Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de março de 2010

Cine Curiosidades: A vilania domina de vez no Oscar

Quem disse que tem que ser bonzinho, com problemas de saúde, gay ou isso ou aquilo para ganhar um Oscar?? Não é bem assim, na verdade não importa que tipo de personagem o ator ou atriz seja, desde que faça muito bem pode com certeza ser reconhecido nos prêmios e no Oscar principalmente.  E o que tem me chamado a atenção Foi o numero de atores/atrizes que ganharam o Oscar na pele de um vilão.

Solto abaixo os meus cinco vilões preferidos que renderam um Oscar aos respectivos atores/atrizes.


Anthony Hopkins (Hannibal Lecter) Os Silencio dos Inocentes
Versátil como ninguém, Anthony Hopkins já fez inúmeros papeis no mínimo inesquecíveis, chegando ao ponto de ser até o próprio Zorro num filme de 1998, contudo, todos sempre irão se lembrar dele como Hannibal Lecter em O Silencio dos Inocentes.
Com pouco mais de trinta minutos de tempo em cena, Hopkins domina o espectador com seu olhar, suas palavras afiadas e seu domínio de cena no qual todos ficam imunes a sua volta. Todas as cenas de Hopkins no filme são ótimas mas as com ele conversando com a personagem de Jodie Foster (Clarice Sterling) entrou para os momentos inesquecíveis do cinema.


Heath Ledger (Coringa) Batman: Cavaleiro das Trevas
No filme anterior, Christopher Nolan havia dado uma dica do que estaria por vir no futuro mas nem mesmo o mais fanático poderia prever de como esse vilão, tão querido e odiado pelos amantes dos quadrinhos pudesse render um dos momentos mais extraordinários do cinema recente.
Em Cavaleiro das Trevas ninguém esta seguro, muito menos o homem morcego, perante um homem que simplesmente faz as coisas que faz por nada em troca, quer somente ver as coisas pegarem fogo, então como deter esse tipo de gente??
Heath Ledger simplesmente sumiu no personagem e o que vemos é um Coringa inteligente, sarcástico, suicida e completamente louco mas ao mesmo tempo sabendo muito bem o que quer, caos total. Difícil dizer qual a melhor cena mas com certeza talvez seja aquela que os dois protagonistas estão sentados um na frente do outro e o vilão simplesmente coloca o homem morcego na palma da sua mão e o deixando impotente.


Christoph Waltz (coronel Hans Landa) Bastardos Inglórios
Quentin Tarantino tem uma grata mania de trazer atores esquecidos, para os seus filmes para dar uma reerguida em suas carreiras. Mas em Bastardos Inglórios ele faz o oposto, ele foi para o outro lado do mundo para trazer e apresentar a nos o ator australiano Christoph Waltz. No filme ele interpreta o coronel Hans Landa, um verdadeiro caçador de Judeus que já no inicio do filme, após uma longa e interessantíssima conversa com um fazendeiro, fuzila (quase) uma família inteira de judeus em meio a um tom de deboche insano mas em alto controle de uma maneira surpreendente.
coronel Hans Landa é um tipo de personagem que não sabemos o que irá fazer em seguida sendo completamente imprevisível nos seus atos, ao mesmo tempo é o típico vilão que adoramos e odiamos.


Javier Bardem (Anton Chigurh) Onde Os Fracos Não Tem Vez
As vezes você não precisa dizer uma única palavra pois os seus atos as vezes podem falar por si só. Com certeza o personagem de Javier Bardem entende muito bem disso, já que os seus atos terríveis falam por ele no filme dos irmãos Coen. Na trama Javier faz um assassino profissional cuja a missão é encontrar uma valise cheia de dinheiro que acabou indo parar nas mãos erradas do caçador pouco esperto, Llewelyn Moss (Josh Brolin).
A caçada de gato e rato se estende em momentos inesperados da trama e não importa o que aconteça, nada detém Anton Chigurh e suas maneiras um tanto que estranhas em matar quem aparecer em seu caminho.


Kathy Bates (Anne Marie Wilkes) Louca Obsessão
"Sou sua fã numero um”. Essa frase com certeza deve assombrar ainda hoje algumas celebridades que ficaram com medo após assistir a esse filme, pois talvez não exista coisa pior do que uma fã obcecada por você ao ponto de te matar.
No filme Kathy Bates faz uma ex enfermeira com um passado nebuloso e com uma vida infeliz, onde seu único refugio de felicidade é nos livros escritos por Paul Sheldon (James Caan). Certa ocasião em uma nevasca, Paul se acidenta de carro e justamente Anne o resgata e o cuida em sua casa, ao mesmo tempo começa as exigências perante ao escritor e num momento chave deixa bem claro que não é muito bem da cabeça.
Kathy Bates simplesmente se transforma numa pessoa com sérios problemas mentais  e a torna completamente imprevisível (sua cena do martelo é digna de nota, uma das cenas mais doloridas de se ver na historia).

Nenhum comentário: