Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Cine Dica: Era uma Vez a RKO na Sala P. F. Gastal

ERA UMA VEZ A RKO

 
A partir de terça-feira, 27 de outubro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) apresenta a mostra Era uma Vez a RKO, com clássicos e raridades da lendária produtora e distribuidora de filmes norte-americana, incluindo obras de cineastas como Howard Hawks, Allan Dwan, John Ford, Jacques Tourneur, Nicholas Ray, Ida Lupino, Leo McCarey, George Cukor, Otto Preminger, Orson Welles e Fritz Lang, entre outros. Com exibição digital, a mostra tem apoio da distribuidora MPLC, da locadora E o Vídeo Levou e da Versátil Home Vídeo.
Um dos destaques da mostra é a Maratona Val Lewton, no dia 1º de novembro, o domingo entre o dia das bruxas e a data dos mortos, com cinco filmes do ciclo de horror produzido por Lewton para a RKO: Sangue de Pantera, O Homem-Leopardo e A Morta-Viva, de Jacques Tourneur, A Sétima Vítima, de Mark Robson, e A Maldição do Sangue da Pantera, de Gunther von Fritsch e Robert Wise.
ERA UMA VEZ A RKO
A RKO Radio Pictures surgiu no final da década de 1920 da fusão entre a Radio Corporation of America e a rede de salas de cinema Keith-Albee-Orpheum. Em 1931, dois grandes eventos marcaram a história da produtora: a compra da Pathé norte-americana e a contratação de David O. Selznick como responsável da produção do estúdio. O primeiro marco cinematográfico da produtora aconteceu no ano, com o faroeste Cimarron, de Wesley Ruggles, vencedor do Oscar de Melhor Filme. As ideias grandiosas de Selznick, no entanto, levam a RKO a enormes prejuízos em seu período inicial. É nesse momento que Merian C. Cooper toma conta da produção, privilegiando produções baratas e inventivas. O resultado é um dos marcos do cinema hollywoodiano: King Kong, de 1933, dirigido por Ernest B. Schoedsack e pelo próprio Cooper.  Já década de 1930, não havia em Hollywood uma produtora com uma variedade tão grande de gêneros quanto a RKO. Entre musicais, fantasias, faroestes, policiais, comédia, a produtora ficava marcada como um espaço em que os cineastas tinham mais liberdade para criar suas histórias.  Dos primeiros anos da produtora, a mostra apresenta enormes sucessos, como os musicais O Picolino, de Mark Sandrich, e Cativa e Cativante, de George Stevens, e fracassos maravilhosos, como Vivendo em Dúvida, de George Cukor, sexualmente transgressor para a época, e Levada da Breca, de Howard Hawks, um marco da “screwball comedy”, ambos com a explosiva dupla Katharine Hepburn e Cary Grant.  
No início dos anos 1940, a RKO deu ao mundo uma das maiores obras-primas do cinema: Cidadão Kane, estreia de Orson Welles – outro filme que deu prejuízo à produtora. O diretor teve o seu segundo filme, Soberba, mutilado pelos produtores e iniciou assim sua trajetória maldita dentro do cinema norte-americano. No mesmo ano de Kane, uma pequena joia de William Dieterle, inspirada em Fausto, que também não foi bem de público, O Homem que Vendeu a Alma. Precisando de dinheiro, a RKO dedicou-se nos anos seguintes aos filmes de baixíssimo orçamento. É dessa época o revolucionário ciclo de filmes de horror e suspense produzidos por Val Lewton, incluindo Sangue de Pantera, A Morta-Viva e O Homem-Leopardo, de Jacques Tourneur, A Sétima Vítima, de Mark Robson, e A Maldição do Sangue da Pantera, de Gunther von Fritsch e Robert Wise, que ganhava ali sua primeira chance na direção.    
No final dos anos 1940, quando a RKO investia bastante na distribuição – lançou clássicos de outros estúdios como A Felicidade Não se Compra e Os Melhores Anos de Nossas Vidas, um período turbulento inicia quando o milionário Howard Hughes compra parte majoritária da produtora. A caça às bruxas macarthista toma conta do país e da produtora. Um dos mais polêmicos filmes noir, Rancor foi o último realizado nos Estados Unidos por Edward Dmytryk até a década de 1960, incluído na lista negra pelo Comitê de Atividades Antiamericanas. Outros filmes produzidos pela RKO que dialogam diretamente com o período de paranoia anticomunista são a ficção-científica O Monstro do Ártico, de Christian Nyby e Howard Hawks, e o faroeste Homens Indomáveis, do lendário Allan Dwan. Nos anos 1950, a produção da RKO diminuía consideravelmente enquanto as dívidas aumentavam. Mesmo assim, grandes obras foram realizadas em diversos gêneros, como Caravana de Bravos, de John Ford, O Diabo Feito Mulher, de Fritz Lang, O Mundo Odeia-Me, de Ida Lupino e Estradas do Inferno, de Josef Von Sterneberg, lançado em 1957, o ano em que a RKO interrompeu a produção de filmes.  
 
FILMES

Cimarron, de Wesley Ruggles
(1931, 131 minutos)
Quarenta anos da história norte-americana, em um período compreendido entre 1889 e 1929, são vistos através dos olhos de Yancey Cravat, um editor de jornal e o homem da lei de Oklahoma. Ele deixa suas terras em Wichita, chegando em Osage com sua família, mas logo sente-se ocioso novamente, com a rotina, e decide ir para Cherokee Strip, deixando sua família para trás. Sua mulher, Sabra, precisa então aprender a viver por conta própria. Vencedor do Oscar de Melhor Filme, foi o primeiro do gênero faroeste a conseguir tal proeza (fato que só se repetiu mais duas vezes, com Dança com Lobos e Os Imperdoáveis, bem mais recentes). Faturou ainda as estatuetas de Melhor Direção de Arte e Melhor Roteiro Adaptado. Exibição em DVD.

King Kong, de Ernest B. Schoedsack e Merian C. Cooper
(1933, 100 minutos)
Um cinegrafista fracassado, em sua tentativa desesperada de fazer um best-seller, contrata uma atriz desempregada chamada Ann Darrow, e embarca em um navio fretado para a Ilha da Caveira. Lá, eles encontram uma tribo de nativos que veneram um gorila gigante, de nome Kong. Exibição em blu-ray.
O Picolino, de Mark Sandrich
(Top Hat, 1935, 100 minutos)
Em Londres, Jerry Travers (Fred Astaire), um dançarino americano, está ensaiando um número de sapateado em seu quarto de hotel, pois foi contratado por Horace Hardwick (Edward Everett Horton), um empresário, para fazer um show. Entretanto, ele acaba incomodando a bela Dale Tremont (Ginger Rogers), a vizinha do quarto embaixo, que aparece para reclamar. Exibição em DVD.
Vivendo em Dúvida, de George Cukor
(Sylvia Scarlett, 1935, 95 minutos)
Um pai é obrigado a fugir da França, após ter cometido um crime, e força sua filha (Hepburn) a disfarçar-se de rapaz para enganar as autoridades. Em Londres, cruzam com um malandro interpretado por Cary Grant. Scarlett envolve-se com Michael Fane, e vê-se obrigada a recuperar sua feminilidade para não perder Grant, que anda envolvido com uma jovem russa. Exibição em DVD.

Cativa e Cativante, de George Stevens
(A Damsel in Distress, 1937, 100 minutos)
Lady Alyce (Joan Fontaine) deve se casar em breve, e os funcionários do Tottney Castel fazem apostas sobre quem ela vai escolher. Ela vai a Londres para escolher seu pretendente e acaba conhecendo um dançarino americano (Fred Astaire) em férias. Exibição em DVD.

Levada da Breca, de Howard Hawks
(Bringing Up Baby, 1938, 100 minutos)
David Huxley (Cary Grant), um paleontólogo com casamento marcado, vai jogar golfe com o objetivo de agradar seu oponente e facilitar a doação de 1 milhão de dólares para o museu onde trabalha. Até que conhece Susan Vance (Katharine Hepburn), uma rica herdeira acostumada a ter tudo o que quer, mas completamente inconsequente. Exibição em blu-ray.

Sr. & Sra. Smith - Um Casal do Barulho, de Alfred Hitchcock
(Sr. & Sra. Smith, 1941, 95 minutos)
Casal descobre que não está legalmente casado. Ann pensa que David irá pedi-la em casamento novamente, mas, quando isso não acontece, ela o expulsa de casa. David diz querer se casar com Ann, entretanto, ela já não o quer. David começa a tentar reconquistá-la de qualquer forma. Exibição em DVD.

O Homem que Vendeu a Alma, de William Dieterle
(The Devil And Daniel Webster, 1941, 106 minutos)
Baseado no conto "Fausto" de Goethe, conta a história do pobre fazendeiro Jabez Stone (James Craig), que após diversos infortúnios vende a alma ao Diabo (Walter Huston) em troca de sete anos de boa sorte e dinheiro. Exibição em DVD com legendas em espanhol.

Soberba, de Orson Welles
(The Magnificent Ambersons, 1942, 80 minutos)
Indianápolis, final do século XIX. A família Amberson se revela relutante em acompanhar as transformações que a rodeiam. Exibição em blu-ray.

Os Sinos de Santa Maria, de Leo McCarey
(The Bells of St. Mary's, 1945, 126 minutos)
Bing Crosby recria o papel do Padre O'Malley, de O Bom Pastor, que é enviado para recuperar a falida escola paroquial. O bem-humorado padre logo se desentende com Irmã Benedict (Ingrid Bergman) sobre a educação das crianças, o que gera entre eles enormes e engraçadas discussões. Além disso há o ganancioso empresário Horace P. Bogardus (Henry Travers), que quer demolir o Santa Maria. Exibição em DVD.

Rancor, de Edward Dmytryk
(Crossfire, 1947, 85 minutos)
O detetive Finlay encontra evidências de que um ou mais soldados de um grupo de 4 amigos podem estar envolvidos no assassinato do judeu Joseph Samuels. Flashbacks revelam os acontecimentos da noite fatídica através de diferentes pontos de vista. O Sargento Keeley investiga por conta própria e tenta livrar o amigo Mitchell, que tem as evidências apontadas para si. Porém, ambos os detetives começam a perceber o verdadeiro e horroroso motivo para o crime. Exibição em DVD.

Caravana de Bravos, de John Ford
(Wagon Master, 1950, 86 minutos)
Um grupo de mórmons vai fundar uma nova colônia no Rio San Juan Rio e contrata os astutos Travis e Sandy como guias. Logo se junta a eles a trupe de Doc Hall e os Clegg Boys, bandidos em fuga que consideram uma caravana mórmon o disfarce ideal. Exibição em DVD.

Cinzas que Queimam, de Ida Lupino e Nicholas Ray
(On Dangerous Ground, 1951, 82 minutos)
Amargurado pelos anos de contato direto com a escória da sociedade, um detetive de polícia durão é designado para investigar a morte de uma jovem fora da cidade. Logo conhece o pai da vítima e fica tomado pelo desejo de vingança. Mas a irmã do assassino lhe pede uma chance para que ele se regenere. Terá de tomar uma difícil decisão sobre o caso. Exibição em DVD.

O Monstro do Ártico, de Christian Nyby e Howard Hawks
(The Thing from Another World, 1951, 87 minutos)
Clássico da “Era McCarthy”, foi dirigido por Christian Nyby e Howard Hawks, a partir de um texto clássico do renomado editor e escritor de ficção científica John W. Campbell Jr, chamado “Who Goes There!”. O monstro é uma criatura alienígena cuja nave se chocou no círculo polar ártico e é descoberta por exploradores americanos. Exibição em DVD.

Alma em Pânico, de Otto Preminger
(Angel Face, 1952, 91 minutos)
Quando a Sra. Tremayne é misteriosamente envenenada por gás, o motorista de ambulância Frank Jessup acaba conhecendo sua enteada, Diane. Apesar de seduzido pelo seu charme, Frank ainda desconfia de seu envolvimento no acidente. Exibição em DVD.

O Diabo Feito Mulher, de Fritz Lang
(Rancho Notorious, 1953, 89 minutos)
Altar Keane (Marlene Dietrich) parou de trabalhar em um saloon e agora administra um esconderijo de foras-da-lei. É então que lá chega Vern Haskell (Arthur Kennedy), um homem determinado, que quer vingar a morte de sua esposa. Exibição em DVD.

O Mundo Odeia-Me, de Ida Lupino
(The Hitch-Hiker, 1953, 70 minutos)
Roy Collins (Edmond O'Brien) e Gilbert Bowen (Frank Lovejoy) saem para pescar nas montanhas da Califórnia, mas acabam mudando de planos e decidem ir ao México. No caminho, oferecem carona para um estranho, sem imaginar tratar-se de Emmett Myers (William Talman), um perigoso facínora procurado nos EUA e conhecido como "o caronista assassino". Exibição em blu-ray.

Homens Indomáveis, de Allan Dwan
(Silver Lode, 1954, 80 minutos)
Quatro de julho. Dan Ballard (John Payne), um respeitado morador de Silver Lode, é surpreendido em seu casamento pela chegada de quatro estranhos. O líder do grupo, Ned McCarty (Dan Duryea), acusa o noivo de assassinato e roubo. Enquanto tenta provar sua inocência, o antes insuspeito Ballard passa a ser visto com desconfiança pelos moradores da cidade, que logo desejam também vê-lo atrás das grades. Exibição em DVD.

Estradas do Inferno, de Josef von Sternberg
(Jet Pilot, 1957, 112 minutos)
Jim Shannon (John Wayne) é um coronel da aeronáutica que está sediado em uma base no Alasca localizada muito perto da União Soviética (apenas 40 milhas). A base entra em alvoroço quando, repentinamente, um jato soviético pede permissão para pousar. A surpresa cresce ainda mais ao descobrirem que quem pilotava o jato era uma mulher, Anna Marladovna (Janet Leigh), que diz querer desertar, mas não entregar segredos militares, pois não é uma traidora. Exibição em DVD.

MARATONA VAL LEWTON

Sangue de Pantera, de Jacques Tourneur
(Cat People, 1942, 73 minutos)
Irena Dubrovna (Simone Simon) é uma bela e misteriosa jovem sérvia que vai trabalhar em Nova York como designer de modas. Lá, casa-se com Oliver Reed (Ken Smith). Irene vive obcecada pela ideia de ser vítima de uma maldição: descenderia de uma raça de mulheres-felinas que, emocionalmente excitadas, se transformam em panteras assassinas. Exibição em DVD.

O Homem-Leopardo, de Jacques Tourneur
(The Leopard-Man, 1943, 66 minutos)
Performer de um nightclub no Novo México, Kiki Taylor inclui na sua atuação um leopardo como estratégia publicitária. Mas o animal foge devido ao barulho e às luzes do clube. Depois de alguns dias, surgem cadáveres mutilados na vila. Tudo indica que se trata de ataques do leopardo, mas Kiki não se convence disso. Exibição em DVD.

A Sétima Vítima, de Mark Robson
(The Seventh Victim, 1943, 70 minutos)
Quando sua irmã mais velha desaparece, Mary Gibson é forçada a deixar a escola particular e viajar para Nova York para encontrá-la. O que a jovem não percebe é que sua irmã pode ter se envolvido com adoradores do diabo. Exibição em DVD com legendas em espanhol.

A Morta-Viva, de Jacques Tourneur
(I Walked with a Zombie, 1943, 69 minutos)
Uma enfermeira contratada para cuidar da esposa de um grande fazendeiro nas Índias Ocidentais. Lá se envolve com os dramas da família e passa a suspeitar que sua paciente possa ser um zumbi, uma “morta-viva”. Exibição em DVD.

A Maldição do Sangue de Pantera, de Gunther von Fritsch e Robert Wise (The Curse of Cat People, 1944, 70 minutos)
A filha de Oliver Reed começa a exibir tendências psicopatas semelhantes às de Irena, sua falecida esposa. Exibição em DVD.


GRADE DE HORÁRIOS
PRIMEIRA SEMANA
27 de outubro a de novembro


27 de outubro (terça)

15:00 – Sessão Fechada
17:20 – Sr. & Sra. Smith - Um Casal do Barulho, de Alfred Hitchcock
19:00 – O Diabo Feito Mulher, de Fritz Lang
20:30 – Sessão Plataforma

28 de outubro (quarta)

15:00 – Vivendo em Dúvida, George Cukor
17:00 – Cativa e Cativante, de George Stevens
19:00 – Os Sinos de Santa Maria, de Leo McCarey

29 de outubro (quinta)

15:00 – Caravana de Bravos, de John Ford
17:00 – Estradas do Inferno, de Josef von Sternberg
19:00 – O Picolino, de Mark Sandrich

30 de outubro (sexta)


15:00 – Rancor, de Edward Dmytryk
17:00 – Homens Indomáveis, de Allan Dwan
19:00 – O Monstro do Ártico, de Christian Nyby e Howard Hawks

31 de outubro (sábado)

15:00 – O Mundo Odeia-Me, de Ida Lupino
17:00 – Soberba, de Orson Welles
19:00 – Sessão Plataforma

01 de novembro (domingo) MARATONA VAL LEWTON

15:00 – Sangue de Pantera, de Jacques Tourneur
16:20 – O Homem-Leopardo, de Jacques Tourneur
17:30 – A Sétima Vítima, de Mark Robson
18:45 – A Maldição do Sangue de Pantera, de Gunther von Fritsch e Robert Wise (1944)
20:00 –A Morta-Viva, de Jacques Tourneur
  
Sala P. F. Gastal


Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia


Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro

Fone 3289 8133

Nenhum comentário: