Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Cine Dica: Godard e Miéville investigam imagens da Palestina no Projeto Raros


Nesta sexta-feira, 15 de agosto, às 20h, o Projeto Raros da Sala P. F. Gastal exibe o filme Aqui e Acolá (Ici et Ailleurs, 53 min, 1976), dirigido por Jean-Luc Godard e Anne-Marie Miéville, que propõe uma reflexão sobre as imagens do grupo Al Fatah, da Palestina, feitas pelo cineasta em 1970. Após a sessão, haverá um debate com a jornalista Gabriela Almeida, pesquisadora do ensaísmo no audiovisual a partir do cinema de Godard. A entrada é franca.
Em 1970, ainda no período do Grupo Dziga Vertov, coletivo militante de cinema, Jean-Luc Godard e Jean-Pierre Gorin aceitam a proposta do grupo militante palestino Al Fatah para fazer um filme sobre a situação política do Líbano e da Jordânia. Ele se chamaria Até a Vitória (Jusqu’à la victoire). O projeto, no entanto, não foi levado adiante pelo grupo. Cinco anos depois, assumindo-se incapazes de “ver e ouvir essas imagens simplíssimas”, Godard e Anne-Marie Miéville reeditam o material, construindo um breve mas denso ensaio sobre a relação entre as imagens e os sons, tendo como questão principal a representação da insurreição palestina.
Aqui e Acolá inicia um processo de extensivo uso do vídeo na reflexão cinematográfica de Godard, que culminou em sua obra-prima, o projeto para televisão História(s) do Cinema. No livro A Imagem-Tempo, Gilles Deleuze cita o filme de 1976 como o ápice de um tipo de investigação sobre o interstício entre as imagens. “A questão – comenta – não é mais a da associação e a da atração das imagens, mas o que existe entre duas imagens: um espaçamento que faz com que cada imagem se arranque ao vazio e nela recaia”.
Gabriela Almeida é jornalista e pesquisadora de cinema não-ficcional. É doutoranda em Comunicação e Informação pela UFRGS, onde estuda o ensaísmo no audiovisual a partir da série História(s) do Cinema, de Jean-Luc Godard, e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA. É autora de artigos sobre a poética do ensaio fílmico publicados em revistas acadêmicas brasileiras e integrou o grupo organizador do festival Cine Esquema Novo nas edições de 2011 e 2013.



PROJETO RAROS
Aqui e Acolá

(Ici et Ailleurs)
França, 53 min., 1976, Cor
16 mm e vídeo

Direção: Jean-Luc Godard e Anne-Marie Miéville
Jusqu’à la victoire : Grupo Dziga Vertov (Jean-Luc Godard e Jean-Pierre Gorin)
Montagem: Anne-Marie Miéville
Roteiro: Jean-Luc Godard, Anne-Marie Miéville
Jusqu’à la victoire : Grupo Dziga Vertov (Jean-Luc Godard e Jean-Pierre Gorin)
Fotografia: Armand Marco, William Lubtchansky
Vídeo: Gérard Teissèdre

Exibição digital com legendas em português

Sala P. F. Gastal

Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia

Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro

Fone 3289 8133 / 8135 / 8137

Nenhum comentário: