.
É cada vez mais comum atores e atrizes se renderem aos canais norte americanos, seja para series de TV, seja para filmes, para daí então voltar a ganhar certo prestigio que acabou se perdendo ao longo dos anos no cinema e Al Pacino é um desses exemplos. Visto nos seus últimos filmes numa forma de interpretação que mais parecia estar no piloto automático, Pacino por fim, se rende a um filme criado especialmente para TV, mais precisamente feito pela HBO, canal conhecido em todo mundo em criar filmes e series com teor mais adulto e totalmente livre de regras que normalmente outros canais sofrem. Nesta produção, Pacino interpreta o polemico Jack Kevorkian mais conhecido mundialmente como Doutor morte e que defendeu com unhas e dentes o direito de os pacientes conseguirem  encerrar suas próprias vidas quando se acreditava que não havia mais condições nenhuma de se continuar vivendo. O filme levanta é claro inúmeras questões polemicas que são difíceis de serem discutidas. Isso tudo depende da opinião de cada um e na forma que a pessoa foi criada, seja tendo uma crença ou totalmente ateia, é um tipo de filme que provoca o nascimento de inúmeros debates e que acaba não chegando a um lugar algum.
Polemicas a parte, Pacino desaparece em seu personagem e o que vemos é um ser velho, mas ao mesmo tempo firme e forte em suas idéias, mesmo onde a sua causa se torne perdida. Não é a toa que acabou ganhando inúmeros prêmios, incluindo de melhor ator dramático de um filme para TV no Globo de Ouro e se fosse uma produção para o cinema, com certeza Colin Firth (O Discurso do Rei) teria tido um pareo duro no ultimo Oscar. Destaco tambem os otimos desempenhos de Susan Sarandon e John Goodman. Esse ultimo, ótimo como sempre, mas que havia sumido ao longo dos anos na telona. Pelo visto, cada vez mais e mais os canais norte americanos são os salvadores da pátria.

Me Sigam no Facebook e Twitter:


http://pt-br.facebook.com/people/Marcelo-Constantine/100001635958492
http://twitter.com/#!/cinemaanosluz

Um comentário:

ANTONIO NAHUD disse...

Amigo, tô louco pra ver esse filme.

O Falcão Maltês