Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Cine Dicas: Lançamentos em DVD

Pois é gente, chegamos ao mês de dezembro finalmente e com isso 2009 começa a fechar as suas portas. Aqui no meu blog irei em breve lançar a lista dos 10 melhores filmes que eu achei neste ano.
Enquanto isso curtam os lançamentos em DVD dessa semana.

Arrasta-me para o Inferno

Sam Raimi deixa um pouco de lado o Homem Aranha e abraça as suas raizes neste filme aterrorisante e engraçado.
 
Sinopse:
Christine Brown é uma ambiciosa analista de créditos de Los Angeles que tem um namorado encantador, o professor Clay Dalton. Sua vida está muito bem até que a misteriosa Sra. Ganush aparece no banco pedindo uma extensão de sua hipoteca.Christine deve seguir seus instintos e dar uma chance à velha senhora? Ou negar a extensão para impressionar seu chefe, Sr. Jacks e ficar a um passo de uma promoção? Infelizmente Christine escolhe a última, humilhando a Sra. Ganush e desapropiando sua casa.Como vingança, a velha senhora lhe roga a poderosa maldição de Lamia, transformando a vida de Christine em um verdadeiro inferno. Assombrada por um espírito do mal e incompreendida por um namorado cético, ela procura a ajuda do vidente Rham Jas para salvar sua alma da maldição eterna. Para ajudar a arruinada Christine a voltar a ter sua vida normal, o médium a coloca em um caminho frenético para reverter o feitiço. Na medida em que as forças do mal se aproximam, Christine tem que enfrentar o impensável: até onde irá para se livrar da maldição?


Sam Raimi está de volta ao gênero que o revelou, após anos dirigindo a triologia do Homem Aranha , que convenhamos, o diretor foi o grande responsável por todo o sucesso da série. Com o dinheiro no bolso e o prestigio em abundancia era mais do que evidente que mais cedo ou mais tarde o diretor iria fazer o filme que quisesse e tendo a mais pura liberdade artística. Com isso ele faz esse Arrasta-me ao Inferno que, com uma historia bem simples, usa e abusa de todos os ingredientes que fizeram sucesso na sua carreira, câmera frenética, gosmas adoidado, trilha sonora raivosa nos momentos para dar susto e um ritimo alucinante que mistura horror com comédia, dois gêneros cujo os quais são difíceis de dar um bom casamento e no caso dos filmes de Sam Raimi quando o assunto é terror pode esperar altas doses de humor, uma tática interessante para o espectador não saber exatamente se assusta ou ri, artifício usado com precisão na triologia clássica Uma Noite Alucinante.
Abraçando suas raízes mais do que nunca Raimi ainda por cima presta a todo o momento homenagens aos bons anos 80, tanto que no inicio do filme o logotipo da Universal é justamente daqueles anos. Os efeitos especiais alias não são muito diferentes dos vistos daquele tempo, beirando ao mais puro trash, só faltando mesmo os efeitos stop motiun que estavam dando seus últimos passos naqueles anos.
Com toda essa brincadeira é mais do que obvio que não é um filme para se levar a sério, tanto que o elenco principal não faz nenhum esforço para melhorar suas performances a não ser somente passar o humor e diversão nas suas falsas tensões. A mocinha da trama (Alison Lohman) em nenhum momento transmite um sinal de pavor verdadeiro e chega a um ponto a ser satírico principalmente na cena que ela está com a faca na mão procurando o seu gato que é um belo de um exemplo. Enquanto isso, Lorna Raver se destaca ao fazer da cigana Ganush uma criatura nojenta e repulsiva a todo o momento (atenção a dentadura), mas sem deixar de lado o bom humor.
E como todo o típico filme de terror a trama tem um desfecho para lá de inesperado mas ao mesmo tempo obvio (a cena dos envelopes dava a dica do que iria acontecer) dando a crer que veremos novamente San Rami fazer o que faz de melhor, terror ao extremo com altas doses de humor inesperado e se é para continuar com esse namoro do passado, que o diretor no segundo filme não esqueça de uma serra elétrica.


Á  DERIVA


Depois do genial Nina e da obra prima Cheiro do Ralo, o brasileiro Heitor Dhalia cria uma historia ambiciosa (e normal) com um toque internacional


Sinopse:
 Aos 14 anos, Filipa (Laura Neiva) passa as férias em sua casa de praia com os pais e os irmãos. Seu pai, Matias (Vincent Cassel) é como um herói para ela. Francês, naturalizado brasileiro, ele é um importante escritor existencialista, mas sente dificuldades para escrever seu próximo livro, sobre separação e confiança. Ao contrário da mãe, Clarice (Débora Bloch), que sempre está preocupada com o lado prático das coisas, Matias prefere levar uma vida tranqüila e se divertir com seus filhos.Quando não está em eventos sociais com os pais, Filipa sai com um grupo de amigos que também passa as férias no local. Lá, eles aos poucos vão descobrindo juntos os sentimentos e a sexualidade. Um dos garotos, Arthur, demonstra estar interessado na jovem, mas ela ainda não se sente preparada para assumir nenhum tipo de relacionamento maior que uma simples amizade. Assim, ela acaba dando esperanças para a amiga Juliana, que está gostando do rapaz.Além dos problemas típicos da adolescência, Filipa faz uma descoberta que a deixa À Deriva. Mexendo na gaveta de seu pai, ela fica sabendo que ele tem uma amante, uma americana que mora em uma casa próxima. A confiança que a menina tinha em Matias vai se tornando frágil, e ela não sabe se deve ou não contar para sua mãe. Quanto mais o tempo passa, mais a perfeita vida em família de Filipa se torna insuportável, com os pais brigando todo o tempo. A relação dela com Arthur e com seus pais faz com que aquele seja um verão que mudará totalmente sua vida.

Mesmo não adicionando a mesma estética ambiciosa ou uma trama bizarra (e genial) de seus filmes anteriores, À Deriva é reconhecido pelo próprio diretor como o seu trabalho mais maduro e cheio de ambição até agora e fazendo que o inicio da trama soe familiar para o publico em geral que tem passado ou passou por algo parecido em suas vidas. O ator francês Vincent Cassel (Pacto dos Lobos, Irreversível) e amante da trama (atriz americana Camilla Belle) dão toque internacional de um filme que vem abocanhando altos elogios desde que foi exibido em Cannes. Como já não bastasse isso o filme apresenta o mais novo talento, Laura Neiva que havia sido descoberta por acaso em um perfil do Orkut,, vencendo outras 600 atrizes na disputa pelo papel.
Com o sucesso no festival e sucesso de critica tanto aqui como lá fora, Heitor Dália está mais do que pronto para criar mais um novo filme provocador e diferente de tudo que se já viu. A Deriva por mais ótimo que seja é somente uma prova que existe normalidade na cabeça do diretor que possa fazer com que um filme seu saiba se comunicar com o publico em geral que acabara encontrando pontos com a historia.

CURIOSIDADES

Selecionado para a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes.
O orçamento foi de R$ 6,5 Milhões.
Camilla Belle, estrela do sucesso internacional '10.000 a.C.' e 'Quando um Estranho Chama', retorna às suas raízes brasileiras para participar do filme. Belle, que fala português e espanhol, nasceu nos Estados Unidos e é filha de mãe brasileira.
O filme será em lingua portuguesa.
O longa é o primeiro projeto de coprodução entre a O2 Filmes, de Fernando Meirelles, e a norte-americana Focus Features.



Nenhum comentário: