Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sábado, 12 de junho de 2010

Cine Dicas: Lançamento em DVD (11/06/10)

Preciosa
Sempre há um fio de esperança


Sinopse: Ambientado no Harlem, em 1987, a história de Claireece "Preciosa" Jones, uma garota Afro-Americana de dezesseis anos de idade, que tem uma vida repleta de dificuldades. Abusada pela mãe, violentada por seu pai, ela cresce pobre, analfabeta, gorda, sem amor e geralmente passa despercebida por todos. Após muita luta, dor e impotência, Preciosa começa uma jornada que a levará ao um mundo de luz, amor e auto-determinação.
Cinema muitas vezes é uma espécie de fuga, para as pessoas relaxarem e esquecer os problemas do mundo real e na maioria das vezes encontrarmos algo positivo, mas muitas vezes o próprio cinema nos transporta para uma realidade dura e cruel, que muitas vezes nos tentamos ignorar, mas pode estar no outro lado da esquina. O filme dirigido por Lee Daniels retrata bem isso, ao contar a historia de uma jovem que passa por um verdadeiro inferno antes que alcance sua redenção, contudo, precisara aprender que, apesar de tudo, há esperança, mesmo que no primeiro contato soe estranho a ajuda. Gabourey Sidibe se sai bem como protagonista, algo incrível, se levarmos em conta que jamais havia pensado antes em querer atuar, mas ela consegue passar toda a dor e o peso do mundo que carrega perante ao mundo nebuloso que vive, mas é Mo'Nique que da um verdadeiro show de interpretação fazendo a mãe perversa. Se a intenção era termos nojo e raiva dela todo momento que ela surgisse na tela, o trabalho então foi comprido pois sentimos verdadeiro ódio pelo que ela faz contra a filha e não teve jeito, Mo'Nique levou o Oscar de atriz Coadjuvante devido seu trabalho magistral feito do inicio ao fim (alias o fim chocante com um desabafo da sua personagem).
Ao longo dos anos, Preciosa irá figurar facilmente como um dos melhores filmes dessa primeira década do século 21, ousado, chocante, mas por mais estranho que seja, traz uma mensagem de esperança. Cinema não é um ponto de fuga para encontrar algo positivo? Aqui neste filme há.



Nenhum comentário: