Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 65 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

domingo, 28 de junho de 2009

Cine Animação: Persépolis

Maravilhosa animação Francesa bate de frente com o Regime do Irá.

(Persepolis) França, 2007. Direção: Marjane Satrapi, Vincent Paronnaud. Elenco: Chiara Mastroianni, Catherine Deneuve, Danielle Darrieux. Duração: 95 min.

Sinopse: Marjane Satrapi (Gabrielle Lopes) é uma garota iraniana de 8 anos, que sonha em se tornar uma profetisa para poder salvar o mundo. Querida pelos pais e adorada pela avó, Marjane acompanha os acontecimentos que levam à queda do xá em seu país, juntamente com seu regime brutal. Tem início a nova República Islâmica, que controla como as pessoas devem se vestir e agir. Isto faz com que Marjane seja obrigada a usar véu, o que a incentiva a se tornar uma revolucionária.

Um filme comovente, trágico e ao mesmo tempo cheio de humor, sobre a ignorância, a intolerância e a forma como ás pessoas que continuam a lutar contra as suas conseqüências e por fazer a diferença.
Satrapi, que além de assinar a obra original co-realiza o filme, nasceu em Teerão em 1969, onde viveu antes de se mudar para Viena e, depois, para França. Em 2000, foi publicado o primeiro álbum da série, editado em Portugal três anos depois pelas Edições Polvo. Outro artista de BD, Vincent Parannaud - também conhecido como Winshluss, um premiado autor francês de banda desenhada alternativa - assina também a adaptação ao cinema da obra.
Indicado a vários prêmios ao redor do mundo Persépolis é um filme para ser visto e revisto por pessoas de todas as idades principalmente por ser uma obra corajosa por atacar um regime intolerante.

Curiosidades:
O governo do Irã enviou uma carta à embaixada da França em Teerã protestando contra Persépolis, além de pressionar os organizadores do Festival de Bangkok a retirá-lo de sua programação.
Recentemente Marjane Satrapi, autora do graphic novel Persépolis protestou contra os resultados das ultimas eleições do Irá.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Cine Curiosidades: Em cartaz: Transformers- A Vingança dos Derrotados

Filme é pura nostalgia para quem viveu nos anos 80, ao mesmo tempo é melhor filme ruim da temporada.

(Transformers: Revenge of The Fallen) EUA, 2009. Direção: Michael Bay. Elenco: Shia LaBeouf, Megan Fox, John Turturro. Duração: 147 min.

Sinopse: Dois anos após a batalha entre os Autobots e os Decepticons, Sam Witwicky (Shia LaBeouf) enfrenta a ansiedade de entrar na faculdade. Isto significa que ele terá que morar separado de seus pais, Judy (Julie White) e Ron (Kevin Dunn), deixar a namorada Mikaela Banes (Megan Fox) e ainda explicar a situação ao seu amigo e protetor Bumblebee, já que pretende levar uma vida normal de agora em diante. Paralelamente o governo desativa o Setor 7, resultando na demissão do agente Simmons (John Turturro). Em seu lugar é criada a NEST, uma agência comandada pelo capitão Lennox (Josh Duhamel) e o sargento Epps (Tyrese Gibson), que trabalha em conjunto com os Autobots. Porém a NEST enfrenta a resistência de Theodore Galloway (John Benjamin Hickey), o consultor da segurança nacional, que a considera supérflua.

Boa parte dos críticos do mundo todo em 2007 desceu a lenha no primeiro Transformers mas acho que seria exigir demais de uma obra cuja a origem da idéia tem só um único objetivo, entreter a todo o custo haja o que houver, mesmo que custe aos olhos do espectador. E neste caso
Michael Bay (Armageddon) é o diretor especialista neste assunto. Todas as suas marcas registradas estão lá, efeitos especiais acelerados, montagem acelerada, cortes acelerados, por do Sol acelerado e roteiro acelerado ao ponto que as vezes ele some por algum momento e o espectador fica se perguntando aonde está, porque a sensação que da que está numa montanha russa, cuja a brincadeira dura mais de duas horas incessantes e o que torna o filme ruim mas tão ruim que acaba sendo ótimo. Como toda a continuação habitual, o que funcionou no primeiro, aumenta no segundo, só que o diretor aqui triplica de uma maneira tão absurda que aconselho aos pais que ao levarem os seus filhos pequenos a assistirem a esse filme, que fiquem distantes um pouco da tela...é sério.
Mas se os robôs bons e maus são os grandes astros da película o que sobra para os humanos? Shia LaBeouf tenta passar o calor humano na produção mas fica meio que apagado em meio a tanta correria, apesar de estar com a carreira estabelecida desde o primeiro filme, ainda não foi dessa vez que esse jovem ator conseguiu ter luz propia em um filme solo. Megan Fox não precisa dizer muito, a namorada do mocinho continua a exibir sensualidade ao estremo do absurdo, (sua primeira cena em cima de uma moto é a prova disso), mas terá muito chão pela frente para provar se tem alguma prova de talento de interpretação, já o veterano ator John Turturro que interpreta o atrapalhado agente talves seja o único que se destaque em meio a tanto bombardeio de imagem.
Baseado numa serie de desenho animado, de uma coleção de brinquedos e HQ, Transformers - A Vingança dos Derrotados no final das contas é pura nostalgia para aqueles que nasceram nos anos 80, curtindo o seriado e torcendo pelo seu robô preferido, como o Líder Optimus Prime, para o publico de hoje que nunca ouviu falar de tudo isso, basta deixar o cérebro em casa e curtir a película sem compromisso.

Cine Curiosidades: Michael Jackson 1958 - 2009

É engraçado como eu só pego por uma noticia tragica somente quando já estava acontecendo já a algumas horas, foi assim comigo com o 11 de setembro, onde só soube de tudo a tarde.
Com Michael Jackson ontem não foi diferente só fui saber lá pelas 20horas da noite, havia saido para passear na capital, ido no cinema. Infelismente o grande astro da musica pop partiu do nosso mundo e mesmo eu estando bem.... estou triste. Me lembro quando era jovem, eu gostava de imitar o cantor, dançando os passos dele, mesmo agindo da maneira mais boba e pagando mico, mas não ligava, pois eu gostava.

Após o video deixo um rapido resumo da carreira desse grande astro, cortesia do site cinema em cena.

O jornal Los Angels Times confirma que faleceu hoje, aos 50 anos, o cantor Michael Jackson.
O pronunciamento foi feito por médicos do hospital onde ele estava internado.
O primeiro veículo a noticiar a morte do cantor, antes mesmo da declaração oficial, foi o site TMZ. De acordo com a fonte, ele sofreu uma parada cardíaca na tarde de hoje, em sua casa em Holmby Hills, e os paramédicos não conseguiram reanimá-lo. Segundo pessoas que entraram em contato com o TMZ, Jackson já estava morto quando os paramédicos chegaram. O LA Times confirmou a história e noticiou que o astro já chegou inconsciente ao hospital.
Jackson começou a cantar aos cinco anos de idade e iniciou sua carreira profissional como vocalista do Jackson Five, grupo formado por seus irmãos. Em 1971, o músico começou sua carreira solo e logo foi apelidado como o rei do pop.
O lançamento do álbum Thriller foi o grande marco, com 50 milhões de cópias vendidas, 37 semanas como o disco mais vendido e dois anos ininterruptos de execução em rádios. Na época, o cantor inovou com a mistura de ritmos musicais e com a super produção de videoclipes, como o vídeo da canção que dá nome ao álbum. Com isso, Jackson virou o ícone da geração MTV norte-americana. O cantor era sinônimo de sucesso.
Mas suas excentricidades o fizeram também sinônimo de rumores sobre sua vida pessoal. Foi na década de 90 que as plásticas de Jackson fizeram mudanças em seu rosto, além do clareamento de sua pele.
Tal fato o fez ficar cada vez mais recluso e mais excêntrico, mas também possibilitou um dos seus maiores sucessos. Em 1991, ele lançou o álbum Dangerous, que virou febre exatamente pela música "Black and White", uma resposta a quem falava sobre sua pele. Segundo o cantor, o clareamento era consequência de uma doença que ele era portador.
A caminhada para o fundo do poço do cantor se intensificou com as primeiras casos de pedofilia que o envolvia. Apesar de ter sido arquivada a acusação de que Jackson teria abusado sexualmente um garoto de 13 anos, o efeito em sua carreira foi devastador. A partir de então, uma sucessão de críticas e problemas bombardearam o cantor, que vão de outros casos de abuso sexual de menores até sua postura como pai. O músico também esteve envolvido em uma série de polêmicas, como os seus dois casamentos mal-sucedidos e um documentário no qual declarou que não via problema em dormir na cama com outras crianças.
O retorno do cantor aos palcos estava programado para 13 de julho, data escolhida depois de um adiamento que foi visto como consequência de problemas de saúde do cantor.
Nos cinemas, Jackson, considerado hoje um dos maiores cantores pop do mundo, foi visto em Moonwalker, interpretando ele mesmo, e teve uma pequena participação em Homens de Preto 2, estrelado por Tommy Lee Jones e Will Smith, em que viveu um agente extraterrestre.
Quincy Jones, produtor do álbum Thriller, falou sobre a morte do cantor. "Estou inconsolável com esta notícia trágica e inesperada. Ele tinha tudo: talento, graça, profissionalismo e dedicação. Perdi meu irmão hoje e parte da minha alma vai com ele".

http://www.youtube.com/user/michaeljackson?blend=1&ob=4

terça-feira, 23 de junho de 2009

Cine Clássicos: Trainspotting - Sem Limites

Com a chegada de Quem Quer Ser Um Milionário? nas locadoras, relembramos o primeiro grande clássico do diretor Danny Boyle

Título Original: Trainspotting. Tempo de Duração: 96 minutos.Ano de Lançamento (Inglaterra): 1996. Direção: Danny Boyle. Elenco Ewan McGregor. Ewen Bremner. Jonny Le Miller. Kevin McKidd.

Sinopse: Em Edimburgo, alguns "amigos" que na verdade são ladrões e viciados, caminham inexoravelmente para o fim desta amizade e, simultaneamente (com exceção de um do bando), marcham para a auto-destruição.

Na tentativa do protagonista sair do buraco, o filme lembra Drugstore Cowboy. O enfoque, porém, é visceral, contando de forma ácida o cotidiano dos viciados em heroína. Adaptação de um romance de grande sucesso na Inglaterra da autoria de Irvine Welsh, que faz uma ponta como um traficante, o filme virou cult internacional por ser um retrato espirituoso de toda uma geração, com direito inclusive a uma trilha sonora pop de primeira linha.

Curiosidades:
Originalmente, o intérprete de Mark Renton seria Ewen Bremner, que também atua em Trainspotting, interpretando o personagem Daniel Murphy.
A versão americana de Trainspotting teve seus primeiros 20 minutos dublados novamente, na intenção de diminuir o sotaque escocês.

Cine Curiosidades: Em cartaz: Trama Internacional

Filme de Tom Tykwer (Corra, Lola, Corra) apresenta originalidade no gênero espionagem e apresenta a melhor cena de tiroteio do ano.

(The International) EUA/Alemanha, 2008. Direção: Tom Tykwer. Elenco: Clive Owen, Naomi Watts, Armin Mueller-Stahl. Duração: 119 min.

Sinopse: Louis Sallinger (Clive Owen) é um agente da Interpol que, juntamente com Eleanor Whitman (Naomi Watts), a promotora de justiça de Manhattan, busca levar à justiça um dos bancos mais poderosos do mundo. Para tanto eles investigam diversas atividades ilegais, tendo que rastrear quantias espalhadas ao redor do planeta.

Tom Tykwer se tornou conhecido mundialmente quando lançou o filme alemão Corra, Lola, Corra em 1998. Depois desse bem-sucedido filme, porém, o alarde em torno de seu nome diminuiu com filmes apenas razoáveis, como A Princesa e o Guerreiro. Seu retorno ao sucesso deu-se em 2007 com a boa adaptação do livro
O Perfume. O cineasta alemão agora se arrisca com um thriller passado no mundo da espionagem e altas finanças em Trama Internacional (The International, 2009).
Aqui ele logicamente se inspira nos gêneros de espionagem como 007, 24horas e Bourne, entretanto ele tenta puxar originalidade neste mundo tão explorado no cinema. Como nas séries Bond e Bourne, Trama Internacional cruza o globo várias vezes. Passa por Berlim, Lyon, Milão, Nova York e Istambul. Mais que um recurso de interesse visual (novos cenários, personagens, tom...), a solução funciona a favor da história para mostrar o tamanho do problema que os personagens de Owen e Watts enfrentam. O roteiro de Eric Warren Singer coloca como vilão um banco, não um bancário (ainda que exista um burocrata central que é caçado, interpretado por Ulrich Thomsen), e esse vai e vem mundial exemplifica quão fundo chegam as ramificações da estrutura que a dupla precisa desbaratar.
Clive Owen (Closer- Perto Demais) vive o agente passional com competência e muitos ficam se perguntando porque ele não aceitou ser o novo 007 atualmente. Já a talentosa Naomi Watts (Cidade dos Sonhos) está apenas ok no filme e não exigiu muito fisicamente, talves devido o fato que a recém havia passado por uma gravidez, contudo, a química dos dois funciona como uma jóia na película. Apesar da maioria dos filmes de espionagem exigir atenção do espectador, o filme não cansa em nenhum momento e apresenta ótimas cenas de ação. Ao manter o filme nesse passo, Tykwer evidencia de maneira explosiva o momento que guardava a sete chaves no filme todo. O tiroteiro no Museu Guggenheim, sequência mais intensa da produção, é um excepcional exemplo de boa coreografia, planejamento e edição. A produção foi a primeira a conseguir autorização para filmar dentro no local e aproveitou muito bem essa vantagem. Tykwer mescla com absurda habilidade cenas no local de verdade e gravações realizadas no set construído em Berlim, que replica em escala de 90% a icônica construção espiral de Frank Lloyd Wright.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Cine Clássicos: A trilogia do Dolar

Começando esse post de hoje, falo sobre uma das minhas trilogias preferidas que diferentes de outras foi cada vez melhorando a cada filme. Sergio Leone, responsavel pela obra prima Era uma vez no Oeste começou a carreira lançando essa trilogia feita na Italia, que acabou criando o genero Spaghetti Western que acabou ganhando grande sucesso nos anos 60 e acabou consagrando o ator Clint Eastwood. Confiram a trilogia:

POR UM PUNHADO DE DOLARES

Sinopse: Um lacônico e estranho pistoleiro sem nome enfrenta perigos e revela um invulgar talento em lidar com armas de fogo.

Divertido e violento filme do diretor Sergio Leone que criou o melhor do gênero faroeste espaguete. Sua bem sucedida trilogia com Eastwood (até então coadjuvante nos EUA) prosseguiu com Por Uns Dolares a Mais (65) e Três Homens e um Conflito(66).


Por Uns Dolares a Mais

Sinopse: Dois caçadores de recompensa procuram, um deles por motivo pessoal, chefe de bando sanguinário obcecado por uma paixão perdida.

Segundo filme da trilogia de Leone e Eastwood, com todos os elementos narrativos, temáticos e visuais que o principal diretor do faroeste espaguete consolidou posteriormente em Era Uma Vez no Oeste. Guarda ainda o antigo charme das antigas matines de antigamente.


Três Homens e Um Conflito

Três bandoleiros "ajudam-se" e enganam-se mutuamente, tentando se apossar de uma fortuna em dólares durante a Guerra Civil americana.

Ultima parte da trilogia de Leone com Eastwood. Um verdadeiro espetaculo, divertido, ruidoso, movimentado, bonito e com um final antologico. Destaque para o trabalho de Wallach.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Cine Animação: As Bicicletas de Belleville

França surpreende o mundo em 2003 ao lançar essa animação filosófica e original

(Les triplettes de Belleville) França/Belgica/Canadá/Inglaterra, 2003. Direção: Sylvain Chomet. Duração: 78 minutos.


Sinopse: Champion é um menino solitário, que só sente alegria quando está em cima de uma bicicleta. Percebendo a aptidão do garoto, sua avó começa a incentivar seu treinamento, para fazê-lo um verdadeiro campeão e poder participar da Volta da França, principal competição ciclística do país. Porém, durante a disputa, Champion é sequestrado. Sua avó e seu cachorro Bruno partem então em sua busca, indo parar em uma megalópole localizada além do oceano e chamada Belleville.

Estreante em longas-metragens, o animador Sylvain Chomet põe em prática tudo o que aprendeu em quarenta anos de vida e duas décadas de devoção aos quadrinhos e aos desenhos. Assim, o visual desse filme já espanta, de cara, pela mistura impressionantemente harmoniosa entre o tradicionalismo artesanal e os artifícios tridimensionais, alem de personagens cativantes e melancólicos.
Visualmente o filme presta homenagem ao cinema expressionista alemão e o cinema mudo, contudo é uma obra diferente de tudo que já se viu e que fala por si só.


Curiosidades:
O orçamento de As Bicicletas de Belleville foi de US$ 8 milhões.
Recebeu 2 indicações ao Oscar, nas categorias de Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original ("The Triplets of Belleville

Cine Clássicos: O Expresso da Meia Noite

Tocante e extraordinário filme de prisão que emocionou
o publico no final dos anos 70.

Título Original: Midnight Express.Gênero: Drama.Tempo de Duração: 115 minutos.Ano de Lançamento (EUA): 1978. Direção: Alan Parker. Elenco:Brad Davis, Irene Miracle, Bo Hopkins, Paolo Bonacelli, Paul L. Smith, Randy Quaid, Norbert Weissner e John Hurt

Sinopse: Billy Hayes (Brad Davis), um estudante americano, ao visitar a Turquia decide traficar alguns pacotes de haxixe, prendendo-os debaixo de suas roupas. Seu plano acaba não dando certo e ele é preso, com sua vida se transformando em um pesadelo a partir de então, pois é brutalmente espancado e jogado em uma imunda prisão. Quando espera ser libertado é levado a um novo julgamento com efeito retroativo, que o condena a uma longa pena.

Indicado em seis categorias do Oscar(r) em 1978, e vencedor nas de Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora, O EXPRESSO DA MEIA-NOITE é dirigido de maneira vigorosa por Alan Parker (Mississipi em Chamas, Evita), e abrilhantado por interpretações pungentes de Brad Davis, John Hurt e Randy Quaid. Um olhar inesquecível focalizando uma das mais perigosas prisões do mundo e a luta de um homem para voltar para casa

Curiosidades:
Na famosa cena do discurso no julgamento do personagem de Brad Davis onde chama os Turcos de porcos, as autoridades do país por pouco não processaram o diretor Alan Parker por essa cena.
A memorável trilha sonora do Expresso da Meia Noite foi a 1ª trilha eletrônica a ganhar um Oscar da Academia.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Cine Dicas: Lançamentos em DVD

Bom...o dia por aqui esta chuvoso, tanto que não sai de casa, contudo sei de dois filmes que chegaram hoje na locadora, que eu já vi alias e que valem a pena serem revistos. Solto aqui as materias desses dois filmes que já havia publico anteriormente na época das estreias de cada um, confiram:

Quem quer ser um Milionário?

Sinopse: Jamal K. Malik (Dev Patel) é um jovem que trabalha servindo chá em uma empresa de telemarketing. Sua infância foi difícil, tendo que fugir da miséria e violência para conseguir chegar ao emprego atual. Um dia ele se inscreve no popular programa de TV "Quem Quer Ser um Milionário?". Inicialmente desacreditado, ele encontra em fatos de sua vida as respostas das perguntas feitas.


Antes mesmo do filme estrear, já se ouvia muito sobre a industria de cinema de Bollywood que dizem que mesmo com poucos recursos faz mais filmes que os estúdios americanos juntos. E com a chegada desse pequeno filme o mundo finalmente teve os seus olhos indo direto para esse lugar que não me admira chegar mais filmes de lá para os nossos cinemas. Mas coube uma produção britânica para mostrar todo o potencial e a verdadeira Índia como ela é atualmente.
Jamal (Dev Patel) o grande protagonista da trama começa o filme respondendo perguntas em um show a lá estilo show do milhão e acaba acertando todas, mas com isso acaba sendo preso pelas autoridades pôr acharem que ele está trapaceando. Durante o interrogatório ficamos sabendo de que maneira ele ficou sabendo as respostas das perguntas, através de sua historia, ficamos sabendo de seu passado difícil ao lado do seu irmão e de suas tentativas de ganhar a vida ao longo dos anos, ao mesmo tempo Jamal luta em busca de seu amor perdido da infância.
Pôr algum tempo esse filme foi comparado com Cidade De Deus o que acabou irritando pôr algum tempo o diretor Danny Boyle. Bom vendo o filme do começo ao fim a única semelhança mesmo foi que o inicio se passa em uma favela e a aparição de uma galinha correndo, fora isso a historia é complemente diferente, mesmo envolvendo duas coisas distintas que ambos os filmes tem, a luta pôr uma vida honesta e a violência de ganguister, fora isso não tem muita coisa haver, contudo a fotografia e a excelente montagem lembram em alguns aspectos.
Mesmo sendo com um elenco de amadores, Danny Boyle soube retirar o máximo de emoção no jovem elenco, demonstrando um grande potencial de todos os atores que interpretarão os dois irmãos em épocas distintas. E mesmo o filme se passando na Índia a trama acaba pôr fazer referencias ao mundo pop. e literário, exemplo da obra Os Três Mosqueteiros, que em inúmeros momentos é citado devido aos irmãos mais a mocinha da trama, que juntos o trio são os condutores dessa fantástica historia.
Não é a toa que foi o grande vencedor do ultimo Oscar, oitos estatuetas no total e o mais surpreendente é pôr não ser um filme americanos a ganhar a noite o que prova que o cinema não se vive dos Estados Unidos e sim mundialmente

Pôr fim Quem quer ser Um Milionário? é sobre otimismo e perseverança em tempos difíceis, a mensagem é nunca desistir perante um obstáculo, parece até clichê mas neste filme funciona como uma jóia preciosa
Operação Valquiria

Sinopse: Operação Valquiria A história da tentativa de assassinato sofrida por Adolf Hitler em julho de 1944. No papel principal está Tom Cruise, como o coronel alemão Claus von Stauffenberg, líder do grupo de conspiradores contra o fuhrer.


Operação Valquíria não esconde a intenção obvia de tentar levantar a carreira do ator Tom Cruise que nos ultimos anos ficou meio que arranhada, devido sua divulgação a cintologia e suas declarações loucas de amores por Kate Rolmes. Contudo ele sempre foi esperto em se envolver com diretores de respeito e agora se envolve com Brian Singer (x-men) especialista em saber dirigir um grande elenco desde Os Suspeitos para criar um heroi nazista disposto a matar um dos piores ditadores da historia. A trama já é mais do que obvia e o ator cumpre o seu papel mas não exige muito dele. Não é pelo fato de usar um tapa olho e interpretar um personagem historico que irá dizer muita coisa. Gosto do Tom mas gosto em papeis que ezigem mais dele e tira ele fora dos padrões como em casos de filmes como Magnolia, Entrevista com o Vampiro, Nascido em 4 de Julho e recentemente Trovão Tropical que apesar de pouco tempo em cena fez um personagem inucitado e inesquecivel, com isso teve uma indicação ao Globo de Ouro.Operação Valquíria talves seja apenas o inicio de uma nova leva de filmes sobre a 2ª guerra mundial que esta começando aportar novamente nos cinemas como em breve o novo filme de Quentin Tarantino, mas uma tentativa de dar uma animada na carreira de um ator que virou simbolo de cinema de uma geração e uma tentativa de virada é sempre bem vinda

terça-feira, 16 de junho de 2009

Cine Clássicos: Capitão Blood

Sinopse: Em 1685, médico inglês, injustamente acusado de traição, é deportado para a Jamaica, onde é obrigado a trabalhar como escravo numa plantação. Lá, ele consegue alguns privilégios depois de tratar o Governador local de gota.
Por outro lado, o proprietário da plantação não vê com bons olhos o crescente relacionamento entre sua sobrinha Arabella e Blood. Tempos depois, um ataque de piratas espanhóis à Jamaica, dá a Blood e a seus amigos escravos, a oportunidade de se transformarem em famosos piratas do Caribe.
Quando o Rei James é deposto por William of Orange, Blood passa a ser tratado como herói como recompensa por sua bravura contra os galeões espanhóis. Ele é, então, nomeado Governador da Jamaica, além de ganhar a mão de sua querida Arabella.

Capitão Blood" é um ótimo filme de ação/aventura. Baseado no livro de Rafael Sabatini, este filme de Michael Curtiz, (Casablanca) que faz um excelente trabalho de direção, mesmo sendo em 1935, a produção impressiona pela qualidade dos efeitos especiais, principalmente nas partes da guerra entre navios.
A trilha sonora é muito boa e os diálogos são excelentes. No elenco, Errol Flynn está muito bem no papel de Peter Blood e demonstra ter uma perfeita química com a radiante e bela Olivia de Havilland, em seus 19 anos. Ambos repetiriam a parceiria em mais oito filmes, entre eles Hobin Hood. No elenco coadjuvante, os maiores destaques ficam para Basil Rathbone e Lionel Atwill.

Um grande clássico de aventura que relembra os bons tempos dos filmes de matiné e que se não fosse por esse filme talves nem tivéssemos a trilogia Piratas do Caribe.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Cine Curiosidades: Quadro Cinematografo: Os 100 melhores

Bem chego aqui no meu blog a 200 postagens, entre altos e baixos desse blog, sempre quando eu posso eu tento atualisa-lo e colocar o que eu mais amo que é o cinema e para também mostrar a vocês um pouco sobre essa arte que tanto admiro.

Na minha busca pelo conhecimento descubro pelo o Youtube o quadro Cinematografo (REDEMINAS) que fala sobre cinema e neste primeiro video que eu descubro que tem participação do meu critico preferido Pablo Villança, falam um pouco sobre as listas dos cem melhores de todos os tempos.

Eu sempre gostei das listas dos cem melhores, pois foi através delas que consegui pesquisar e fazer uma verdadeira caça ao tesouro desses filmes. Me lembro da primeira lista dos cem melhores em 1998, consegui pelo jornal Zero Hora, uma pena que eles haviam publico somente a metade e já naquele tempo colocavam Cidadão Kane como o melhor filme de todos os tempos. Eu adoro Cidadão Kane mas que assim como Pablo, eu colocaria Poderoso Chefão em primeiro lugar, mas acredito que cada um tem o seu filme preferido de coração, e se fosse colocar o melhor filme de todos os tempos no topo colocaria Blade Runner que é particularmente é o meu filme preferido mas quem sou eu para dizer isso? Portanto é apenas uma preferência minha.

Polémicas a parte a pessoa que ler essas listas tem mais que levar na boa e servir como guia para procurar esses filmes inesqueciveis. Serviu para mim, servira para vocês.

Cine Curiosidades: Em cartaz: A Mulher Invisivel.

Na esteira das comedias brasileiras de sucesso deste ano (vide Se eu Fosse você 2) A Mulher Invisível agrada tanto o publico exigente como também o publico em busca somente boas risadas.

Brasil, 2009. Direção: Cláudio Torres. Elenco: Selton Mello, Luana Piovani, Vladimir Brichta. Duração: 105 min.

Sinopse: Pedro (Selton Mello) ainda acredita no conceito do casamento, enquanto que Carlos (Vladimir Brichta) não aceita a possibilidade de que um homem passe toda sua vida ao lado da mesma mulher. Os dois são colegas de trabalho em uma sala de controle de tráfego da prefeitura. Um dia Carlos fica preocupado com o amigo, devido ao estado depressivo dele ao ser abandonado por sua esposa, Marina (Maria Luísa Mendonça). Vitória (Maria Manoella), vizinha de Pedro, testemunha silenciosamente seu drama através de um buraco na parede. Até que subitamente alguém bate na porta de Pedro. Trata-se de Amanda (Luana Piovani), sua nova vizinha, que veio apenas lhe pedir açúcar. Com um jeito inocente e ao mesmo tempo sedutor, ela muda a vida de Pedro. Só que tem
um problema: Amanda é invisível.

Desilusões amorosas ou simplesmente pé na bunda é o combustível de quase todas as musicas de sucesso e com certeza de filmes. Aqui não é diferente. E “sim”, Luana Piovani interpreta a mulher perfeita. Na verdade, quase perfeita, pois ela só existe na cabeça do Pedro. Para todas as outras pessoas ela é uma mulher invisível. Sabendo que se trata de uma comédia romântica, é de se imaginar que toda a trama já está resolvida desde o seu título. depois de sofrer com o fora que levou da ex, Pedro conhece a mulher ideal, se apaixona novamente e no fim descobre que ela não existe, mas, mais uma vez, volta a se apaixonar.
É ai que o diretor Cláudio Torres acerta em cheio na sua direção, pois diferente das típicas comedias romântica saturada, ele consegue fazer o filme fugir do lugar-comum criando um visual bonito e original sem deixar de ser romântico. Destaco o elenco secundário formado por Vladimir Brichta e Maria Manoella, respectivamente como o melhor amigo (Carlos) e a vizinha (Vitória) que é apaixonada por Pedro, vão além dos papéis coadjuvantes normais, simplesmente roubam a cena. Eles não são apenas os personagens que dão dicas (muitas vezes erradas) do que fazer. O desenvolvimento da história dependera deles. E tem ainda a Fernanda Torres, que rouba a cena quando aparece dando dicas a Vitória, sua irmã.
E o que dizer de Selton Mello? Depois do extraordinário (e melhor filme de sua carreira) Cheiro No Ralo e do ótimo Meu nome não é Jhony, aqui ele simplesmente se diverte com um personagem desiludido mas nunca sendo chato em momento algum. Com uma carreira sólida e excelentes papeis é de se esperar com ansiedade o seu próximo desempenho no filme, “
Jean Charles

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Cine Curiosidades: Lançamentos em DVD

Pois bem.
Ainda estou de férias mas sempre quando posso passo aqui no computador e escrevo o que eu mais gosto. Neste feriado decidi rever em DVD três filmes que chamaram atenção no ultimo Oscar e convenhamos, são todos espetaculares e semana que vem tem mais lançamentos chegando, confiram:

O Curioso Caso De Benjamin Burtton

Sinopse: Nova Orleans, 1918. Benjamin Button (Brad Pitt) nasceu de forma incomum, com a aparência e doenças de uma pessoa em torno dos oitenta anos mesmo sendo um bebê. Ao invés de envelhecer com o passar do tempo, Button rejuvenesce. Quando ainda criança ele conhece Daisy (Cate Blanchett), da mesma idade que ele, por quem se apaixona. É preciso esperar que Daisy cresça, tornando-se uma mulher, e que Benjamin rejuvenesça para que, quando tiverem idades parecidas, possam enfim se envolver.

Baseado no O conto de F. Scott Fitzgerald, esse filme é um verdadeiro conto de fadas para adultos e com uma agradável surpresa por ser dirigido por David Fincher, diretor responsavel por clássicos modernos como Seven e Clube da Luta.
Brad Pitt e Cate Blanchett brilham em seus respectivos papeis mas é a perte técnica que sobressai. Com excelentes reconstituições de época e espantosos efeitos especiais e maquiagem premiados pela academia



DUVIDA

Sinopse: 1964. O carismático padre Flynn (Philip Seymour Hoffman) tenta acabar com os rígidos costumes da escola St. Nicholas, localizada no Bronx. A diretora do local é a irmã Aloysius Beauvier (Meryl Streep), que acredita no poder do medo e da disciplina. A escola aceitou recentemente seu primeiro aluno negro, Donald Miller (Joseph Foster), devido às mudanças políticas da época. Um dia a irmã James (Amy Adams) conta à diretora suas suspeitas sobre o padre Flynn, de que esteja dando atenção demais a Donald. É o suficiente para que a irmã Aloysius inicie uma cruzada moral contra o padre, tentando a qualquer custo expulsá-lo da escola.

John Patrick Shanley autor de alguns filmes meio que desconhecidos conseguiu com maestria levar para o cinema essa historia baseado numa famosa peça. Aqui ele roteriza e dirige o elenco, e que elenco. Meryl Streep (Escolha de Sofia), Philip Seymour Hoffman (Capote) e Amy Adams (Encantada) duelam de igual para igual nas interpretações fortes e comoventes numa historia que explora certas feridas da Igreja que repercute até hoje. Contudo é Viola Davis que interpreta a mãe da criança que faz, (mesmo em poucos minutos) uma das mais fortes e chocantes interpretações do filme. Indispensável para aqueles que procuram um verdadeiro duelo de interpretes.


O Menino do Pijama Listrado

Sinopse: Alemanha, 2ª Guerra Mundial. Bruno (Asa Butterfield), de 8 anos, é filho de um oficial nazista que assume um cargo em um campo de concentração. Isto faz com que sua família deixe Berlim e se mude para uma área desolada, onde não há muito o que fazer para uma criança de sua idade. Ao explorar o local ele conhece Shmuel (Jack Scanlon), um garoto aproximadamente de sua idade que sempre está com um pijama listrado e do outro lado de uma cerca eletrificada. Bruno passa a visitá-lo frequentemente, surgindo entre eles uma amizade.

Pequeno e comovente filme que mostra o mesmo mundo mas dividido pela intolerançia e maldade, pela qual somente a inocencia pode supera-la. Final extraordinario.

terça-feira, 9 de junho de 2009

As Aventuras de Robin Hood

Sinopse: No século XII, quando o rei da Inglaterra Ricardo Coração-de-Leão (Ian Hunter) é sequestrado na Áustria ao retornar das Cruzadas, o príncipe John (Claude Rains) tenta usurpar o trono, favorecendo os normandos invasores em detrimento dos saxões. Contra esta situação o nobre Robin Hood (Errol Flynn) organiza nas florestas de Sherwood um bando de salteadores e rebeldes. Enquanto ataca os normandos e rouba dos ricos para dar aos pobres, Robin se apaixona por Marian (Olivia de Havilland), protegida do rei Ricardo, que o príncipe quer casar com o arrogante Sir Guy (Basil Rathbone).

Errol Flynn era o ator da vez nessa época (1938) em termos de aventura e aqui ele está mais do que a vontade interpretando esse personagem hiper conhecido.
Atennção para a inesquecivel participação de Olivia de Havilland (O Vento Levou) que aqui interpreta Marian.
A direção ficou a cargo de Michael Curtiz que mais tarde faria Casablanca. As Aventuras de Hobin Hood foi um dos primeiros filmes de grande sucesso a usar a tecnica Tecnicollor em que surgiu os primeiros filmes a cores e que na época, com essa tecnica as cores eram bem vivas.
Vencedor de 3 Oscar, As Aventuras de Hobin Hood é tipico exemplo de filme de aventura capa e espada em que herois e vilões eram bem definidos.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Cine Clássicos: Farrapo Humano

Sinopse: Em Nova York, Don Birman (Ray Milland) sonhava ser escritor, mas não consegue seu objetivo por estar sofrendo de um bloqueio. Assim, é completamente dominado pelo álcool e passa a ter como única meta obter dinheiro para continuar se embriagando, se esquecendo que as pessoas que o rodeiam sofrem por vê-lo neste estado e tudo fazem para afastá-lo da bebida. Mas enquanto a namorada, Helen St. James (Jane Wyman), editora de uma revista, quer ajudá-lo, ele bebe cada vez mais.

Billy Wilder aqui faz um dos seus melhores trabalho retratando as dificuldades de um homem que chega ao fundo do poço devido a bebida.
Um dos primeiros filmes do cinema americano que coloca realmente os pés no chão sobre a realidade, o que para época foi bastante ousado, já que a maioria das pessoas da época (e até hoje alias) vai somente ao cinema para esquecer os problemas da realidade.
Atenção para as otimas perfomasses do elenco, principalmente de Ray Milland vencedor do Oscar de melhor ator.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Cine Especial: Wood Allen: Ana e Suas Irmãs

Sinopse:
A amizade e o relacionamento de três irmãs vivendo em Nova York, seus conflitos amorosos e existenciais no meio de um grupo de amigos e parentes não muito homogêneo.

O filme acompanha o relacionamento entre todos eles durante dois anos, com humor e emoção. Amor, solidão e morte: os temas habituais de Allen estão presentes nestá crônica brilhante, vencedora dos Oscar coadjuvantes ( Michael Caine e Daiane Wiest)e roteiro original.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Cine Curiosidades: Marilyn Monroe estaria com 83 anos de vida

Caso estivesse viva, Marilyn Monroe estaria completando 83 anos de vida, mas o seu destino foi outro. Em 1962 em meio a crises e abusos de calmantes a atriz foi encontrada morta em sua casa. Da morte nasceu o mito que se criou com sua imagem, a cena dela com vestido branco subindo para cima no filme O Pecado Mora ao Lado se tornou iconica.

Abaixo deixo os melhores filmes da atriz, seja como personagem secundaria, seja como protagonista.

A Malvada

Joseph L. Mankiewicz a viu em Mentira Salvadora e logo a convidou para aparecer num pequeno papel em O Segredo das Jóias (1950) e em A Malvada (foto), no qual interpreta uma aspirante a atriz que acompanha um amigo da personagem de Bette Davis numa festa. Curiosidade: a personagem de Marilyn explica que estudou interpretação numa escola de artes dramáticas chamada Copacabana, como o bairro carioca.


Torrentes de Paixão

(1953), Ela interpreta uma esposa que se envolve numa trama de assassinato quando ela e o marido visitam as Cataratas do Niagara.


Eles Preferem as Loiras

Nesta comédia de 1953, de Howard Hawks, Marilyn encarna o papel que a acompanhou na maioria de seus próximos trabalhos: o da loira sedutora que, com pinta de inocente e desentendida, consegue o que quer dos homens.


omo Agarrar um Milionário

Em 1953 ajudou a construir essa aura de sex symbol em torno da figura de Marilyn.


O Pecado mora ao lado

Mas foi como a vizinha sedutora de Tom Ewell em O Pecado Mora ao Lado (1955) que Marilyn fincou suas marcas em Hollywood. A cena que traz Marilyn e sua saia esvoaçante tornou-se célebre. Além disso, foi a primeira vez que ela trabalhou com o gênio Billy Wilder.



Quanto mais quente melhor

Em 1959, Billy Wilder voltou a dirigir a musa nesta, que é uma das melhores comédias de todos os tempos. A atuação de Marilyn ainda lhe rendeu um Globo de Ouro de Melhor Atriz.

Cine Classicos: O Diário de Anne Frank

Sinopse: Holanda, 1942. Anne Frank (Millie Perkins) vive no sótão secreto de um estabelecimento comercial, juntamente com seus pais, Otto (Joseph Schildkraut) e Edith (Gusti Huber), e sua irmã Margot (Diane Baker). Além deles vive no local uma outra família judia, composta por Hans Van Daan (Lou Jacobi), Petronella Van Daan (Shelley Winters), Peter Van Daan (Richard Beymer) e Albert Dussell (Ed Wynn), um idoso dentista. Anne Frank, uma jovem de 13 anos, documenta sua vida enquanto se esconde da Gestapo da Holanda. Este refúgio foi providenciado por Kraler (Douglas Spencer) e Miep (Dodie Heath), bondosos proprietários de lojas. Por dois anos eles ficam escondidos, vivendo sempre na apreensão de saberem que podem ser traídos ou descobertos a qualquer momento e mandados para um campo de concentração. Apesar disto eles sonham com dias melhores, ao mesmo tempo em que Peter e Anne se apaixonam.

Esse filme do otimo diretor George Steves (Assim Caminha a Humanidade) nos prende a cada segundo e nos faz nos preocupar com o destino de cada personagem, mesmo que no fundo os seus destinos crueis sejam inevitáveis. Surpreendente a interpretação da jovem atriz Millie Perkins que nos chama atenção pelo seu amadurecimento ao longo da historia, curiosamente seria Audrey Hepburn (Bonequinha de Luxo) que faria a personagem Anne, o que não deixa de ser interessante as atrizes serem realmente bem parecidas. Em tempos em que o cinema relembra o holocausto com filmes como O Leitor e O Menino de Pijama Listrado, O Diário de Anne Frank é um otimo filme filme e exemplo que já em 1959, o cinema americano não tinha mais medo em tocar em certas feridas.

Curiosidades
- A personagem Anne Frank foi oferecida a Audrey Hepburn, que a recusou devido a dois motivos: já havia aceitado a proposta para estrelar A Flor Que Não Morreu (1959) e, por ter morado na Holanda durante a 2ª Guerra Mundial, acreditava que realizar este filme traria más lembranças de perseguições a judeus que presenciou na época.

Cine Dicas: Em cartaz no cinema: DIVÃ

Em cartaz: Divã

Em cartaz na região metropolitana, Filme brasileiro 'Divã' atinge a marca de 1,5 milhão de espectadores e se torna um dos melhores filmes brasileiros do momento em cartaz.

Título Original: Divã. Direção: José Alvarenga Jr. Elenco: Lília Cabral, José Mayer, Alexandra, Richter, Cauã Reymond, Reynaldo Gianecchini.

Sinopse: Mercedes (Lília Cabral) é uma mulher casada e com dois filhos que, aos 40 anos, tem a vida estabilizada. Um dia ela resolve, por curiosidade, procurar um analista. Aos poucos ela descobre facetas que desconhecia, tendo que contar com o marido Gustavo (José Mayer) e a amiga Mônica (Alexandra Richter) para ajudá-la.

Dirigido por José Alvarenga Jr., de Os Normais, a comédia Divã é baseada no espetáculo de teatro de mesmo nome, que veio de um livro da gaúcha Martha Medeiros. A peça, que foi vista por mais de 150 mil pessoas, também foi protagonizada por Lília Cabral. Quando o diretor foi assisti-la nos palcos, gostou tanto que foi até o camarim pedir que a atriz conseguisse autorização para que ele transformasse o espetáculo em um filme. Para o roteiro, ele chamou o ator Marcelo Saback, que também cuidou do texto na versão teatral.
Para o publico que jamais foi assistir essa peça no teatro (uma injustiça) é mais do que uma bela oportunidade conferir esse belo filme que aos poucos vem conquistando os brasileiros numa fase que o nosso cinema brasileiro está firme e forte, seja na nossa terra, seja lá fora.