Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Cine Especial: Neorrealismo Italiano: Parte 7


Nos dias 24 e 25 de novembro, estarei participando do curso Neorrealismo Italiano, criado pelo Cena Um e ministrado  pelo jornalista Franthiesco Ballerini. Enquanto os dois dias não chegam, estarei por aqui escrevendo sobre os principais filmes, desse movimento que é considerado um dos mais importantes da historia do cinema mundial.
  
Paisà

Sinopse: Paisà traz seis episódios que mostram a luta das tropas aliadas para libertar diferentes regiões da Itália do domínio nazista, entre 1943 e 1944.

São histórias de amor, amizade e lealdade, que focalizam o relacionamento do povo italiano com os soldados estrangeiros. Paisà integra a célebre "trilogia da guerra" de Rossellini, iniciada por Roma, Cidade Aberta e finalizada com Alemanha, Ano Zero. Federico Fellini participa no argumento enquanto Giulietta Masina (Noites de Cabíria) faz sua estréia no cinema europeu.
Em 1943, Rossellini ingressou na Resistência, passando a viver na clandestinidade. Dois meses depois da liberação da Itália, em 1945, deu início às filmagens de Roma, Cidade Aberta, obra que, incompreendida e recusada pela crítica italiana, foi, um ano depois, aclamada pela crítica francesa e se tornou um dos marcos fundamentais do neo-realismo italiano. Contudo, Roma, Cidade Aberta e Paisà (1946) extrapolaram o contexto do cinema italiano, influenciando decisivamente o moderno cinema do pós-guerra.
As filmagens de "Paisà" seguiram o mesmo estilo do seu filme anterior, usando luz natural e atores amadores. Em "Paisà", cada episódio é separado por uma narração 'off screen', acompanhada do mapa da Itália, onde é mostrado o local onde o próximo episódio terá lugar.
Tal como "Roma, Cidade Aberta", este também foi nomeado para o Óscar de melhor argumento. Foi escrito por 5 argumentistas, entre os quais, o próprio realizador e os dois autores do argumento do filmes anterior: Federico Fellini e Sergio Amidei.


 Me Sigam no Facebook e Twitter:

2 comentários:

Unknown disse...

Ainda que não tenha comentado, tenho acompanhado com afinco essas suas postagens sobre o neorrealismo. Sou sincero, é um movimento que pouco conheço, mas anotei suas principais dicas, pois pretendo e quero me aprofundar nesse cinema especial e marcante.

Abração!

Marcelo Castro Moraes disse...

Vai fundo Celo, não irá se arrepender.