Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Cine Especial: Cine Debate: 'Maudie - Sua Vida e Sua Arte'

Sinopse: Maudie conta a história luminosa do sucesso e reconhecimento de uma artista popular a despeito da dor e do preconceito. 

O clássico "Meu Pé Esquerdo" (1989) contava a emocionante história de  Christy Brown (Daniel Day‑Lewis), um jovem com paralisia cerebral, mas que usava os seus pés para pintar obras magníficas. Esse é um de vários exemplos de superação e do qual os realizadores da sétima arte sempre fizeram questão de levar as suas histórias para as telas do cinema. "Maudie - Sua Vida e Sua Arte" (2017) é mais um que se destaca entre vários exemplos de superação e fará muitos se apaixonarem pelo universo das artes.

Dirigido pela cineasta Aisling Walsh, do filme "O Inferno de São Judas" (2003), o filme conta a história de Maud Lewis, interpretada pela atriz Sally Hawkins do filme "A Forma da Água" (2018), que sofre com problemas de artrite reumatoide, que causa inflamações e deformações nas articulações do seu corpo. Apesar disso, possui incríveis habilidades artísticas. Passada para trás pelo irmão e incomodada com a vigilância exagerada da tia, ela busca independência trabalhando para um rabugento e pobre vendedor de peixes, interpretado pelo ator Ethan Hawke e visto recentemente no filme "A Verdade" (2019).

Só pela situação inicial em que a protagonista se encontra ela já obtém a nossa total atenção. Porém, na medida em que o primeiro ato avança, conhecemos a sua personalidade complexa e da qual não pode ser subestimada somente pelo seu problema físico. Além de ter um dom próprio pela arte, Madie enxerga o que os outros não veem e observa as qualidades do bronco Everett Lewis e do qual vê nele a chance obter mudanças em sua vida, mesmo quando elas parecem distante de acontecer.

Visualmente, o filme é um colírio para os nossos olhos, onde a fotografia destaca as estações de ano que vão ocorrendo durante a história e mostrando gradualmente as mudanças que o cenário principal vai sofrendo de forma positiva. Vale destacar como a cineasta dá o devido destaque as janelas do cenário principal, como se aquele fosse uma forma da protagonista enxergar a realidade de sua maneira e assim obter primorosas pinturas vindas de suas lembranças. É um mundo esquecido por Deus onde se passa a história, mas logo vai criando vida de uma forma jamais vista.

Mas se por um lado o visual nos surpreende, do outro, a atuação do casal principal da história é de uma força única. Sally Hawkins entrega o que é, talvez, a melhor atuação de sua carreira, onde ela se transforma fisicamente e transmitindo para nós toda a fraqueza de sua personagem, mas que encontra forças através de sua arte. Porém, é preciso reconhecer que Ethan Hawke não fica muito atrás e sua atuação de uma pessoa que guarda para si uma carga de sentimentos jamais liberados me fizeram me lembrar muito a atuação de Heath Ledger no filme "O Segredo de Brokeback Mountain" (2005).

Ambos juntos em cena nos fazem criar sempre uma expectativa com relação ao que virá em seguida, já que Everett é em alguns momentos uma entidade da natureza prestes a explodir e fazendo a gente temer pelo que irá acontecer a Maudie. Porém, gradualmente, nasce ali uma improvável história de amor e que fará muitos suspirarem em momentos singelos em que os protagonistas desfrutam em situações em que harmonia transborda fora da tela. O final irá arrancar as lagrimas de alguns, mas fará muitos quererem revisitar o filme sempre quando for possível.

'Maudie - Sua Vida e Sua Arte' é uma reconstituição sobre a vida de um grande talento e do qual foi longe mesmo quando o mundo lhe dizia ao contrário. 

NOTA: O Filme será o próximo tema da Live "Cine Debate". Mais informações você encontra pelo Psicóloga Maria Emília Bottini clicando aqui.

Onde Assistir: Netflix. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: