Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de março de 2012

Cine Especial: TRILOGIA ATIVIDADE PARANORMAL

COM A CHEGADA DO TERCEIRO FILME NAS LOCADORAS, RELEMBREMOS AQUI CADA CAPITULO!


Atividade Paranormal
Sinopse: Desde criança Katie (Katie Featherston) ouve ruídos estranhos, sussurros e sente sensações inesperadas. Já adulta, ela mora com seu namorado Micah (Micah Sloat), que, meio cético quanto aos depoimentos, resolve usar uma câmera para gravar tudo o que acontece enquanto eles dormem e vivem dentro da casa. O que era para ser apenas uma forma de esclarecer o mistério torna-se uma experiência intrigante e assustadora.
Não é segredo para ninguém, que filme de primeira pessoa (ou falso documentário), é mais nova forma de revitalização de alguns gêneros, seja terror ou até mesmo de super heróis (como Poder Sem Limites recentemente). Atividade Paranormal (lançado em 2009) não foge á essa regra, e a historia de uma casa mal assombrada, aterrorizando um casal (os estreantes Katie Featherston e Micah Sloat) é eficiente em passar realismo com boas doses de suspense, fazendo revigorar esse gênero. É curioso observar, que Atividade Paranormal seja um bom exemplo de como o publico tem interesse por algo mais simples, e não com um filme cheio de efeitos especiais. Com um orçamento minúsculo (11 mil dólares), a trama prende do começo ao fim, fazendo o publico querer saber o que está acontecendo dentro da casa.
Gradualmente os personagens começam a ser afetados pelos eventos, fazendo do filme um verdadeiro jogo psicológico e deixando mais perguntas do que respostas. É claro que na época, a Paramount, que se tornou proprietária do pequeno filme, tentou vender a todo custo que os eventos da trama eram realmente reais, mas o publico já estava acostumado com esse tipo de jogada, principalmente após o fenômeno A Bruxa de Blair de 99. Mesmo assim, isso não diminui o desempenho do filme, que se tornou um grande sucesso de bilheteria e, logicamente, o estúdio não perderia a chance de fazer uma seqüência, principalmente após terem criado um final diferente do original, para daí então, criar um verdadeiro gancho, para uma eventual seqüência (cortesia de Steven Spielberg)!

Curiosidade: Christopher Chacon, um dos maiores especialistas em fenômenos paranormais nos Estados Unidos, ajudou a promover Atividade Paranormal.



Atividade Paranormal 2
Sinopse: Kristi (Sprague Grayden), irmã de Katie (Katie Featherston), teve recentemente um filho com Daniel (Brian Boland), que já era pai de uma adolescente. Um dia, ao chegarem em casa, a encontram completamente revirada. Tentando evitar que a situação se repita, Daniel compra um sistema de segurança que instala câmeras em diversos cômodos e no lado de fora da casa. Ao mesmo tempo o casal e a adolescente têm por costume filmar tudo o que acontece ao seu redor. Até que um dia situações estranhas começam a acontecer, o que faz com que o trio acredite que a casa é mal assombrada.
Boa sacada do estúdio, que ao invés de fazer uma seqüência dos eventos do filme anterior, mostra eventos que levaram a provocar os acontecimentos daquele filme, em especial, mostrar os dias de Kristi (irmã de Katie) como mãe de seu primeiro filho. Entretanto, o filme falha em não ser mais agiu do que seu filme antecessor e os novos protagonistas não têm o mesmo carisma do que o casal do primeiro filme, embora eles façam pequenas participações no decorrer da trama.
Com mais dinheiro no bolso (2 milhões de dólares), o filme apresenta mais efeitos especiais, mas com a mesma simplicidade vista anteriormente, o que torna novamente a sessão bem verossímil. Da metade para o final do filme, alguns fatos não explicados do filme anterior, são respondidos aqui, embora novas perguntas sejam levantas e deixando mais duvidas no ar, principalmente nos segundos finais, onde Katie reaparece e deixa mais um belo gancho para a inevitavel  seqüência!


Atividade Paranormal 3
Sinopse: Dennis (Christopher Nicholas Smith) adora filmar e possuí até uma ilha edição em casa, montada na garagem. Casado com Julie (Lauren Bittner), com quem tem duas lindas filhas Katie (Chloe Csengery) e Kristi (Jessica Tyler Brown), ele resolve propor a ela que seja feita uma filmagem de uma transa dos dois. O que ele não contava é que um terremoto iria atrapalhar o momento de fetiche, mas também revelaria uma estranha imagem em sua gravação. Curioso com o fato, ele mostra para a esposa que não liga e também para um amigo (Dustin Ingram), que fica igualmente intrigado. Os dois acabam instalando mais de uma câmera na casa e o que eles passam a ver marcará para sempre o futuro de todos.
Tentando não perder o pique, o estúdio novamente surpreende o cinéfilo, que em vez de uma seqüência dos eventos anteriores, o filme surpreende ao ser um prequel, que mostra acontecimentos da infância das irmãs Katie e Kristi. Com isso, a trama retorna a 1988, com toda aquela estética daquele tempo, e sendo assim, os eventos são mostrados por antigas fitas de VHS, numa desculpa bem forçada, mas que acabamos aceitando. Diferente de certos passos em falso do segundo filme, a trama flui bem e os acontecimentos paranormais logo vão acontecendo de uma forma desenfreada, mas jamais perdendo a simplicidade vista desde o primeiro filme. Novamente, surgem respostas que responde certas perguntas que os filmes anteriores deixaram, mas novamente levanta mais e mais perguntas (com direito a momentos “Bebê de Rosemary”), e fica a duvida sobre á conduta das irmãs, que se elas eram apenas peões de um jogo maior, ou sempre tinham consciência do que estavam envolvidas. Resta saber o que o estúdio irá inventar de mirabolante numa eventual sequencia, para não desgastar essa franquia demoníaca!

Curiosidade: Atividade Paranormal 3 marca a estréia dos documentaristas Henry Joost e Ariel Schulman na direção de um longa ficção.


Me Sigam no Facebook e Twitter:

Um comentário:

artes MDF disse...

parabens pela estrutura e conteudo de seu blog, forte abraço Renatoartsanatoemmdf