Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Cine Especial: PATRICIA ARQUETTE




Antes 2014, eu estava me perguntando onde estava Patrícia Arquette, mas eis que graças ao filme Boyhood, eu acabei adquirindo algumas informações: estrela dos anos 90 no cinema, Arquette acabou dando uma boa sumida, mas ganhou novamente evidencia na série de TV Medium, onde foi indicada á inúmeros prêmios. Com Boyhood decidi dar uma olhada para trás e rever essa promissora atriz que surgiu nos anos 90 ao lado da irmã Rosana Arquette.

Amor à Queima Roupa

 

Embora tenha estreado em A Hora do Pesadelo 3, Arquette foi somente ganhar os holofotes a partir desse filme de Tony Scott (Sede de Viver). Aqui, Arquette interpreta uma garota de programa, mas que se apaixona pelo seu primeiro cliente (Christian Slater) e ambos iniciam uma ardente e perigosa relação, aonde envolve cinema e drogas. Com roteiro de Quentin Tarantino, o filme possui um elenco estelar, humor negro acalorado, muitos doses de violência  e um final surpreendente. 
   


Ed Wood

Num dos melhores filmes da década de 90, Tim Burton reconstrói com sucesso a vida e carreira de Ed Wood, considerado um dos piores diretores de cinema de todos os tempos. O filme é uma bela homenagem, não somente ao cineasta, como também a todos que amam a 7ª arte. Arquette aparece mais no final, mas tem um papel fundamental na trama.



A Estrada Perdida

Num dos melhores e mais bizarros filmes de David Lynch (Cidade dos Sonhos) Arquette interpreta duas personagens diferentes, mas que ao mesmo tempo parecem (ou não) ser a mesma pessoa. Estrelado por Bill Pullman (Independence Day), o filme possui inúmeras reviravoltas e cada um tira a sua própria interpretação sobre o que viu na tela.  

 

Vivendo no Limite

Numa verdadeira mistura de Plantão Médico e Taxi Drive, o mestre Martin Scorsese nos brinda com uma trama de paramédicos de uma ambulância, em que eles convivem com noites terríveis nas ruas de Nova York. O protagonista é Nicolas Cage que, vive assombrado por pessoas que ele não conseguiu salvar, mas que talvez consiga uma rendição ao tentar salvar a vida de um senhor que, é pai de Arquette na trama. Curiosamente Cage e Arquette eram casados na época.   



Boyhood: Da Infância à Juventude

Depois de alguns anos se dedicando a carreira televisiva, Arquette se torna forte candidata a ganhar o Oscar de atriz coadjuvante por esse filme. Por quê? Leiam a minha critica clicando aqui.  

Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: