Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Cine Especial: O Melhor de 2001 a 2010: DOGVILLE

O VERDADEIRO RETRATO DO HOMEM POR DE TRAZ DAS PAREDES 
Sinopse:Anos 30, Dogville, um lugarejo nas Montanhas Rochosas. Grace (Nicole Kidman), uma bela desconhecida, aparece no lugar ao tentar fugir de gângsters. Com o apoio de Tom Edison (Paul Bettany), o auto-designado porta-voz da pequena comunidade, Grace é escondida pela pequena cidade e, em troca, trabalhará para eles. Fica acertado que após duas semanas ocorrerá uma votação para decidir se ela fica. Após este "período de testes" Grace é aprovada por unanimidade, mas quando a procura por ela se intensifica os moradores exigem algo mais em troca do risco de escondê-la. É quando ela descobre de modo duro que nesta cidade a bondade é algo bem relativo, pois Dogville começa a mostrar seus dentes. No entanto Grace carrega um segredo, que pode ser muito perigoso para a cidade.
Pertencente ao movimento Dogma 95 (cinema mais realista e menos comercial) o diretor Lars Von Trier seguiu a risca esse movimento e criou um dos filmes mais simples visualmente e ao mesmo tempo complexo e cheio de conteúdo da ultima decada. Não existe cenário, toda a trama se passa em estúdio, em um grande palco onde a pouquíssimos cenários. As casas nos não vemos, somente os moveis e as paredes só existem devido a marca de giz no chão que marca o local, ou seja, o elenco precisou de imaginação em dobro para se acostumar com a falta de cenário e o espectador precisou comprar a idéia engenhosa que a primeira vista parece estranho mas se torna fascinante no decorrer do tempo. 
A intenção talvez do diretor fosse criar uma analise do comportamento humano com suas inúmeras camadas escondidas com mascaras ou paredes que escondem o verdadeiro horror da alma humana e com isso, pelo fato das paredes serem inviáveis aos nossos olhos, vemos o contraste de determinados personagens, dentro e fora de determinada residência. Nicole Kidman faz de sua personagem um símbolo do filme como um todo mas é o próprio filme que fala por si, exemplo raro do cinema ultima década que passou.

Curiosidades: Apesar de Dogville ser situado nos Estados Unidos, todas as filmagens ocorreram em estúdio na Suécia.
O orçamento de Dogville foi de US$ 9 milhões.
Trata-se do 1º filme de uma trilogia do diretor Lars Von Trier sobre os Estados Unidos. Os demais filmes são Manderlay (2005) e Washington (2007).

Nenhum comentário: