Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 31 de março de 2010

Cine Clássicos: Drácula: O Principe das trevas

Filme que somente provou uma coisa: Christopher Lee sempre será lembrado como Drácula
Sinopse
Jovens casais viajando em férias são aconselhados por moradores de um pequeno vilarejo na região das Montanhas Carpathians a desistir de seus planos. Segundo os habitantes da região uma maldição vive escondida no interior da floresta. Julgando tratar-se de mera superstição dos moradores locais, os viajantes ignoram o aviso e partem em direção ao desconhecido. Abandonados pelo cocheiro em pleno interior da floresta, eles caminham até um castelo onde poderão contar apenas com a hospitalidade do Conde Drácula.
Seqüência do clássico O Vampiro na noite e novamente estrelado pelo eterno Drácula Christopher Lee. O filme apesar de ser inferior em laguns aspectos (a ausencia do otimo Van Helsing (Peter Cushing) é sentida) o filme é um otimo exemplar da boa e velha experiência de se assistir um bom filme de horror do pioneiro estúdios Hammer. Curiosamente neste filme Drácula não fala nenhuma palavra, isso porque Lee não gostou do roteiro que foi escrito por Jimmy Sangster (creditado como John Sansom), a partir de uma história do produtor Anthony Hinds (sob o pseudônimo de John Elder). Tanto que para evitar a possibilidade de uma repercussão insatisfatória de seu personagem, ele pediu que sua participação fosse silenciosa, ou seja, o vampiro não diz uma única palavra no filme inteiro, apenas atuando com expressões faciais, e somente entrou em cena após quase cinqüenta minutos de história. Mesmo não falando nada, a presença de Christopher Lee é sempre marcante.

Nenhum comentário: