Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 6 de julho de 2021

Luto: Richard Donner (1930 - 2021)

Quando eu ministrei o curso sobre o diretor Christopher Nolan pelo Cine Um em 2019 eu destaquei o fato de o cineasta ser obcecado por inserir bastante realismo em suas obras, ao ponto da palavra verossimilhança fazer todo o sentido. A palavra verossimilhança ou verossimilhança, em linguagem coerente ao atributo daquilo que parece intuitivamente verdadeiro, isto é, o que é atribuído a uma realidade portadora de uma aparência ou de uma probabilidade de verdade, na relação ambígua que se estabelece entre imagem e ideia.

Porém, não foi através de Nolan que eu conheci essa palavra, mas de alguém que acreditou e conseguiu fazer a gente crer que um homem poderia voar. Vindo da direção dos seriados de tv, o diretor Richard Donner chamou atenção do público e da crítica ao dirigir o seu primeiro longa-metragem para o cinema, o clássico de terror "A Profecia" (1976), do qual ele somente aceitou dirigir a obra se tivesse a liberdade de dosar grandes momentos de realismo mesmo quando o filme trata de um gênero tão fantástico. Isso se acentuou ainda mais no que é, talvez, em um dos filmes mais importantes de sua carreira e do gênero super heróis para o cinema.

Convidado por produtores da Warner, Richard Donner teve a chance de dirigir o seu primeiro grande projeto, mas cuja a missão era das mais ingratas. Nos anos setenta, por exemplo, era quase impossível levar adaptações de HQ para o cinema e tv a sério, ao ponto das adaptações quase sempre era levadas para as telas em um tom pastelão e do qual se tornou popular através do clássico "Batman e Robin" (1966). Isso tudo mudou através de "Superman" (1978), filme em que o diretor fez questão de usar todos os recursos da época para fazer com que o protagonista realmente voasse diante de nossos olhos.

Com roteiro de Mario Puzo, e com participação de Marlon Brando, o filme ganhou um tom épico nas mãos do diretor, cuja a origem do personagem foi criada sem pressa e fazendo com que adentrássemos a essa fantasia grandiosa. Com uma ótima atuação de Christopher Reeve, "Superman" é até hoje apontado com uma das melhores adaptações de HQ para o cinema de todos os tempos e provando que as velhas técnicas de se filmar ainda hoje impressionam pelo seu realismo se for comparado hoje em dia aos efeitos digitais que, por vezes, envelhecem mal na medida em que o tempo passa.  Os anos oitenta, portanto, fizeram com que o diretor entrasse na nova década com o pé direito.

Só em 1985 o diretor havia realizado dois grandes clássicos que se tornariam populares pelos brasileiros através da "Sessão da Tarde". Tanto "Os Goonies" como "Feitiço de Aquila" são lembrados com muito carinho pelos cinéfilos, sendo que o primeiro conquistou uma geração inteira de jovens que não se cansam de reverem a fantástica aventura de um grupo de crianças que tentam encontrar um tesouro perdido. Como se isso não bastasse, em 1987 Donner revoluciona o cinema de ação com a franquia "Máquina Mortífera", da qual trazem a dupla Mel Gibson e Danny Glover lado a lado contra diversos bandidos maliciosos.

Richard Donner não pararia de dirigir até 2006, sendo que o seu último filme foi "16 Quadras", mas nada que lembrasse os tempos mais dourados de sua carreira. O diretor parte deixando um grande legado, ao provar que não importa qual história a ser criada, desde que tenhamos a sensação de que realmente podemos senti-la e toca-la. Provou que um homem poderia voar, agora é a vez próprio voar para além da eternidade.  

Descanse paz. 


Direção: 

2006 16 Quadras

2003 Linha do Tempo

1998 Máquina Mortífera 4

1997 Teoria da Conspiração

1995 Assassinos

1994 Maverick

1992 Máquina Mortífera 3

1992 Tales from the Crypt - Temporada 4

1990 Tales from the Crypt - Temporada 2

1989 Máquina Mortífera 2

1989 Tales from the Crypt - Temporada 1

1988 Os Fantasmas Contra-atacam

1987 Máquina Mortífera

1985 O Feitiço de Áquila

1985 Os Goonies

1982 O Brinquedo

1980 Superman 2 - A Aventura Continua

1978 Superman - O Filme

1976 A Profecia

1974 Kojak - Temporada 2

1973 Kojak - Temporada 1

1966 The Wild wild West - Temporada 2

1963 Além da Imaginação - Temporada 5

1960 Wanted: Dead or Alive - Temporada 3


Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: