Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Cine Dica: Passion (2012)


Sinopse: Passion conta a história de uma cruel luta pelo poder entre duas executivas de alto nível. Christine é elegante, confiante e ambiciosa. Já Isabelle, a tímida mas brilhante novata protegida por Christine, começa a ter algumas de suas ideias roubadas... Christine entra num jogo perverso, humilhando e dominando Isabelle. Mas quando esta última tem um caso com um dos amantes de sua colega de trabalho, a guerra é declarada entre as duas.

Para o bem ou para o mal, Brian De Palma sempre ficou marcado pela sua forma de filmar, que por vezes lembra muito a forma que Alfred Hitchcock filmava. Porém, a sua visão pessoal de se fazer cinema foi cada vez mais se desvencilhando da visão do mestre do suspense e que conforme o tempo acabou ganhando identidade própria. Nos últimos anos, De Palma tentou se renovar em filmes como o perturbador Guerra sem Cortes, mas os fãs pelo visto clamaram para ele retornar em fazer o seu cinema de antigamente e a resposta é Passion.
Se formos observar, Passion na realidade chega um tanto que atrasado nos cinemas, pois mais parece um filme dos anos 90 e aqueles vistos no inicio do ano 2000. Se por um lado isso é falho, por outro da á sensação de nostalgia da forma que o cineasta gostava de fazer um filme noir no seu estilo como Vestida para Matar, Femme Fatale e Irmãs Diabólicas. Aqui há uma trama de desejo, ambição, traição e surpresas, que embora boas, por vezes soam meio que forçadas.
O elenco encabeçado por ótimas atrizes como Rachel McAdams, Noomi Rapace e Karoline Herfurth compensam nos momentos que a gente sente a sensação que faltou alguma coisa na trama, principalmente nos momentos de virada da historia. Pelo menos, De Palma continua um gênio na forma de se fazer suspense, onde se destaca a cena do balé, que se divide com uma cena importante de assassinato. É nesse momento  que assistimos os dois momentos chaves numa única tela dividida em duas, remetendo os bons e velhos tempos do cineasta.
Pode não ser um retorno definitivo ao cinema que o consagrou, mas é sempre bom ver Brian de Palma indo contra a maré e fazendo cinema do seu modo.  


Me sigam no facebook e witter.

2 comentários:

Bússola do Terror disse...

Caramba!
Mais um pouquinho e esse filme virava um slasher!

Marcelo Castro Moraes disse...

Pior né né Bussola