Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de março de 2021

Cine Dica: Cine Dica: Streaming: 'WandaVision'

 Sinopse: Após os eventos de "Vingadores: Ultimato" (2019), Wanda (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany) se esforçam para levar uma vida normal no subúrbio e esconder seus poderes. Mas a dupla de super-heróis logo começa a suspeitar que nem tudo está tão certo. 

Após o encerramento da última fase dos estúdios Marvel nos cinemas muitos se perguntavam em que ponto a nova fase começaria, pois cada filme possui as suas sementes para germinar posteriormente, mesmo quando a maioria das obras funcionem de forma independente. Eis que a Marvel/Disney decidiu investir no Streaming com o Disney+ e em tempos de pandemia, onde boa parte dos cinemas do mundo se encontram fechados, esse novo investimento veio na hora certa para o ambos os estúdios. Eis que a primeira obra a chegar na plataforma é "WandaVision" (2021), minissérie em nove capítulos que surpreende ao colocar o estúdio em um novo patamar, tanto em formato como também em alguns pontos ousados.

Talvez uma das coisas mais certeiras foi terem começado a fazer uma minissérie focada em uma das personagens mais queridas pelo público, mas que, por vezes, não tinha o seu espaço merecido nas telas do cinema. Aparecendo pela primeira vez em "Vingadores - A Era de Ultron"(2015), Wanda, interpretada pela ótima atriz Elizabeth Olsen, sempre se apresentou como uma personagem complexa, trágica e tendo que enfrentar os seus próprios erros e perdas. Se no filme de estreia foi revelado que ela havia perdido os pais em um bombardeiro, além de perder posteriormente o seu irmão gêmeo Pietro (Aaron Johnson) nas mãos de Ultron, eis que a situação piora quando ela mata acidentalmente pessoas inocentes em "Capitão América - Guerra Civil" (2016).

Como se já não bastasse, em "Vingadores - Guerra Infinita" (2018) é revelado que ela iniciou um relacionamento amoroso com o androide Visão (Paul Bettany), sendo que o último é morto pelo vilão Thanos (Josh Brolin) por estar usando uma das joias do infinito. Após o final de "Ultimato", parecia que as coisas haviam se estabilizado, mas não para Wanda, que pelo visto não aceitou as suas perdas ao longo da vida. Eis que essa é a fórmula de sucesso de "WandaVision", ao retratar uma personagem cujo os poderes da magia se misturam com a dor que ela carrega e resultando em uma situação surpreendente.

Na minissérie, vemos Wanda e um Visão de volta a vida, casados e vivendo uma vida pacata uma cidade do interior. Porém, cada capítulo é moldado em uma espécie de homenagem as séries de tv americana de antigamente e cuja as referências vão desde "A Feiticeira" (1964) como "Jeannie é um Gênio" (1965). Os primeiros capítulos beiram ao humor, para momentos surreais, ou até mesmo assustadores e fazendo prender a nossa atenção de forma imediata.

A situação, gradualmente, vai sendo explicada e sendo revelado por personagens do lado de fora da cidade. Como de costume, a série usa personagens de outras produções, desde um que foi visto nos primeiros filmes de "Thor" (2011 - 2013), como também de "Capitã Marvel" (2019) e "Homem Formiga e Vespa" (2018), mas nada que possa comprometer o entendimento da trama. Curiosamente, várias teorias foram levantadas sobre o que realmente estava acontecendo ao longo da história, tanto que o nome Mefisto, um dos grandes vilões das HQ da Marvel, foi diversas vezes citado pelos fãs como o verdadeiro causador de tudo que estava acontecendo. Porém, a verdadeira causa de tudo se encontra mais embaixo e provando que os produtores não queriam cair no óbvio.

Tendo um material farto das mãos, baseado tanto em clássicos como também HQ recentes, os realizadores optaram em explorar ao máximo a personagem Wanda, cuja a mesma transita entre a razão, dor e a loucura.  Elizabeth Olsen nos brinda com a melhor atuação de sua carreira, ao passar através do seu olhar uma personagem que carrega, tanto um poder desconhecido pela própria, como também as dores nunca cicatrizadas e fazendo com que isso tudo se torne insustentável para continuar sendo guardado internamente. Se por um lado as diversas teorias dos fãs levantadas falharam, do outro, a verdadeira causa de tudo é muito bem aceitável e respeitando a essência da personagem como um todo e para aqueles que sempre acompanharam ela ao longo das décadas nas HQ.

Embora com um final transitando entre o previsível para momentos corajosos, "WandaVision" é uma obra feita com carinho para uma grande personagem que a tanto tempo merecia um melhor tratamento e os fãs só agradecem por esse grande feito.

Onde Assistir: Disney+

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

2 comentários:

Danilo Rosa Lisbôa disse...

Perfeito, Marcelo!
Concordo com tudo que você escreveu. Realmente, a Marvel acertou em cheio com essa produção e não só nos ensinou que, muitas vezes, menos é mais, como também nos transmitiu mensagens lindas e uma impecabilidade técnica e de produção que só eles sabem fazer!

Marcelo Castro Moraes disse...

Que bom que gostou Danilo. Acompanhe o meu blog de cinema.