Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Cine Especial: BATMAN NO CINEMA: Parte 3


Com o filme Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge nos cinemas, vamos recapitular todas as aventuras do homem morcego que já teve no cinema, confiram:
  
Batman: Eternamente

Sinopse: Batman deve enfrentar dois novos vilões conhecidos como Duas-Caras e Charada, que não pretendem apenas cumprir seus planos malignos em Gotham City, mas também descobrir a identidade secreta do herói e matá-lo. Só que desta vez Batman tem a ajuda de seu fiel companheiro Robin, que busca vingança após a morte de sua família por Duas-Caras.

Terceira aventura do homem morcego, mas sem o comando de Tim Burton e sem a atuação de Michael Keaton. Val Kilmer acabou embarcando no papel, que se a principio parecia uma escolha correta, vendo atualmente a atuação dele, da para notar que ele estava muito pouco a vontade na produção e é por isso mesmo que surgiram inúmeros problemas durante as filmagens com ele e o diretor Joel Schumacher. Chris O Donnell estava construindo uma carreira elogiada, atuando em ótimos filmes como Tomates verdes Fritos e Perfume de Mulher, mas foi só embarcar nesta produção, que sua carreira foi ladeira abaixo, mal sabendo que o pior estava por vir. Como sempre, os vilões roubavam a cena, e Jim Carrey (no auge da carreira), dava tudo de si, tanto nas piadas como nos trejeitos, que por vezes lembravam os seus melhores momentos em Daby Loyde e o Maskara. Porém, Tommy Lee Jones representa a maior decepção da produção, pois  Duas Caras é um personagem trágico, mas em vez disso, o personagem mais se parece como uma espécie de sucessor do Coringa, onde fica rindo toda hora e Jones transbordando uma canastrisse total.
Isso tudo não impediu do filme fizesse um certo sucesso na época, mas mal sabiam que o pior estaria por vir.          
  
Batman e Robin

Sinopse: Um novo vilão toma o museu de Gotham City. Era Mr. Freeze com sua máquina congelante! Dr. Freeze era um médico, prêmio Nobel de biologia molecular, que enquanto tentava salvar sua esposa doente caiu numa solução criogênica e por isso seu corpo sofreu estranhas mutações. Além de Freeze, Batman tem que manter Robin longe da venenosa Hera que tenta seduzí-lo. Para sorte da dupla, os defensores de Gotham City, a bela BatGirl aparece para dar uma mãozinha.

O maior tiro no pé de toda a historia da Warner. Se em 1995,  Batman Eternamente mostrava que a cine série do homem morcego iniciada em 1989, já mostrava um certo desgaste, aqui Joel Schumacher exagera em tudo e transforma o filme numa verdadeira escola de samba. Cenários exageradamente enormes sem propósito, super colorido exageradamente, enquadramento torto, figurinos extravagantes e piadinhas sem graça (o bat-cartão foi de doer) isso sem contar o elenco onde cada um pagou seu mico, ao começar por Arnold Schwarzenegger que se na época já dava sinais que estava saindo dos trilhos depois de Queima de Arquivo, aqui ele prova que estava sem noção em escolher um personagem que se alternava no humor e no drama e que não tinha nada haver com o ator, principalmente em suas limitações em atuar em momentos dramáticos envergonhosos.
Após esse filme, Chris O'Donnell e Alicia Silverstone tiveram suas carreiras arruinadas e quase não se vê eles mais em nenhuma produção importante. O mesmo não pode se disser de Uma Thurman e George Clooney, a primeira conseguiu umas pazes com o sucesso em Kill Bill,Clooney possui uma carreira estabilizada e garantindo sempre um sucesso ou dois ao ano e com um Oscar na prateleira por Siriana.
Assistindo hoje, percebo que o que interesse do estúdio era somente vender brinquedos, games ou qualquer tipo de tralha que uma super produção pode produzir, mas se esqueceram que o que faz funcionar e fazer o filme um grande sucesso  é  acima de tudo uma boa historia, o que na realidade o filme não tem. Visto hoje é um mero passatempo para ser visto como uma pequena brincadeira ou simplesmente uma homenagem plastica do seriado do personagem dos anos sessenta.



Me  Sigam no Facebook e Twitter

2 comentários:

Reviewit disse...

realmente o Batman & Robin foi, apesar do Cast fantástico, o batman mais estranho de todos.

Abraço

vazinho - http://reviewit1blog.blogspot.pt/

Felipe Rocha disse...

Tendo visto ontem o épico Cavaleiro das trevas, não consigo imaginar um Batman tão tosco como esses dois... CLaro q Batman Eternamente ainda teve o seu charme em alguns aspectos.. mas o q foi Batman & Robin?? Fraquíssimo! Mas enfim, Batman é Batman neh!!

Apareça!!

Abss