Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de março de 2016

Cine Dica: Sala Multimídia da Cinemateca Capitólio recebe Virada Sustentável

VIRADA SUSTENTÁVEL NA CINEMATECA CAPITÓLIO

Com o objetivo de discutir as questões climáticas do planeta, e mobilizar a população, a Virada Sustentável traz um conjunto de conferências, shows e atividades descentralizadas a Porto Alegre. Na Sala Multimídia da Cinemateca Capitólio acontece entre os dias 1 e 3 de abril a exibição de cinco documentários contemporâneos que colocam em debate temas importantes sobre o clima universal. Entrada franca.
A Virada Sustentável em Porto Alegre tem parceria entre a Embaixada da França, a Aliança Francesa, a Prefeitura de Porto Alegre e o movimento Virada Sustentável. Porto Alegre foi escolhida pela Embaixada da França como a principal cidade referência no Brasil para sediar iniciativas ligadas a COP porque tornou-se internacionalmente conhecida por realizar edições do Fórum Social Mundial, no início do século XXI, além da capital do Rio Grande do Sul ser o segundo estado do País em superfície aquática, fenômeno representado principalmente pela grandiosidade da Lagoa dos Patos.
O projeto de restauração e de ocupação da Cinemateca Capitólio foi patrocinado pela Petrobras, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES e Ministério da Cultura. O projeto também contou com recursos da Prefeitura de Porto Alegre, proprietária do prédio, e realização da Fundação CinemaRS – FUNDACINE.

GRADE DE HORÁRIOS – SALA MULTIMÍDIA

01 de abril (sexta-feira)  
19h30 – Era uma vez uma floresta (78 minutos, doc)

02  de abril - (sábado)
17h – Planeta Gelado: Alpes (50 minutos, doc)
19h – Planeta Gelado: Andes (50 minutos - doc)

03 de abril (domingo)
17h – Planeta Gelado: Groenlândia (50 minutos doc)
19h – Planeta Gelado Himalaia (50 mn doc)

FILMES

Planeta Gelado: Alpes
Planète glace: Alpes (França 2014).
De Pierre-François Gaudry, Thierry BerrodVincent AmourouxYanick Rose. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
Situado próximo ao Monte Branco, as geleiras dos Alpes estão entre as mais sensíveis do planeta. Vamos testemunhar a agonia de suas primeiras vítimas, geleiras abaixo de 3500 metros. Os impactos econômicos e geológicos de seu desaparecimento serão enormes nos próximos anos.

Planeta Gelado: Andes
Planète glace: Andes (França 2014).
De Thierry Berrod. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
No imaginário comum, as áreas tropicais são sinônimos de águas azul-turquesa e praias de areia branca. Portanto, não há de fato geleiras nessas latitudes. Mas na cordilheira dos Andes, situado a mais de 5000 metros de altitude, elas são reverenciadas como deuses pelos povos locais há milhares de anos. Mas hoje em dia, deuses estão desaparecendo.

Planeta Gelado: Groelândia
Planète glace: Groenland (França 2014).
De Pierre-François GaudryThierry BerrodVincent AmourouxYanick Rose. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
A Groelândia, a "terra verde" dos vikings, tem um nome enganoso. Seja inverno ou verão, a maior parte da região que é quatro vezes maior que a França, é coberta com uma camada muito espessa de gelo. Mas o que devia ser gelo inerte, é na verdade gelo que se move.

Planeta Gelado: Himalaia
Planète glace: Himalaya (França 2014).
De Thierry BerrodVincent Amouroux. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
O Himalaia, para muitos, é a montanha lar dos picos mais altos do mundo, o que é sinônimo de neve eterna. Para cientistas que tentam desvendar os segredos de suas enormes geleiras, o Himalaia permanece sendo um mistério. Mas tudo está prestes a ser descoberto - e é urgente.

Era uma vez uma Floresta.
Il était une forêt (França 2013).

De Luc Jacquet. Documentário em cores/78’.
Era uma vez uma floresta, convida-nos a uma descoberta sem precedentes de florestas tropicais primárias. Pela primeira vez, uma floresta tropical vai nascer diante dos nossos olhos. Este filme sintetiza uma enorme quantidade de conhecimento adquirido ao longo dos séculos. Desde o primeiro plantio na floresta até o desenvolvimento das relações entre plantas e animais, não são menos do que sete séculos que decorreram diante de nossos olhos. Era uma vez uma floresta oferece uma viagem única pela floresta, uma viagem através da própria vida. Há anos, o vencedor de um Oscar, Luc Jacquet, vem filmando a natureza e o mundo animal para comover e surpreender os espectadores através de histórias únicas e emocionantes. Seu encontro com o botânico Francis Hallé deu à luz a este patrimônio cinematográfico sobre as florestas tropicais primárias.

Nenhum comentário: