Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Cine Dica: Em DVD e Blu-Ray: Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro

O SISTEMA É FODA!!!!‎
sinopse: Wagner Moura retoma o personagem mais marcante de sua carreira o capitão Nascimento na seqüência de Tropa de Elite filme também dirigido por José Padilha ganhador do Urso de Ouro no Festival de Berlin 2008. Nascimento dez anos mais velho cresce na carreira: passa a ser comandante geral do BOPE e depois Sub Secretário de Inteligência. Em suas novas funções Nascimento faz o BOPE crescer e coloca o tráfico de drogas de joelhos sem perceber que ao fazê-lo está ajudando aos seus verdadeiros inimigos: os policiais e os políticos corruptos que submetem a segurança pública a interesses pessoais. Agora os inimigos de Nascimento são bem mais perigosos.
Nem vou me alongar sobre o primeiro filme, pois o que posso dizer sobre ele é que escancarou o que o povo brasileiro queria e quer justiça, não importa de que forma. O brasileiro está cansado de violência, de uma segurança falida, como esta rolando no Rio de Janeiro e ver o Capitão Nascimento usando métodos pouco ortodoxos para acabar com isso fez o povo brasileiro aflorar a sua vontade e o desejo de dizer que tudo o que ele fez está certo. Afinal, ele foi obrigado a fazer o que fez, pois não havia outra saída doa o que doer.
Passado alguns anos, Capitão Nascimento enfrenta agora outro inimigo e com isso José Padilha surpreende o público escancarando quem é o verdadeiro inimigo da história. Acredito que Padilha só não lançou seu filme um pouco antes porque estávamos vivendo uma época de eleição, mas se tivesse sido lançado durante as campanhas à coisa iria pegar fogo, pois o filme explora a realidade nua e crua sobre as milícias, onde os candidatos que, se dizem prontos para nos governar, têm seus dedos podres no meio e só com isso tudo já torna esse filme o mais corajoso do ano. Apesar de o início dizer que os fatos apresentados na trama são levemente inspirados em fatos reais, ali a pouca realidade já é terrível de se assistir, mas não podemos recuar.
Vagner Moura dessa vez tem mais espaço ainda para seu personagem ser desenvolvido e com isso o ator surpreende ao mostrar Nascimento cansado e meio arrependido com os seus atos do passado, principalmente perante o filho que tenta aflorar ali seu lado paternal que não quer perder. Contudo, de bobo não tem nada e Nascimento responde a altura para aqueles que quase o levaram ao inferno, Nascimento é o nosso Jack Bauer tupiniquim e vendo-o dando uma verdadeira surra em um político que se faz de esperto nos dá uma vontade grande de gritarmos um olé. Capitão Matias (André Ramiro) volta com o seu personagem do filme anterior só que com menos tempo na tela. Mesmo assim Ramiro cumpre bem o se desempenho principalmente em uma sequência de ação em uma perseguição em uma favela que termina de uma forma arrasadora e realista. Lembrando que essa sequência desde já é fantástica, bem dirigida por Padilha e orquestrada pelo montador Daniel Rezende (indicado ao Oscar por Cidade de Deus). 
Se analisarmos os dois filmes, em que cada um retrata um grau de criminalidade que possuem inúmeras fazes piores do que a outra. Portanto é de se esperar algo de muito maior se caso aconteça um Tropa de Elite 3, já que os minutos finais do filme são de uma ousadia inesperada e temos uma ideia do que pode (ou não) surgir em uma eventual sequência e as palavras finais de Nascimento com certeza serão ouvidas nos comentários das pessoas nas ruas. A verdade é dura, mas precisa ser ouvida, pois somos livres ou não??

Nenhum comentário: