Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Cine Dica: CURTA NA CINEMATECA APRESENTA SESSÃO DISTRUKTUR



SENSAÇÃO COREANA ENTRA EM CARTAZ
SESSÕES DE TINTA BRUTA
Em Chamas 
 
No domingo, 16 de dezembro, a Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta A Sessão Distruktur, na última edição do projeto Curta na Cinemateca de 2018, com quatro filmes realizados por Melissa Dullius e Gustavo Jahn. Os diretores conversam com o público após a sessão. A entrada é franca.
O sul-coreano Em Chamas, de Lee Chang-dong, vencedor do prêmio da crítica do Festival de Cannes de 2018, entra em cartaz na quinta-feira, 13 de dezembro. Torre. Um Dia Brilhante, de Jagoda Szelc, e A Misteriosa Morte de Pérola, de Guto Parente e Ticiana Augusto Lima, ganham mais exibições durante a semana. O valor do ingresso é R$ 16,00, com meia entrada para estudantes e idosos.
O fenômeno gaúcho Tinta Bruta, de Márcio Reolon e Filipe Matzembacher, ganha sessões nos dias 13, 14, 18 e 19 de dezembro. O valor do ingresso é R$ 10,00, com meia entrada para estudantes e idosos.

CURTA NA CINEMATECA – SESSÃO DISTRUKTUR
O projeto Curta na Cinemateca é uma janela de exibição e debate para curtas-metragens brasileiros que muitas vezes acabam restritos ao circuito de festivais.

DISTRUKTUR
Movendo-se através das fronteiras entre arte e cinema, experimental e narrativo, fotografia e imagem em movimento, Melissa Dullius & Gustavo Jahn exploram diferentes níveis da experiência sensorial e intelectual. Desestabilizam as noções do real e do imaginário ao mesmo tempo em que fundem as camadas de passado, presente e futuro. Deslocamento e transposição acontecem aqui como estratégias para produzir transformações, e as narrativas instáveis a que dão vazão sugerem que há muitas outras maneiras de comunicação além das normalmente conhecidas. Combinando ficção com arquivo pessoal, reorganizam fantasticamente símbolos de diversas eras e lugares, denotando as veias profundas que unem os indivíduos e as culturas que os formam. Começaram a fazer filmes em Porto Alegre no ano 2000, primeiro em Super 8 e depois em 16mm. Depois de mudarem-se para Berlim em 2006 e juntaram-se ao grupo fundador do coletivo LaborBerlin e.V passaram a incorporar práticas experimentais de filmagem e revelação analógicas ao seu processo criativo. Além de conceber e produzir imagens em movimentos também trabalham como atores, músicos e técnicos de laboratório de cinema, realizando grande parte da pós-produção dos seus filmes. Seus trabalhos tomam forma como filmes, instalações, filmesperformance, fotografias, textos e materiais gráficos.

BLOCO 1

EL MERAYA
Egito/Brasil/Alemanha, 2018, cor/P&B, sonoro, 19min, 16mm transf. para vídeo
A máquina do tempo funciona sobrepondo enigmas, materializando o passado e projetando o futuro. Todas as imagens, anteriores e posteriores, encontram-se para sempre impressas, como os fotogramas em um rolo de filme.

NO CORAÇÃO DO VIAJANTE
Lituânia/Alemanha/Brasil, 2013, cor, sonoro, 20min, 16mm transf. para vídeo
Um viajante que leva consigo apenas o necessário adentra uma paisagem desconhecida onde é assombrado pela solidão e pela natureza selvagem. O seu duplo, o guardião do seu coração, acabará por destruí-lo ao fundir-se com ele. (Projeto comissionado pelo Contemporary Art Centre Vilnius, com o apoio da Nida Art Colony e do Goethe-Institut-Vilnius. Estreou em abril de 2013 na forma de instalação, uma projeção dupla, na exposição Ritual Room, no CAC Vilnius).

BLOCO 2

TRIANGULUM
Egito/Alemanha/Brasil, 2008, cor/P&B, sonoro, 22min,16mm transf. para vídeo
Um trio à beira do abismo encontra o destino, personificado em uma jovem mulher. São transportados para uma metrópole oriental onde o acaso irá conduzir cada um deles para uma jornada pessoal. Em movimento perpétuo, paranoicos, eles avançam em busca do equilíbrio.

ÉTERNAU
Brasil, 2006, cor, sonoro, 21min,16mm transf. para vídeo
Viajando por terra, mar e através do espaço-tempo em busca de riquezas e belezas, os extravagantes Arqueólogos Mercenários invadiram os limites do jardim ancestral, causando o descompasso do céu e do mar.

GRADE DE HORÁRIOS
13 a 19 de dezembro de 2018

13 de dezembro (quinta)
14h – Torre. Um Dia Brilhante
16h – Tinta Bruta
18h30 – Rafiki (Mostra de Cinemas Africanos)
20h30 – Em Chamas

14 de dezembro (sexta)
14h – Torre. Um Dia Brilhante
16h – Tinta Bruta
18h30 – No Ritmo do Antonov (Mostra de Cinemas Africanos)
20h30 – Em Chamas

15 de dezembro (sábado)
14h – A Misteriosa Morte de Pérola
15h45 – Programa de curtas: parceria FestiFrance (Mostra de Cinemas Africanos)
18h – Martha & Niki (Mostra de Cinemas Africanos)
20h30 – Em Chamas

16 de dezembro (domingo)
14h - Programa de curtas: filmes de Ekwa Msangi + Árvore sem frutos (Mostra de Cinemas Africanos)
16h - M de Menino (Mostra de Cinemas Africanos)
18h – Curta na Cinemateca: Sessão Distruktur
20h30 – Em Chamas

18 de dezembro (terça)
14h - Torre. Um Dia Brilhante
16h – Tinta Bruta
18h - 14ª Mostra Unisinos de Cinema (Documentários e Animações)
20h - 14ª Mostra Unisinos de Cinema (Ficção 1)

19 de dezembro (quarta)
14h – A Misteriosa Morte de Pérola
16h – Tinta Bruta
18h - 14ª Mostra Unisinos de Cinema (Ficção 2)
20h - 14ª Mostra Unisinos de Cinema (Ficção 3)

Nenhum comentário: