Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Cine Especial: Retrospectiva 2015: As melhores HQ que eu li esse ano



Num ano que eu assisti e escrevi sobre inúmeros filmes, se tornou meio que impossível para falar um pouco de uma das minhas paixões que é HQ. Se eu não tive tempo de escrever a respeito  pelo menos tive bastante tempo para ler durante minhas viagens de trem para o trabalho. Abaixo, segue as melhores leituras de HQ que eu tive esse ano na minha opinião e que 2016 eu consiga mais tempo para escrever sobre essa arte, pois como eu já disse uma vez, ela é algo que caminha de mãos dadas com o cinema atualmente mais do que nunca.



1º O Monstro do Pântano

Tive o primeiro contato com a obra de Alan Moore em 2008 quando a editora Pixel lançou o primeiro volume em capa dura e com a promessa de publicar toda a saga. Infelizmente em épocas de vacas magras a editora acabou não cumprindo com o objetivo e fazendo os fãs verem navios por anos. Felizmente entrou em cena a Panini que, apesar de não ter a mesma qualidade que a Pixel estava prometendo, pelo menos brindou os leitores com a saga completa do personagem.
Embora seja uma trama que se passe nos anos 80, é impressionante como ela estava à frente do seu tempo. Alan Moore explorou ao máximo o personagem, ao colocá-lo em tramas que explorassem, não só gênero fantástico, como até mesmo histórias comuns, humanas e até mesmo tão  assustadoras quanto qualquer outra ficção que se preze. De brinde, Moore inseriu o seu personagem Constantine trama, mas mal sabendo que esse mago canalha iria tão longe.          



2° Os Invisíveis

Ainda em andamento por aqui (e com alguns atrasos) a obra Grant Morrison segue com um roteiro adulto, cuja leitura cria em nós uma experiência extra sensorial fora do comum. A trama se passa em diversas épocas, onde os personagens se veem em desafios dos quais desafiam as suas próprias mentes, para não dizer a nossa. Uma leitura obrigatória, mas que não pode começar a ler no meio do caminho, mas sim desde o princípio.          



3º Constantine: Infernal  

Constantine sempre será um dos meus personagens preferidos do selo adulto da Vertigo, mas é preciso reconhecer que suas tramas foram muito além do que deveriam. Nos EUA, o personagem protagonizou trezentas edições pelo selo, para daí então embarcar na própria DC e protagonizar  tramas dispensáveis. Felizmente, a Panini nesse momento republica a melhor fase do personagem, intitulada aqui como Infernal e roteirizada e desenhada pela premiada dupla GARTH ENNIS (PREACHER) e STEVE DILLON (PREACHER). Preciso dizer mais alguma coisa?  



4º Fabulas  
Embora seja uma das minhas leituras preferidas, Fabulas se estendeu mais do que deveria. Felizmente a equipe criativa de roteiristas se empenhou para que a segunda fase não caísse numa vala comum e surpreendeu pelo fato de explorar mais um pouco alguns dos personagens principais, como no caso de Rosa Vermelha que se tornou uma das grandes protagonistas das ultimas edições.  Por aqui falta somente um volume para ser publicado, mas só espero que o mundo não acabe antes disso.       



5º O Inescrito 

Infelizmente pouca coisa foi publicada do O Inescrito nesse ano por aqui, mas o que tiver para ser comprado dessa saga vale à pena.  Mike Carey e Peter Gross, dupla responsável por grandes sucessos dos quadrinhos, entre eles Lúcifer, cria uma espécie de saga literária, onde o personagem entra e sai em inúmeros contos de fadas conhecidos pelo público. Nas últimas edições o personagem deu de encontro com o universo das Fabulas e atualmente se encaminha para uma nova fase de sua jornada.     

 

6º  Demolidor
 

Das HQ atuais de super heróis O Demolidor é a única que vale a pena ser acompanhada. Digo isso porque ela é limpa, sem se preocupar com que acontece  com o resto do universo Marvel. Apenas acompanhamos o personagem defender o seu bairro, mas ao mesmo tempo trabalhando como advogado. Dessa forma simples, temos uma leitura prazerosa e isso graças ao roteirista Mark Waid e pelo desenhista Chris Samnee. Atualmente essa fase se encaminhou numa segunda etapa, onde vemos herói se mudando para Sam Francisco.  


7°Homem Formiga 
 

Graças ao lançamento do filme, eis que a Panini republica as primeiras aparições do personagem nos anos sessenta. Ler o Homem Formiga dessa época é algo curioso, pois estamos falando dos anos sessenta, época mais conservadora, onde o bem e o mal eram bem definidos. Porém, o personagem é interessante, onde não esconde o desejo de ajudar as pessoas, mas não esconde suas frustrações quando não consegue pegar determinados bandidos. Isso seria mais bem explorado nas décadas seguintes, onde o personagem é mais humano e cheio de falhas.


8º  Batman: Lenda do Cavaleiro das Trevas
 

Ótima iniciativa da Panini em republicar HQ clássicas (algumas ineditas) e comandadas por roteiristas e desenhistas que ajudaram a moldar o personagem a ser o que ele é agora. Alan Davis, Jim Aparo e agora Neal Adans. O que ficou ainda na promessa foram tramas comandadas pelo Marchall Rorgers que ainda é inédita para mim.  



9º Superman: O ultimo filho 


Eu já tinha lido essa trama pelo mix do personagem, mas reler agora em capa dura num único volume é uma experiência única. O cineasta Richard Donner (Superman: O filme) cria aqui o que poderia ter sido o seu Superman II nos cinemas e faz inúmera referencias deliciosas aos filmes clássicos do personagem estrelado por Cristofer reeves  



10° Batman: Silêncio

Depois de muito tempo esperar, finalmente pude ler a controversa saga roteirizada por  Jeph Loeb (Longo Dia das Bruxas) e desenhada por ninguém menos que Jin Lee. Com essa dupla inusitada, a trama se torna boa, mas aquém do esperado se for comparado ao já citado clássico comandado por Loeb. Porém, Lee me surpreendeu por ter criado belas imagens com o seu traço, mas sem abusar do seu lápis, coisa que ele fazia com muita frequência quando comandava os X-Men nos anos 90.      




  Me sigam no Facebook, twitter e Google+      

2 comentários:

LEO disse...

Lista de respeito essa, hein? (só as melhores do ano mesmo)!

De todas essas, a única q eu não li foi o "Inescrito" (comprei o Vol. 1, mas tive q interromper a série por questões orçamentárias). As demais eu já completei e/ou faltam pouco pra serem finalizadas no Brasil.

Uma pena q a Panini não conseguiu encerrar as "Fábulas" este ano (e falta só 1 ed. mesmo)... "Hellblazer Infernal" tbm tá chegando no fim (acaba no Vol. 7), e os "Invisíveis 6" tá atrasadíssimo!

Abs!

Marcelo Castro Moraes disse...

Bom dia Leo
Pois é, a Panini somente não tem 100% do trabalho perfeito devido esses atrasos, mas quem espera alcança