Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Cine Dica: Em DVD e Blu-Ray: INTOCÁVEIS



Sinopse: Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos ele aprende a função, apesar das diversas gafes que comete. Philippe, por sua vez, se afeiçoa cada vez mais a Driss por ele não tratá-lo como um pobre coitado. Aos poucos a amizade entre eles se estabele, com cada um conhecendo melhor o mundo do outro.

Maior sucesso do cinema francês dos últimos tempos, não só por lá, como em todo o mundo. No Brasil, por exemplo, ficou várias semanas entre os dez mais vistos e mesmo agora chegando às locadoras, o filme ainda se encontra em alguns cinemas. Talvez o grande sucesso desse filme esteja na formula já batida de os opostos se atraírem, que aqui no caso é de dois homens completamente diferentes um do outro. De um lado temos Driss (Omar Sy, numa interpretação contagiante), rapaz negro, vindo de uma vida difícil, mas que não esconde a sua persistência para se dar bem na vida. Do outro, temos Philippe (François Cluzet), homem rico, que embora seja tetraplégico, possui um imenso desejo de aproveitar a vida.
Desse encontro de dois mundos diferentes um do outro, descobre-se que há algo em comum em alguns pontos, o que faz a simples relação de funcionário e patrão, se transformar numa bela amizade, onde os dois descobrem os prazeres da vida em diversas situações por onde passam. A primeira vista, parece um filme sobre superação, tanto física, como também a luta de ambos serem aceitos como iguais perante a sociedade, mas não espere que nestes pontos o filme beira ao dramalhão. Em vez disso, a trama transcorre suavemente entre o humor e o drama, fazendo dos gêneros tão distintos terem um belo casamento para se contar essa inusitada historia.         
Pode não ser o melhor filme francês de todos os tempos como muitos andam falando por ai, mas é um belo exemplo de como uma comedia redondinha como essa, pode se tirar uma bela reflexão e diversão ao mesmo tempo. 

Me  Sigam no Facebook e Twitter

Nenhum comentário: