Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Cine Dica: Em Cartaz: Sangue Azul



Sinopse: O ator Daniel de Oliveira interpreta um nativo de Noronha que retorna para o arquipélago junto com o Circo Netuno, onde trabalha como homem-bala. Sangue azul mostra como a chegada dos artistas circenses altera o cotidiano dos ilhéus e mexe sobretudo com os desejos reprimidos.


A obra passa uma sensação sensorial tentadora que, tem deixado o cinéfilo surpreendido, com participações e premiações nos festivais de Berlim, Rio de Janeiro e Paulínia. As primeiras cenas do longa nos pegam desprevenidos, pois elas são  em preto e branco. Essa escolha se equipara aos protagonistas e paisagens que formam a trama como um todo.
Claro que seria previsível se aprofundar ao colorido da natureza já no princípio, mas o cineasta Lírio Ferreira (Baile Perfumado) opta por um caminho que dá de encontro com a originalidade e que leva aquele que assiste a movimentar o seu olhar para as cenas em movimentos e que ditam as regras da trama.  As cores somente irão pintar em cena depois que a lona do circo é armada e o espetáculo se tem início. A partir daí, com cenas impactantes, fisgadas pelo diretor de fotografia Mauro Pinheiro, Sangue azul torna um cenário perfeito ainda mais belo e honra o fato de ser o primeiro longa de ficção totalmente rodado em Noronha. 
Além da arte em movimento, representada no circo, afoxé, ciranda, frevo, na verborragia (representados pelos personagens interpretados por Paulo César Pereio e Ruy Guerra) e na própria 7ª arte, o amor e a luxuria (representada com altas doses de sexo) são as peças que se misturam nesse redemoinho marítimo. O romantismo sem freio é favorecido na história de amor entre o personagem de Daniel e a irmã dele, vivida pela atriz Carol Abras. O livre arbítrio sexual, em suas inúmeras camadas e interpretações, nascem entre os dois e ao mesmo tempo nos outros personagens que circulam em volta deles. Algumas cenas de sexo surgem sem aviso prévio, mas não por estarem simplesmente ali, mas sim para favorecer e reforçar o lado sedutor que o filme procura passar para aqueles que assistem.
Como um todo, Sangue Azul é belamente tentador em sua forma e cor. 



Me sigam no Facebook, twitter e Google+  

Nenhum comentário: