Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Cine Dica: Próximo Cine Debate: ‘Admirável Mundo Novo’ (1980)

 

‘Admirável Mundo Novo’ (1980)  

Sinopse: Um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade organizada por castas. A sociedade desse "futuro" criado por Huxley não possui a ética religiosa e valores morais que regem a sociedade atual. 

Os conflitos mundiais do início do século 20 fizeram com que muitos escritores criassem histórias fictícias, mas que serviam de metáfora sobre os dilemas e os problemas que a sociedade da época passava. Se por um lado "A Revolução dos Bichos" e "1984", ambos de George Orwell, cuja as histórias eram sobre o temor do comunismo, por outro lado, "Fahrenheit 451", de Ray Bradbury, sintetizava o temor de um poder autoritário de queimar o conhecimento e de uma sociedade cada vez mais presa em uma espécie de reality show ao vivo. "Admirável Mundo Novo", de Aldous Huxley, foi o mais antigo, escrito em 1932 e servindo até mesmo de modelo para as ficções que vieram posteriormente.  
Na história, conhecemos uma sociedade em que não se nasce mais da forma tradicional, mas sim são criadas biologicamente para serem perfeitas, onde a felicidade é a lei e cuja as regras sociais são essenciais. Não há religião, mas também não há uma liberdade de ir e vir, a não ser que deseje viver fora dessa realidade, onde então o indivíduo decide viver em uma região onde uma outra sociedade vive uma espécie de realidade primitiva, mas mantendo os sentimentos e os velhos costumes de um tempo já esquecido. O livro com certeza renderia uma ótima adaptação para o cinema, assim como os demais livros citados tiveram ao longo das décadas.  
Porém, "Admirável Mundo Novo" parece que não teve a mesma sorte. Ao meu entender, os realizadores de Hollywood talvez acreditassem que era inviável uma produção como essa para a tela grande e que não atenderia as exigências, tanto dos fãs do livro, como também do marinheiro de primeira viagem que nunca leu o conto. É aí que chegamos ao telefilme "Admirável Mundo Novo" (1980), produção que vista hoje se percebe o seu lado precário de produção, mas que, curiosamente, parece bastante fiel a sua fonte original.  
Dirigido por Burt Brinckerhoff, com roteiro de Robert E. Thompson e Doran William Cannon, a produção foi lançada na tv norte americana em 7 de março de 1980. No Brasil, segundo as minhas fontes, a produção foi dividida em quatro capítulos e sendo exibida pela Bandeirantes e Rede Globo. O telefilme ganhou certo culto na época de sua exibição, mas logo foi esquecido.  
Um dos fatores para que a maioria do público de hoje não se lembre desse telefilme é devido a sua produção, que revista hoje é nitidamente precária, cujo o orçamento em reconstituir a realidade mostrada no livro fica somente na superfície e cuja atuação da maioria do elenco se percebe que não se esforçaram para se destacarem em cena. Porém, é curioso observar que é a produção mais fiel na questão do enredo, possuindo várias passagens quase idênticas daquelas escritas Aldous Huxley. Em determinados momentos, por exemplo, se nota que não importa o quanto ficaria ridícula as cenas, desde que fossem fieis a sua fonte.  
Embora com as suas limitações, a produção, assim como a sua fonte original, previu algumas situações em que a sociedade de hoje conviveria, como no caso de a obrigação de sempre demonstrarmos felicidade pelas redes sociais e contradizendo com que acontece com a nossa realidade do dia a dia. Há também a questão da divisão, onde uma parcela de afortunados colhe o que é de bom nesta realidade cheia de recursos, enquanto uma outra parcela vive nos subterrâneos e fazendo o trabalho duro. São temas vistos em clássicos do cinema como "Metrópoles" (1927) e da literatura como "Viagem no Tempo" de HG Wells e que continuam atuais até mesmo nos dias de hoje.  
Do elenco se destaca o ator Kristoffer Tabori, que interpreta o "selvagem" e principal protagonista da trama. Nascido de uma união proibida, "o selvagem" possui sentimentos e motivações de uma época esquecida, o que faz dele não se enquadrar tanto na realidade primitiva como também de uma realidade cheia de regras e cada vez menos humana. O destino do protagonista é um só e que fará com que ele se torne uma espécie de ideia e que será impregnada ao longo do tempo por aquela sociedade.  
Embora seja uma produção bastante falha, o telefilme "Admirável Mundo Novo" de 1980 ainda é hoje a obra mais fiel do clássico Aldous Huxley e que fará com que muitos cinéfilos e leitores tenham interesse de ler o clássico literário. 

Onde Assistir: Youtube. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Um comentário:

Emília disse...

O filme envelheceu e não está com boa qualidade, o que vale mesmo é o conteúdo que continua bem atual. Abraços.