Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sábado, 19 de abril de 2014

Cine Dica: Em Cartaz: Crônica do Fim do Mundo


Sinopse Pablo, um senhor de 70 anos, perdeu a esposa há cerca de 20 anos, durante uma explosão em Bogotá, e quase não sai mais de casa. Seu filho, Felipe, acaba de ter um bebê e sofre para cuidar da sua relação com a esposa. A vida dessa família vai ser afetada pela aproximação do fim do mundo, que segundo o calendário Maia ocorrerá em dezembro de 2012.

Divertido e emocionante longa sobre personagens,  em que suas vidas  pessoais estão prestes (aparentemente) a cair. O alardeado apocalipse de 2012 fica por aqui em segundo plano, para então explorar o lado desesperado e imprevisível dos personagens com relação ao juízo final, sendo que o roteiro se concentra principalmente nos personagens  principais que são o  pai e filho. Pablo (Victor Hugo Morant), um professor aposentado, não sai de casa há três décadas, desde a morte de sua esposa na explosão de uma bomba em Bogotá. Já seu o filho, Felipe (Jimmy Vasquéz), se divide entre os cuidados com o pai e a atenção à sua esposa e filho. 
Isolado em casa e com imensa tristeza, enquanto aguarda pelo apocalipse, Pablo vê o mundo através do olhar do filho, que filma pelo celular seu passeio pelas ruas. Insatisfeito com tudo, o ex-professor aproveita a atmosfera apocalíptica  para se vingar com palavras pelo telefone. Através de ligações telefônicas para pessoas de seu passado, Pablo empreende um acerto final – e, diga-se de passagem, desaforado – de contas.
Isso acaba rendendo os momentos mais divertidos do longa, principalmente quando ele acaba ligando para alguém que o ameaça de morte e fazendo ele ficar paranoico. Felipe por sua vez está em crise tanto profissional quando matrimonial, e encara sua existência com abatimento e temor. Um filme de pouco custo,  passado quase sempre nas mesmas locações e com raras externas, o longa realiza  realiza uma ótima analise psicológica com relação aos personagens. 
Seu roteiro sincero combina elementos que suscitam conflitos e trazem ritmo, garantindo assim o interesse do espectador durante a projeção.“Crônica do Fim do Mundo” agrada por sua abordagem sensível e interessante da desilusão e do desamparo na vida contemporânea. 

Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Um comentário:

Unknown disse...

Muito bom e perfeita tua crítica, me surpreendi positivamente com o filme, bem legal!!!!