Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Cine Especial: QUADRINHOS NO CINEMA: UMA HISTÓRIA QUADRO A QUADRO: FINAL



                O OUTRO LADO DA PAGINA

Conhecido mais por apresentar super sagas de super heróis, as HQ também dão espaço para historias mais humanas, onde o cotidiano por vezes se torna mais interessante do que as tramas dos heróis encapuzados que salvam o dia. Não tardou para os produtores de cinema perceber esse outro lado das HQ e com isso surge cada vez mais adaptações que fogem daquele universo unidimensional tão conhecido. Abaixo segue bons exemplos que precisam serem vistos:   

 

(2001) Mundo Fantasma

Nesse filme independente dirigido por Terry Zwigoff, acompanhamos o relacionamento e o amadurecimento de duas amigas perante um mundo cheio de possibilidades, mas muito inquietante. Baseado na HQ de Daniel Clowes, o filme foi um dos primeiros que apresentou ao mundo Scarlet Johnson e a melhor interpretação de Steve Buscemi.


(2001) DO Inferno
Embora não chegue nem á 10% da violência explicita que foi mostrada na obra prima de Alan Moore, a adaptação dirigida por Allen Hughes (O Livro de Eli) passa a essência principal da obra e para mim pelo menos é um dos melhores filmes sobre o misterioso Jack O Estripador.


(2002) Estrada para Perdição


 Dirigido por Sam Mendes (Beleza Americana), o filme é baseado na HQ escrita Max Allan Collins e para alguns críticos da época, foi apontado como o melhor filme sobre a máfia desde O Poderoso Chefão. Vencedor do Oscar de melhor fotografia, o filme marcaria a despedida de Paul Newman na carreira de ator, cuja sua ultima cena marca o fim de uma ilustre carreira.   

(2003) Anti-Herói Americano

Numa bela mistura de ficção com documentário, o filme é uma adaptação da HQ sobre o personagem Harvey Pekar, que por sua vez é realmente uma pessoa real, cujo seu dia a dia passou para as paginas de HQ e que rapidamente se tornou um grande sucesso para aqueles que não somente buscavam super heróis nas paginas. O grande charme do filme fica nos momentos em que o ator que interpreta Pekar (Paul Giamatti) sai de cena e da lugar ao verdadeiro Pekar.



(2003) OLD BOY

Baseado num manga japonês, o filme coreano rodado Chan-wook Park, é na verdade o capitulo do meio de uma trilogia criada pelo diretor, cujo o tema principal é a vingança. O filme foi descoberto por Quentin Tarantino, que fez questão de apresentá-lo no festival de Cannes em 2003 no qual estava presidindo. Chan-wook Park acabou saindo com o prêmio de melhor direção e a obra se tornou cultuada no mundo todo, ao ponto do cinema Coreano ser redescoberto pelos cinéfilos.

(2005) Sin City
A obra máxima de Frank Miller foi adaptada para o cinema, graças à insistência de Robert Rodriguez (Balada do Pistoleiro) que é grande fã da HQ. O resultado final, é das melhores adaptações das HQ para o cinema, onde cada quadrinho foi levado para a tela grande com total fidelidade e prestando uma bela homenagem ao cinema Noir.


                               (2006) Marcas da Violência

O lado autoral de David Cronenberg (A Mosca) torna adaptação da obra de John Wagner muito mais prazerosa na tela grande, que é considerado por muitos como um dos melhores filmes da primeira década do século 21.



(2013) Azul É a Cor Mais Quente

Ano passado, pela primeira vez na historia, um filme baseado numa HQ ganha o prêmio máximo em Cannes, mas não é para menos. Baseado na obra Julie Maroh, o filme dirigido por Abdellatif Kechiche (O Segredo do Grão) é um dos filmes mais perfeccionistas dos últimos anos e o melhor que soube sintetizar a nossa juventude atual, com relação a duvidas e amores não correspondidos.
  Me sigam no Facebook, twitter e Google+

2 comentários:

LEO disse...

Assisti há poucas semanas o "Azul é a Cor + Quente".... e achei o melhor filme do ano até o momento (entre todos q vi):

é uma obra-prima sem tamanho mesmo: tem 3 horas de duração e a gente quer continuar vendo mais.

o DVD do filme tá com venda EXCLUSIVA pela Livraria Cultura... chegou semana passada na loja!

Abs!

Marcelo Castro Moraes disse...

Tanto a HQ como o livro serão lembrado nos próximos anos.