Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Cine Especial: Cinema 2013: Parte 3


Django Livre

Sinopse: Django é um escravo negro liberto que, sob a tutela de um caçador de recompensas alemão, torna-se um mercenário e parte para encontrar e libertar a sua esposa das garras de Monsieur Calvin Candie, charmoso e inescrupuloso proprietário da Candyland, casa no Mississippi onde escravas são negociadas como objetos sexuais e escravos são colocados pra lutar entre si.

O que eu acho: Sempre quando eu via um filme de Tarantino, me perguntava para mim mesmo: “Puxa, como ele seria ótimo dirigindo um faroeste”.
Meu pensamento se fortaleceu quando em 2004 assisti no cinema Kill Bill: Volume 2, onde na seqüência em que a Noiva se encontra com Bill, Tarantino usa a trilha sonora de Três Homens e Um Conflito e o close da câmera para a entrada da igreja, é uma referencia mais do que explicita da seqüência final de Rastros do Ódio de John Ford. As homenagens ao gênero não param por ai, sendo que em Bastardos Inglórios, mesmo que a trama se passe durante a Segunda Guerra Mundial, várias seqüências ali poderiam ser muito bem inseridas no gênero faroeste, desde a enigmática abertura, para a seqüência do tiroteio dentro do bar nazista.
Mas esse namoro finalmente acabou e Tarantino  entrega um faroeste, que nada mais é do que uma homenagem mais do que justa, de um dos períodos que o gênero fazia imenso sucesso, mas não nos EUA, mas sim em território Italiano: o gênero westerns Spaghetti, que consagrou gênios como Sergio Leone. Assim como no seu ultimo filme, Tarantino explora uma trama, que se passa não somente dentro do gênero, como também num período histórico dos EUA que foi a guerra civil e os primeiros anos da libertação dos escravos. Jamie Foxx e Christoph Waltz são uma dupla improvável, que devido as circunstancias das quais irão se meter, precisam se unir. Mas durante a jornada, ambos darão de cara com Leonardo Dicaprio, num papel vilanesco que muitos críticos apontam como nova indicação para o ator.
Não importa se o filme irá revitalizar mais o gênero, ou se irá ganhar prêmios, mas o que eu quero ver mesmo é um filme de Tarantino puro, com muito dialogo, movimento de câmera inovadora e um humor negro caprichado, no qual o cineasta sabe fazer como ninguém.
Estreia dia 18 de Janeiro de 2013.


Me  Sigam no Facebook e Twitter

Nenhum comentário: