Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Cine Dica: Durante a Quarentena Assista: ‘Má Educação’


Sinopse: O sistema educacional dos Estados Unidos é abalado quando é descoberto o maior escândalo de apropriação indébita de fundos de escolas públicas na história do país. 

Busque, entenda. E é a partir dessa frase que é moldada a trama de "Má Educação" novo filme original da HBO. Dirigido por Cory Finley, o longa-metragem se envereda sobre esse caso verídico, passado nos EUA, para falar sobre corrupção, impunidade, jornalismo, investigação. Basicamente, o filme fala sobre pessoas comuns, com suas falhas, ganancias, mas tendo que encarar as consequências dos seus atos doa o que doer.
Isso é sintetizado, acima de tudo, pelo bom roteiro de Mike Makowsky. Ao invés de entregar tudo desde o princípio, o roteirista vai desconstruindo a nossa perspectiva com relação ao que acontece ao longo da trama. Ela, por sua vez, vai apresentando as faces de cada personagem, mas que logo são reveladas que são meras mascaras que vão caindo uma a uma na medida em que a trama avança. Mesmo não apresentando grandes momentos imprevisíveis, há também grandes surpresas, revelações e culminando em um saldo super positivo para quem for assistir.
Logicamente, principalmente para quem trabalha na área jornalista, o cinéfilo se identifica com alguns personagens que ficam do lado do bom senso, como no caso de Rachel (Geraldine Viswanathan), cujo o seu olhar incrédulo com relação aos fatos se torna a representação do nosso olhar perante as situações que ocorrem ao longo trama. Falando nisso, ficamos espantados pela forma que alguns personagens agem quando são pegos através dos seus golpes ilícitos. Destaco a personagem Pamela, interpretada brilhantemente pela atriz Allison Janney, vencedora do Oscar pelo filme "Eu Tonya" (2017) e que aqui rouba a cena toda vez que surge na tela.
Porém, o filme pertence mesmo a Hugh Jackman. Após dizer a Adeus ao personagem que o consagrou no cinema, o  Wolverine da franquia "X-Men", Jackman segue uma carreira com papeis mais pés no chão e que acabam explorando outras camadas do seu talento em cena.  Sua atuação como Frank  está sob medida, onde testemunhamos nuances necessárias ao seu personagem, tão controverso e que faz nós termos pena dele em alguns momentos, mesmo a gente torcendo para que ele pague pelos seus atos.
Embora novato na direção Cory Finley prova bons dotes para um bom futuro cineasta autoral. Como dito acima, o filme não entrega facilmente as reais intenções dos personagens principais, mas é graças ao modo do cineasta filmar que as cenas tem muito mais a dizer do que a gente possa imaginar. Destaco também a sua bela trilha sonora, cuja as notas colaboram para nos dizer que há algo de errado no ar.
É um filme pulsante, com boas sacadas do começo ao final de sua trama.  Por isso, podemos dizer que "Má Educação" é o melhor filme feito pela HBO deste ano, cuja a trama se passa em um passado não tão distante, mas está mais atual do que nunca nesses tempos de incertezas. 

Onde assistir: HBO.   

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: