Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Cine Dica: PROGRAMAÇÃO DE JUNHO CINEMATECA CAPITÓLIO PETROBRAS

Symptoms é destaque no projeto raros

São muitas as galáxias cinematográficas na programação de junho da Cinemateca Capitólio Petrobras. Entre os grandes destaques: a estreia exclusiva do vencedor do Leão de Ouro do último Festival de Veneza, A Mulher Que Se Foi, novo drama monumental do diretor filipino Lav Diaz. E as pré-estreias de duas produções do Rio Grande do Sul, o aguardado Mulher do Pai, primeiro longa-metragem de Cristiane Oliveira, e o novo curta-metragem de Antonio Carlos Textor, A Liga dos Canelas Pretas. Outra exibição imperdível: o clássico O Estranho Que Nós Amamos, dirigido por Don Siegel e protagonizado por Clint Eastwood, obra-prima que acabou de ganhar uma refilmagem de Sofia Coppola. E a homenagem ao escritor Moacyr Scliar, que completaria 80 anos em 2017, com a exibição e debate do longa O Sonho no Caroço do Abacate, de Luca Amberg, e Aventuras no Carnaval (ou Labirintos do Inconsciente), de Cristiano Trein. E ainda recebemos a primeira edição do projeto Trilhas Filmadas, com performances musicais que criam uma atmosfera contemporânea durante a projeção do clássico Metrópolis, de Fritz Lang.

Entre as sessões comentadas, a particular comédia romântica da grande Chantal Akerman, Um Divã em Nova York, atração do Cineclube Academia das Musas; e um marco tenso e erótico do cinema britânico de horror, dirigido por José Ramon Larraz, dentro do Projeto Raros: Symptoms. Na Sessão da Tarde, a exibição dublada para toda a família da Cinemateca, há a animação Coraline e o Mundo Secreto, adaptação da novela fantástica de Neil Gaiman.

As mostras do mês também trazem muito cinema brasileiro à tela da Cinemateca. A 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanosnesta edição homenageia a cineasta Laís Bodanzky. E pela primeira vez Porto Alegre recebe sessões – especialmente programadas para a cidade! – do Festival Finos Filmes, que teve sua quarta edição apresentada no último mês em São Paulo. Aproveitem! 

MOSTRAS

11ª MOSTRA CINEMA E DIREITOS HUMANOS
06 a 11 de junho

A Cinemateca Capitólio Petrobras recebe a 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos a partir do dia 6 de junho. Na programação deste ano, temos a Mostra Panorama, com um cardápio diverso e especialmente selecionado de temas e abordagens sobre Direitos Humanos; a Mostra Temática, com um diálogo franco e atual sobre a questão de gênero; a Mostra Homenagem, que pela segunda vez na história da Mostra homenageia uma cineasta brasileira – Laís Bodanzky; e a novidade da edição: a Mostrinha para o público infanto-juvenil. Entrada franca.

FINOS FILMES
13 e 15 de junho

O Festival de Finos Filmes é uma mostra de curtas que ocorre anualmente em São Paulo. Mais do que um evento de exibição, a intenção é apresentar os filmes como ponto de partida para debates que ultrapassam o cinema, como política, habitação e direitos humanos. Em todas as edições, o festival homenageia a cinematografia de um país estrangeiro. Neste ano, o escolhido é Portugal, que trouxe ao evento diversos curtas premiados em Cannes, Berlim e Locarno, de cineastas renomados como Gabriel Abrantes, Manuel Mozos e Susana Nobre. Com curadoria de Bruno Carboni e Felipe Arrojo Poroger, o Finos Filmes desembarca em Porto Alegre para duas sessões nos dias 13 e 15 de junho: uma com quatro filmes brasileiros da programação e outra só com curtas portugueses. Entrada franca.


EM CARTAZ

A Mulher Que Se Foi (a partir de 15 de junho)
(Ang Babaeng Humayo)
228 minutos, Filipinas, 2016
Direção: Lav Diaz

Horacia passou os últimos 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, ela leva uma vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem a leitura e a escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca de sua família então distante. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, Horacia descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990 –, apenas para concluir que seus habitantes vivem aterrorizados pela corrupção e sequestros desenfreados. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança. A mulher que se foi recebeu o Leão de Ouro na Mostra de Cinema de Veneza, em 2016. Exibição em DCP.

PRÉ-ESTREIA
Mulher do Pai
94 min., Brasil/Uruguai, 2017
Direção: Cristiane Oliveira
A adolescente Nalu (Maria Galant) precisa cuidar do pai cego, após a morte da avó que os criou como irmãos. Quando Ruben (Marat Descartes) percebe o amadurecimento da filha, surge uma desconcertante intimidade entre eles. Mas, com a chegada de Rosário, o ciúme ganhará espaço na vida de ambos. Exibição em DCP.

A Liga dos Canelas Pretas
26 min., Brasil, 2017
Direção: Antonio Carlos Textor
14 de junho – 20h

O filme é baseado em materiais de arquivo e depoimentos de pessoas que combatem o preconceito racial no Rio Grande do Sul. As narrativas abrangem fatos históricos do final do século XIX e início do século XX, sobre inserção do negro na prática do futebol que era esporte da elite branca. Com representações ficcionais, visa ilustrar como se deu o processo de ingresso do negro no futebol e em paralelo, na sociedade rio-grandense, considerando a resistência alimentada, na época, por uma postura racista, herança da sociedade escravocrata e também, pelo sucessivo e cruel, processo conhecido como “branqueamento”, pelo qual o Brasil passou após o final da escravidão. Exibição em HD.

SESSÕES ESPECIAIS

CLÁSSICO EM EXIBIÇÃO
O Estranho Que Nós Amamos
(a partir de 13 de junho)
(The Beguiled)
105 min., Estados Unidos, 1971
Direção: Don Siegel
Distribuição: MPLC

Clint Eastwood e Geraldine Page estrelam este tenso drama psicológico sobre amor e traição. Durante a Guerra Civil Americana, um soldado da União ferido é abrigado pela diretora e pelas estudantes de um colégio para garotas no Sul do país. Enquanto sua saúde melhora, seu desejo aumenta. Poderá ele confiar que estas mulheres não irão entregá-lo? Exibição em HD.

PROJETO RAROS
16 de junho – 20h Symptoms
92 min., Inglaterra, 1974
Dirigido por José Ramon Larraz

Uma mulher vai para uma mansão no interior da Inglaterra a convite de sua amiga. O problema é que a mansão não é o que parece – e nem a amiga!  Indicado pela Inglaterra para o Festival de Cannes de 1973 e admirado pelo ator Jack Nicholson, então membro do júri, o filme do espanhol José Ramon Larraz andava fora de circulação desde 1983. Foi restaurado pela BBFC em 2016. Ao aproximar a tensão erótica e o terror, em sua época foi muito comparado a Repulsa ao Sexo de Roman Polanski. Após a sessão, debate com os pesquisadores Carlos Thomaz Albornoz e Paulo Blob. Exibição em HD com legendas em português. Entrada franca.

CINECLUBE ACADEMIA DAS MUSAS
20 de junho – 20h
Um Divã em Nova York
(Un Divan à New York)
104 min., França/Alemanha/Bélgica, 1996
Direção: Chantal Akerman
Distribuição: MPLC

O doutor Henry Harriston (William Hurt) é um importante psicanalista novaiorquino. Béatrice Saulnier (Juliette Binoche) é uma bailarina francesa. Os dois decidem trocar de apartamentos por algumas semanas, para fugir da rotina e do stress. Mas como a decisão é tomada da noite para o dia, eles acabam se envolvendo nos assuntos pessoais, profissionais e amorosos do outro. A comédia romântica Um Divã em Nova York é, ao mesmo tempo, o maior fracasso e o filme mais singular da trajetória de Chantal Akerman, diretora que abriu diversas portas para o cinema experimental contemporâneo, desde a sua estreia em longa-metragem nos anos 1970. Após a sessão, debate com integrantes do Cineclube Academia das Musas. 


MOACYR SCLIAR – 80 ANOS
23 de junho – 20h

O Sonho no Caroço do Abacate
90 min., Brasil, 1998
Direção: Luca Amberg

A história do filho de um casal de imigrantes judeus lituanos que se estabelece no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, nos anos sessenta. O jovem Mardo (Edward Boggiss) se apaixona por Ana (Taís Araújo), uma estudante negra. Para ficarem juntos, os jovens encontram no amor a força e a determinação para enfrentarem a discriminação na escola onde estudam e o preconceito entre as famílias. Exibição digital.

Aventuras no Carnaval (ou Labirintos do Inconsciente)
12 min., Brasil, 2011
Direção: Cristiano Trein

As aventuras de Ego Schimdt, um jovem funcionário de uma repartição pública, que durante o Carnaval de Porto Alegre, pede ao chefe que o deixe trancado dentro do escritório. Id e Super-Ego também aparecem nessa história que transformará a vida dos personagens principais, com um final surpreendente. Exibição digital.

TRILHA FILMADA: METROPOLIS DE FRITZ LANG
24 e 25 de junho – 20h

Músicos representativos da cena eletrônica, guitar band e jazz de Porto Alegre orquestram performances ao vivo criando uma nova trilha sonora para clássicos filmes silenciosos. Na primeira edição, Nando Barth,LavalleCoraZonDeLLocoPhantom Powers e Dominik criam ao vivo uma nova trilha sonora para o clássico Metrópolis (1927, 153 minutos), de Fritz LangTrilhas Filmadas busca recriar uma atmosfera contemporânea através de breves intervenções sonoras e momentos dedicados a canções autorais. Produção e curadoria de Carlos Ferreira.

SESSÃO DA TARDE
02 de julho – 16h (R$ 10,00)

Coraline e o Mundo Secreto
(Coraline)
90 min., Estados Unidos, 2009
Direção: Henry Selick
Distribuidora: MPLC

Coraline Jones está entediada em sua nova casa, até que encontra uma porta secreta e descobre, do outro lado, uma versão alternativa de sua própria vida. Adaptação da novela fantástica de Neil Gaiman. Exibição dublada em HD.

Nenhum comentário: