Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Cine Dica: Documentário sobre Ozualdo Candeias estreia na Sala P. F. Gastal

DOCUMENTÁRIO OZUALDO CANDEIAS E O CINEMA ENTRA EM CARTAZ NA SALA P. F. GASTAL



A Sala P. F. Gastal exibe a partir do dia 12 de agosto o documentário Ozualdo Candeias e o Cinema, dirigido por Eugenio Puppo, que remonta a trajetória do caminhoneiro que se tornou um dos maiores cineastas do Brasil. Durante a semana de lançamento do filme, o cinema da Usina do Gasômetro (3º andar) também exibe A Margem, o cultuado longa-metragem de estreia de Candeias.
Quem narra a história é o próprio Ozualdo Candeias, que aos poucos, vai revelando seu estilo e genialidade, tendo como pano de fundo as diversas fases do cinema nacional e a Boca do Lixo paulista, principal polo de produção durante os anos 1970.
Filho de agricultores, o cineasta passou a infância e a juventude entre São Paulo e Mato Grosso. Ozualdo abandonou a escola ainda no primário e trabalhou no campo, foi militar, caminhoneiro, chofer de táxi, office-boy, lustrador de móveis, metalúrgico, operário e funcionário público.Começou sua carreira cinematográfica em 1955, com o curta-metragem Tambau - Cidade dos Milagres, no qual já trazia elementos comuns à sua obra, como a ironia e a provocação. Visando ampliar seus conhecimentos na área cursou o Seminário de Cinema, no MASP e depois na Fundação Armando Álvares Penteado, durante quase três anos.
Com o financiamento do governo do estado de São Paulo, Candeias dirigiu dois curtas documentais: Polícia Feminina lançado em 1959 e Ensino Industrial, três anos mais tarde. Em 1963, trabalhou no roteiro de Meu Destino em Tuas Mãos junto de José Mojica Marins, com que trabalhou no ano seguinte, como assistente de direção, em À Meia-Noite Levarei Sua Alma. Seu primeiro longa-metragem de ficção foi A Margem, de 1967. Realizado praticamente por conta própria, o filme espantou a crítica cinematográfica e deu início ao movimento conhecido como Cinema Marginal, constituído de filmes extremamente inventivos de baixo orçamento produzidos principalmente na Boca do Lixo.
Ainda em 1967, trabalhou como produtor em Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver, de José Mojica Marins e no ano seguinte dirigiu um dos segmentos do filme Trilogia do Terror, de José Mojica Marins, o Zé do Caixão: Acordo. Ainda com Mojica, atuou em Ritual dos Sádicos, produzido em 1969. Dirigiu ainda o faroeste Meu Nome É Tonho em 1969, a adaptação corajosa de Hamlet, de William Shakespeare, A Herança, em 1970, sem nenhum diálogo; Caçada Sangrenta em 1973, que não foi exibido devido a censura, mesmo problema que afetou as médias-metragens Zézero e Candinho. Sete anos depois lança A Opção e nos anos seguintes Manelão, o Caçador de Orelhas e A Freira e a Tortura. Após quatro anos sem fazer filmes, dirige As Belas da Billings. Seu último filme foi O Vigilante, de 1992, que mesmo não tendo sido lançado comercialmente, recebeu o prêmio especial do júri no XXV Festival de Brasília.

  
Eugenio Puppo, diretor de cinema, roteirista e produtor, é sócio-fundador da Heco Produções Ltda sediada em São Paulo desde 1995. Produziu mostras como Cinema Marginal e suas Fronteiras (CCBB SP, RJ e DF, 2001 e Portugal, 2012); Buñuel & Alcoriza (CCBB RJ e SP, 2002); Nelson Rodrigues e o cinema (CCBB RJ e DF, 2004); José Mojica Marins – 50 anos de cinema (CCBB DF e SP, e Cinemateca Brasileira, 2007); Retrospectiva Ozualdo R. Candeias – 80 anos (CCBB SP, 2002 e Caixa Cultural, 2008); Leila Diniz (CCBB SP, 2002). Seus últimos trabalhos como diretor incluem os documentários São Miguel do Gostoso (2011) e Ozualdo Candeias e o cinema (2013), ambos selecionados no Festival de Documentários É Tudo Verdade.

OZUALDO CANDEIAS E O CINEMA
2013
100 minutos
Exibição em blu-ray

ROTEIRO, DIREÇÃO E MONTAGEM
Eugenio Puppo
COORDENADOR DE PRODUÇÃO
Matheus Sundfeld
Raphael Bicesto

ASSISTENTE DE MONTAGEM
Bruna Callegari
Ivan Lemos
EDIÇÃO DE SOM
Marcos Iazzetti
PESQUISA
Eugenio Puppo
COLABORAÇÃO
Alessandro Gamo
TRILHA SONORA
Amilton Godoy e Luiz Chaves / Zimbo trio
DISTRIBUIÇÃO
Tucumán Filmes



GRADE DE HORÁRIOS
12 a 17 de agosto de 2014

12 de agosto (terça)
15:00 – A Margem
17:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
19:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema

13 de agosto (quarta)
15:00 – A Margem
17:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
19:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema

14 de agosto (quinta)
15:00 – A Margem
17:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
19:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema

15 de agosto (sexta)
15:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
17:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
20:00 – Projeto Raros (Aqui e Acolá, de Jean-Luc Godard e Anne-Marie Miéville)

16 de agosto (sábado)
15:00 – A Margem
17:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
19:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema

17 de agosto (domingo)
15:00 – A Margem
17:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
19:00 – Ozualdo Candeias e o Cinema
 
Sala P. F. Gastal
Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro
Fone 3289 8133 / 8135 / 8137

Nenhum comentário: