Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Cine Dica: Streaming: 'Relatos do Mundo'

Sinopse: Cinco anos após o fim da Guerra Civil, o capitão Jefferson Kyle Kidd (Hanks) viaja pelos Estados Unidos de cidade em cidade como leitor de notícias, chamado de relator público. 

Paul Greengrass se tornou mundialmente conhecido pela sua câmera frenética e dição agiu graças a "trilogia do Bourne" (2002 - 2007). Porém, o mesmo possui gosto de fazer filmes que transitam entre a ficção com a linguagem documental como no caso, por exemplo, "Voo United 93" (2005) e "22 de julho" (2018). Em "Relatos do Mundo" (2020) ele entra em território até então desconhecido em sua filmografia, mas mantendo o equilíbrio na direção até o final dela.

A história se passa no ano de 1870, onde o Capitão Jefferson Kyle Kidd (Hanks), um viúvo que já lutou em duas guerras, viaja através do Texas oferecendo notícias do mundo para as pessoas, apesar dos jornais estarem se tornando cada vez mais acessíveis. Ele aceita uma proposta para levar uma menina de 10 anos, Johanna, interpretada pela ótima jovem atriz Helena Zengel, do filme "Transtorno Explosivo" (2020), até seus familiares. Criada pela tribo Kiowa, ela não conhece sua família e tem um comportamento hostil com as pessoas ao seu redor, mas acaba criando um vínculo com Kidd, forçando os dois a lidarem com as difíceis escolhas sobre o futuro.

De forma gradual, Paul Greengrass apresenta aquele mundo de forma gradual, de maneira suja, porém, realista e da maneira que o faroeste deveria ter sido sempre retratado nas telas do cinema. Jefferson é alguém com um passado nebuloso, mas que não perde a esperança em levar informação para as pessoas que não obtém notícias sobre o que acontece no mundo. Curiosamente, o protagonista não só enfrenta a ignorância daqueles que não aceitam o conhecimento, como também até mesmo notícias falsas que alimentam o povo e criando assim um curioso paralelo com relação as fakes news em nossos tempos contemporâneos.

Mas o filme engrena de vez a partir do momento em que Jefferson conhece Johanna e iniciando assim uma jornada cheia de aventuras, mas que também serve para que ambos se reinventem em suas vidas. A química entre ambos os interpretes se torna o coração pulsante do filme, principalmente em momentos em que a jovem atriz ofusca até mesmo o veterano ator em cena. Helena Zengel possui uma força descomunal só no seu olhar e fazendo a gente querer observá-la mais de perto em seus próximos trabalhos.

Tecnicamente o filme é um contraste se for comparado as outras anteriores do diretor, já que ação em si ela existe, porém contida, mas que cria em nós uma sensação de tensão, principalmente quando ambos os protagonistas lidam com o lado irracional do ser humano em um cenário hostil. Fora isso, o filme dá sempre uma pausa para se explorar o lado psicológico da dupla central, já que ambos carregam cicatrizes devido a um passado violento, mas encontrando em ambos um equilíbrio para manter o melhor deles ainda vivo. O final pode até ir contra as nossas expectativas, mas acaba servindo de redenção para os protagonistas que buscavam uma forma de se encontrarem em suas vidas.

"Relatos do Mundo" é um filme esperançoso e talvez um pouco necessário para os tempos atuais em que vivemos.

Onde Assistir: NETFLIX. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: