Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio e comunicador do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Cine Dica: O que Vem Por aí na Cinemateca Capitólio

A Última Sessão de Cinema

A Cinemateca Capitólio retoma a programação em fevereiro com a estreia de dois filmes, Vitalina Varela, do diretor português Pedro Costa, e Cena do Crime, do brasileiro Pedro Tavares, e dois ciclos especiais. Liz Taylor – 90 anos, apresenta uma seleção de clássicos protagonizados pela diva Elizabeth Taylor, incluindo Cleópatra, Um Lugar ao Sol e Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, no mês em que ela celebraria seu nonagésimo aniversário. O cinema de Peter Bogdanovich apresenta seis obras de um dos nomes incontornáveis da Nova Hollywood, que nos deixou em janeiro, incluindo A Última Sessão de Cinema, Lua de Papel e Muito Riso e Muita Alegria. 


Detalhes das programações em breve!


(UM POUCO) DO QUE VEM POR AÍ


Ao longo do ano, a Cinemateca Capitólio seguirá apresentando estreias de filmes independentes e sessões especiais comentadas de obras clássicas e contemporâneas. O cinema produzido no Rio Grande do Sul será foco da mostra A retomada do cinema gaúcho (abril), que discutirá o renascimento da produção cinematográfica nos anos 1990, após o fim traumático da Embrafilme, a partir de filmes produzidos no estado. A memória de Leila Diniz (setembro), estrela revolucionária do cinema brasileiro moderno, morta em 1972 em um acidente aéreo, será celebrada em uma programação especial.

A mostra Filme como um objeto no espaço – Um olhar sobre acervos de cinema e suas restaurações (junho/julho) apresenta um panorama de restaurações recentes e inéditas no Brasil de diferentes arquivos de importantes acervos cinematográficos do mundo. As sessões contarão com apresentações dos curadores Aaron Cutler e Mariana Shellard (Mutual Films) sobre os processos envolvidos em cada caso, mostrando a diversidade técnica e conceitual no meio da preservação.

A mostra A era do VHS (outubro), em torno da consagração das fitas magnéticas no início dos anos 1980, apresentará dois focos, um dedicado a obras que marcaram o período de ouro das videolocadoras, e outro destacando filmes que comentam a aparição do vídeo em suas tramas, como Videodrome, de David Cronenberg, e Sexo, Mentiras e Videotapes, de Steven Soderbergh. Com curadoria do pesquisador Pedro Henrique Gomes, a mostra Câmeras da África (maio) apresentará uma série de clássicos produzidos no continente africano entre as décadas de 1950 e 1990. 

Celebraremos o aniversário de 40 anos de E.T. O Extraterrestre, de Steven Spielberg com um ciclo especial (julho) em torno de um dos temas mais revisitados do cinema: a visita de alienígenas ao planeta terra. Um dos homens mais talentosos que caíram na terra, o artista inglês David Bowie também será tema de uma retrospectiva (maio), em comemoração aos 50 anos de um dos seus discos mais lendários, The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. A mostra Animações japonesas (junho), uma parceria com a Fundação Japão e o Consulado Japonês no Brasil, apresentará na tela da Capitólio animes de importantes realizadores contemporâneos como Makoto Shinkai, Keiichi Hara e Toshio Hirata. Outros ciclos dedicados a realizadores que marcaram a história do cinema, como os franceses Robert Bresson (março) e Chris Marker (agosto), e o norte-americano Francis Ford Coppola (março), fazem parte da programação de 2022.


SESSÃO PLATAFORMA

Uma das grandes atrações deste ano é o retorno da Sessão Plataforma, programação que apresenta longas-metragens contemporâneos inéditos na cidade. Produzida por Davi Pretto e Paola Wink, a sessão exibiu entre 2013 e 2016, na Sala P. F. Gastal, destaques internacionais que não tiveram distribuição comercial no Brasil. Em 2022, os curadores propõem em sessões mensais, distribuídas ao longo do ano, um panorama arejado e instigante da produção contemporânea, mesclando jovens e veteranos realizadores, novos e outros olhares de diferentes continentes.


SESSÃO VAGALUME E PROJETO RAROS

Dois dos projetos mais tradicionais da Coordenação de Audiovisual seguirão protagonistas na programação de 2022. Com periodicidade bimensal, a Sessão Vagalume, produzida pelo Programa de Alfabetização Audiovisual, apresentará sua seleção diversificada e eclética, aproximando a história do cinema aos filmes produzidos no período contemporâneo, em exibições especiais para as crianças de todas as idades. O Projeto Raros, em cartaz desde 2003, celebrará a 250ª edição em 2022, mantendo-se fiel ao seu lema, o de apresentar “filmes que você sempre quis ver ou nem imaginava que existiam”. 

Até breve!

Nenhum comentário: