Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de março de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: Vox Lux - O Preço da Fama - Perdas e Redenções

Sinopse: Celeste (Natalie Portman) é uma menina que sobrevive após uma grande tragédia, o que a torna conhecida nacionalmente. Após um tempo, ela se lança como cantora e alcança o estrelato. 

Dizem que aquilo que não nos mata nos torna mais fortes. Em tempos sombrios, onde a intolerância assusta com os seus atos inconsequentes, resta apenas a gente manter as forças para tentar combater os ventos da mudança. “Vox Lux - O Preço da Fama” retrata os atos e consequências vindos da violência e de como elas podem moldar as pessoas durante a sua cruzada pela vida.
Dirigido pelo jovem cineasta Brady Corbet, do filme “A Infância de Um Líder” (2015), o filme acompanha sobre a ascensão de uma jovem estrela da música pop (Natalie Portman), desde o início da carreira impulsionado por uma tragédia ao auge dos problemas com a imprensa, o alcoolismo e o temperamento explosivo. Dividido em três atos, a trama não somente conta um pouco sobre a sua trajetória, como também os possíveis atos e consequências do seu sucesso dentro universo pop da música. Mas até onde ela é responsável pelas situações que ocorrem no mundo em sua volta?  
O filme já começa de uma forma impactante e será mais principalmente para os brasileiros que andam sofrendo com a violência recente. Num tom quase documental, a câmera de Brady Corbet desfila nos primeiros cenários vistos na tela, para logo a seguir nos jogar numa situação inesperada e desesperadora. Se o primeiro ato é sobre a violência irracional, o segundo ato em diante fala sobre as suas consequências e como elas podem mudar os rumos de uma pessoa.
É nesse cenário em que vemos a protagonista colher os louros da vitória por ter sobrevivido em meio a uma situação traumática. O filme entra no terreno das celebridades instantâneas, sintetizando o auge, decadência e até que ponto uma pessoa pode aguentar perante o universo das fofocas e das mentiras. Curiosamente, o cineasta opta por fazer uma edição rápida, bem ao estilo vídeo clipe, em algumas passagens da história, mas que poderiam ter sido melhor exploradas.
Contudo, isso é um pouco compensado quando a protagonista ganha a pele e a voz de Natalie Portman. Já tendo provado há muito tempo que possui um grande talento, Portman dá o sangue para a sua personagem, em momentos dos quais ela parece que irá explodir perante as pessoas que ela ama, mesmo de forma involuntária. Logicamente, muitos irão comparar esse seu desempenho com o que foi visto no já clássico "Cisne Negro" (2009), mas são papeis bem diferentes e sendo que esse não possui tanta intensidade.
Mas talvez o maior problema do filme se concentre em seus minutos finais. No decorrer da história, há uma simetria entre a violência do mundo com a realidade da protagonista, mas isso não vai muito além, pois quando você deseja que isso seja melhor explorado o filme simplesmente acaba. Não que eu esteja desmerecendo o resultado final, mas ele poderia ter obtido um salto muito maior.  
"Vox Lux - O Preço da Fama" é sobre atos e consequências dentro da vida das pessoas e de como elas podem influenciar os rumos de suas próprias vidas. 


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: