Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Cine Dica: CINEMA-ENSAIO DE JÚLIO BRESSANE EM CARTAZ NA SALA P. F. GASTAL


Entre os dias 22 e 27 de outubro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) exibe Rua Aperana 52 e O Batuque dos Astros, dois filmes-ensaio de Júlio Bressane que foram apresentados em importantes festivais europeus no último ano e permaneciam inéditos em Porto Alegre. 
 Produzido em parceria com o Canal Brasil, Rua Aperana 52 é uma paisagem musical fílmica sobre a esquina de uma rua no Rio de Janeiro que utiliza fotografias dos pais do cineasta (tiradas entre 1909 e 1955) e os seus próprios filmes (realizados entre 1957 e 2005), cobrindo um tempo de ficção de quase um século. Apesar da familiaridade com o material, Bressane defende a ideia de que sua obra pouco tem a ver com o autobiográfico, mas com construção de uma nova paisagem a partir de iconografias e iconologias já existentes, num jogo de xadrez de ficções que se intercalam a partir de fragmentos visuais e sonoros. A estréia mundial do filme ocorreu no prestigiado Festival de Roterdã, em 2012.
 O Batuque dos Astros tem produção de Zelito Viana e se desenvolve a partir de um passeio livre pela herança poética de Fernando Pessoa, com um registro documental da Lisboa contemporânea buscando possibilidades cinematográficas da obra do escritor português. A primeira exibição do filme aconteceu no Festival Internacional de Cinema de Roma, em 2012, na mostra CinemaXXI, programa dedicado às novas tendências do cinema mundial sem distinção de gênero e duração, com apresentação de obras que expressam a redefinição contínua do cinema dentro do continente visual contemporâneo.
 Segundo o crítico mexicano Maximiliano Cruz, um dos curadores do festival FICUNAM, onde a obra foi exibida neste ano, ao lado de filmes de Apichatpong Weerasethakul, Abbas Kiarostami e Lav Diaz, “Bressane hasteia com O Batuque dos Astros aquela alegação com a qual Jonas Mekas definiu para sempre o ofício: faço filmes, logo existo. A obra exibe uma taxidermia documental eminentemente autorreferencial, inclinando-se a partir de estruturas impressionistas de narração – incluindo a música retalhada como batuta dramática – e de uma concepção assíncrona do som como bastão atmosférico”. Após a sessão de O Batuque nos Astros no domingo, dia 27, às 17h, haverá um debate com os pesquisadores em cinema-ensaio Gabriela Almeida e Jamer Mello.  
 Um dos principais nomes do cinema de invenção brasileiro, Júlio Bressane mantém uma filmografia repleta de experiências radicais de linguagem desde a década de 1960, quando foi alçado ao patamar de ícone do Cinema Marginal. Realizados no formato digital, Rua Aperana 52 e O Batuque dos Astros foram criados num intervalo de tempo entre duas produções de orçamento maior, A Erva do Rato (2008) e Educação Sentimental (2013), período no qual Bressane encontrou dificuldades para aprovar projetos em editais voltados à produção cinematográfica, chamando atenção para a discussão cada vez mais atual sobre novos modos de sobrevivência da produção independente brasileira.

GRADE DE PROGRAMAÇÃO

22 a 27 de outubro de 2013

 Rua Aperana 52 (Brasil, 2012, 80 minutos)

 Uma paisagem musical de longa duração. Montagem de fotos feitas entre 1909 e 1955. E de filmes realizados entre 1957 e 2005, 14 filmes. Aderência ao solo, topologia de um pequeno rincão do Rio de Janeiro. Uma rua de nome evocador, Aperana (caminho falso, caminho provisório, em língua Tupi) revela em tempos heterogêneos um fundo de memória hereditária em montagem inédita. Exibição digital em alta definição.

 O Batuque dos Astros (Brasil, 2012, 74 minutos)

 Tudo começou em uma viagem a Lisboa, a cidade onde Fernando Pessoa, um dos grandes poetas da língua portuguesa, nasceu e viveu por quase toda sua vida. O Batuque dos Astros é um tributo a Pessoa e uma tentativa de descobrir, e talvez revelar, sua visão-sugestão de cinema; como essa estranha semente é transplantada por meio de um vigoroso e alusivo processo de edição. Exibição em DVD.

Mais informações e horários das sessões, vocês conferem na pagina da sala clicando aqui. 

Me Sigam no Facebook e Twitter:  

Nenhum comentário: