Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Cine Dica: Curso: PIONEIROS DO CINEMA


Apresentação

Já se falou muito a respeito do começo do Cinema, em abordagens diversas, contrastantes e, por vezes, polêmicas. O fato é que encontramos a gênese do Cinema em todo o lugar: na caverna de Platão; no teatro de sombras chinês; na lanterna mágica; nas locomotivas; nos panoramas; na pintura; nos circos; na fotografia; no teatro; até mesmo na costela de Adão, como assinalou o cineasta brasileiro Rogério Sganzerla. Certamente muitos dos pioneiros astuciosos do final do século XIX, homens que carregavam ao mesmo tempo o dom da alquimia e o da ciência, tinham essas (e outras) referências na cabeça quando desenvolveram, cada um a sua maneira, uma forma de eternizar os movimentos do mundo. Como destaca o escritor e crítico de cinema Mark Cousins "a invenção dessa maravilha ocidental foi complicada, uma espécie de corrida caótica".


Como um marco inicial, entretanto, fixou-se a noite de 28 de dezembro de 1895, quando os irmãos Lumière realizaram a célebre sessão no Grand Café em Paris com algumas de suas primeiras obras-primas. Não é difícil entender por que essa noite é tão importante, afinal, o que conhecemos hoje por Cinema, apesar das telas espalhadas em todos os lugares, ainda guarda muito da estrutura oferecida àqueles privilegiados espectadores. No entanto, seria um erro pensar na noite de estreia dos Lumière apenas em termos de espaço de projeção / exibição. É preciso pensar nos filmes, no que brilhava na tela e deixava os espectadores perplexos.










No trem da história, apesar de ser citado muitas vezes como o inventor que deu o primeiro passo e depois abandonou sua criatura, sem deixar muitas heranças estéticas e narrativas, Louis Lumière é dono de uma obra que deixou marcas profundas em todo o Cinema, sendo uma espécie de fundador da obsessão com o real que vai reger o Cinema até hoje, também inspirando outras rupturas em relação à sétima arte.











Georges Méliès, em contrapartida, é tido por muitos como aquele que realmente encontrou uma finalidade artística para o Cinema: o de contar histórias - determinando especialmente o modo como essas narrativas deveriam ser contadas. É o que diz o crítico e pesquisador francês Georges Sadoul: "no alvorecer do século XX, Georges Méliès salvou o cinema ao inventar a mise en scène". Ainda segundo Sadoul, o triunfo inicial do realismo de Lumiére conduziu, em poucos anos, o Cinema a um beco sem saída. Não somente pela introdução da fantasia e da trucagem, Méliès é colocado como o primeiro a salvar o Cinema de sua morte por ter estabelecido os laços com o teatro, iniciando assim uma definição rigorosa de encenação que vai influenciar a construção da gramática cinematográfica.











Objetivos
Ministrado pelo crítico e jornalista Leonardo Bomfim, o curso LUMIÈRE, MÉLIÈS & OUTROS PIONEIROS, tem o objetivo de, num sentido geral, identificar as ideias sobre o Cinema que os primeiros filmes apresentam e encontrar seus principais seguidores ao longo das décadas, do período clássico ao contemporâneo.
Não é necessário nenhum pré-requisito para frequentar esta atividade.

Conteúdo programático
  • Situar historicamente as obras de Lúmière, Méliès e de outros pioneiros da virada do século XX e identificar de que forma elas foram revisitadas posteriormente.
  • O que é o real na obra de Lumière e a ficção na obra de Méliès. É possível ver Lumière como ficção e Méliès como realista?
  • A rápida separação de Lumière e Méliès em dois territórios distintos e as tentativas de aproximação ao longo dos anos.
  • A influência do teatro que Méliès trouxe conscientemente ao Cinema.
  • A referência da pintura do final do século XIX no cinema de Lumière.
  • Entender como o Cinema desenvolve suas ferramentas de linguagem na primeira década de vida até os voos maiores de cineastas como D. W. Griffith, Cecil B. DeMille e Louis Feuillade.


Ministrante: Leonardo Bomfim

Jornalista e Mestre em Comunicação Social (PUCRS). Membro da Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (ACCIRS). Curador das mostras "Cinema Marginal" e "Cinema Black", realizadas na sala de cinema P. F. Gastal. Diretor do documentário em longa-metragem Nas paredes da Pedra Encantada (2011). Diretor do videoclipe A Marchinha Psicótica de Dr. Soup, do Júpter Maçã. Publicou artigos em revistas como Teorema; Norte; Noize e em sites como Senhor F; Fronteiras do Pensamento e Rock Press. Editou o site Freakium, sobre cultura pop, música e cinema, de 2005 a 2007. Já ministrou os cursos "Novos Cinemas dos Anos 60" e "Brian De Palma: O Poder da Imagem", pela Cena UM.


Curso
"LUMIÈRE, MÉLIÈS & OUTROS PIONEIROS" - de Leonardo Bomfim

Datas: 03 e 04 / Maio / 2014 (sábado e domingo)
Horário: 13h30 às 16h
Local: Santander Cultural (Rua Sete de Setembro, 1028 - Porto Alegre / RS)
Investimento: R$ 80,00 (valor promocional de R$ 70,00 para as primeiras 10 inscrições - * Válido apenas para pagamentos por depósito bancário)
Formas de pagamento: Depósito bancário ou Cartão de crédito (PagSeguro)
Material: Apostila e Certificado de participação

Informações:

Inscrições:


* Realização: Cena UM Produtora Cultural
* Patrocínio: Back in Black  /  Sapere Aude Livros
* Apoio: Santander Cultural  /  Facool
* Parceria: Espaço Vídeo

Nenhum comentário: