Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de junho de 2015

Cine Especial: Desconstruindo Woody Allen: Parte 5



Nos dias 13 e 14 de Junho eu estarei na Cinemateca Capitólio de Porto Alegre participando do curso Desconstruindo Woody Allen, criado pelo Cine Um e ministrado pelo Doutor em Ciências da Informação e da Comunicação Josmar Reyes. Enquanto os dois dias da atividade não chegam, estarei postando por aqui sobre os filmes que eu assisti desse gênio e neurótico diretor de cinema.

 

Vicky Cristina Barcelona (2008)



Sinopse: Vicky (Rebecca Hall) e Cristina (Scarlett Johansson) são amigas e passam férias em Barcelona. Vicky está noiva e é sensata nas questões do amor. Cristina é pura emoção e movida a paixão. Durante uma exposição de arte, as duas se encantam pelo pintor Juan Antonio (Javier Bardem), que as convida mais tarde, durante um jantar, para uma viagem. O que elas não sabiam é que o galante sedutor mantém um relacionamento problemático com sua ex esposa Maria Elena (Penélope Cruz). E as coisas ainda ficam piores porque as duas, cada uma de sua forma, se interessam por ele, dando início a um complicado "quadrado" amoroso.


Vicky Cristina Barcelona definitivamente não se trata de uma típica comédia romântica hollywoodiana. O humor é feito para quem gosta de pensar, sem piadas prontas como estamos acostumados a ver no cinema. Woody Allen se utiliza do gênero cínico e debochado, sua marca registrada e os diálogos muito bem construídos deixam as imagens em segundo plano. Apesar do excesso de cenas com estereótipos da cultura espanhola, a brilhante atuação do elenco (com destaque a Penélope Cruz) e a fotografia, regada a tons pastel, fazem valer à pena a película.


 

Tudo Pode Dar Certo (2009)



sinopse: Boris Yellnikoff (Larry David) é um velho rabugento que tem o hábito de insultar seus alunos de xadrez. Ex-professor da Universidade de Columbia, ele considera ser o único capaz de compreender a insignificância das aspirações humanas e o caos do universo. Um dia, prestes a entrar em seu apartamento, Boris é abordado por Melodie St. Ann Celestine (Evan Rachel Wood), que lhe implora para entrar. Ele atende ao pedido, a contragosto. Percebendo sua fragilidade, Boris permite que ela fique no apartamento por alguns dias. Ela se instala e, com o passar do tempo, não aparenta ter planos de deixar o local. Até que um dia lhe diz que está interessada nele.


Para mim, esse é o filme ao estilo dos velhos e bons tempos de Wood Allen. Não que os outros filmes anteriormente dele sejam ruins, muito pelo contrario, mas o caso que eu estava com saudades do velho sujeito excêntrico e paranoico que tanto o ator e diretor gosta de retratar. Mas diferente do que muitos imaginam, aqui não é Wood Allen que atua, mas sim Larry David, mas faz alguma diferença?? Nenhuma! O ator simplesmente entrega o bom e velho tipo de personagem dos bons tempos dos filmes do diretor como Hannah e Suas Irmãs, com humor sofisticado, refinado e com alguns toques de humor negro.

O principal tema do filme é “o que tiver que ser será” e o Wood faz de uma forma magnífica e bem humorada, não só com o protagonista, mas também com o resto do elenco.

 

Você Vai Conhecer o Homem dos seus Sonhos (2010)



Sinopse: Alfie (Anthony Hopkins) é um homem de 70 anos que envolve com uma ex-prostituta muito mais nova do que ele após divorcia-se de Helea (Gemma Jones), com quem foi casado por 40 anos. Sally (Naomi Watts), filha co casal recém-divorciado, é casada com Roy (Josh Brolin). Roy é frustrado pelo fracasso da publicação do segundo livro, após o sucesso do primeiro. O medo da fama passageira tornou a convivência difícil e atrapalhou o sonho de Sally em ser mãe.


Alguns dizem que ele perdeu a mão nos seus recentes filmes, mas eu não vejo isso. Woody Allen sempre mostrou ter bom olho em mostrar na tela o lado neurótico do ser humano com relação à vida e suas difíceis escolhas com relação a relacionamentos por exemplo. Ao criar um retrato dos altos e baixos de um grupo de pessoas que são interligadas uma com a outra, o diretor cria um belo e divertido retrato sobre a difícil jornada do ser humano atual em administrar os relacionamentos afetivos atualmente e nem todos eles acabam sendo bem sucedidos. Com situações inusitadas e ao mesmo tempo humanas e divertidas, o filme é uma comédia romântica de primeira, mas diferente do convencional por fugir do típico final previsível e deixa mais questões em aberto do que se pode imaginar, o que pode causar até uma estranheza ou aborrecimento para alguns. Contudo, para os fãs fieis do diretor é uma ótima pedida.



Meia Noite em Paris (2011)



Sinopse: Gil (Owen Wilson) sempre idolatrou os grandes escritores americanos e sonhou ser como eles. A vida lhe levou a trabalhar como roteirista em Hollywood, o que fez com que fosse muito bem remunerado, mas que também lhe rendeu uma boa dose de frustração. Agora ele está prestes a ir a Paris ao lado de sua noiva, Inez (Rachel McAdams), e dos pais dela, John (Kurt Fuller) e Helen (Mimi Kennedy). John irá à cidade para fechar um grande negócio e não se preocupa nem um pouco em esconder sua desaprovação pelo futuro genro. Estar em Paris faz com que Gil volte a se questionar sobre os rumos de sua vida, desencadeando o velho sonho de se tornar um escritor reconhecido.

Leia a minha critica já publicada clicando aqui. 

 
Mais informações e inscrições para o curso você acessa clicando aqui.
 

 Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: