Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Cine Dicas: Em Cartaz: ENROLADOS

RAPUNZEL TRAZ DIGNIDADE A DISNEY NOVAMENTE 
sinopse: Adaptação da clássica história da Rapunzel princesa que vive presa numa torre e tem longos cabelos. Um atrapalhado ladrão entra acidentalmente na torre e decide ajudá-la a fugir de lá.
Para muitos, Enrolados é mais uma produção Disney que apresenta a mais nova princesa na área, Rapunzel, mas o filme é mais do que isso. Para começar, essa 50ª animação estúdio apresenta algo de novo no qual o estúdio demorou a acrescentar neste gênero de contos de fadas que é ação e humor na medida certa e é isso que o filme tem de melhor. A produção continua com seu estilo musical que muitos criticam, mas sinceramente gosto bastante e o filme possui inúmeros números musicais maravilhosos como o engraçadíssimo “Um Sonho Tenho Sim” mas as cenas de ação e humor pastelão cartunesco é o que da vida genuína a produção.
Com relação a dupla de protagonistas, eles são diferentes do que estamos acostumados ao assistir um conto de fadas Disney. Para começar, Rapunzel não é nenhuma princesa indefesa e inocente, ela tem claro sua ternura e doçura, mas é sonhadora, aventureira e sabe se defender bem com uma frigideira. Já Flynn é o típico ant-heroi que se importa somente consigo mesmo e se mete em varias enrascadas para se dar bem e pelo visual, o personagem é uma clara referencia ao ator Errol Flynn que se tornou famoso nos anos trinta ao atuar em filmes de aventura como Robin Hood.
Visualmente, o filme é de uma beleza sem tamanho com inúmeras cenas maravilhosas nas quais elas aumentam ainda mais sua grandiosidade graças ao 3D muito bem empregado na trama e um dos melhores momentos em que essa ferramenta da um show aos olhos é na parte do lançamento de balões iluminados ao céu, onde a tecnologia e o romantismo da trama se casam de uma maneira jamais vista até então.
Com produção de John Lasseter (criador de Toy Story) que agora comanda as rédeas das idéias criativas do estúdio, parece que agora finalmente a Disney se encontrou para o caminho do sucesso depois de muito tempo. Resta torcer que as aventuras de Rapunzel sirvam de exemplo para as próximas produções seguintes do estúdio.

Nota: Não posso deixar de comentar a polemica escolha de Luciano Hulk para dublar o personagem Flynn. Para começar, Hulk não é ator e muito menos dublador e com essa infeliz escolha do estúdio de dublagem daqui é que por pouco não arruína as melhores partes do filme. Mas eu sou um de muitos que criticaram essa escolha errônea e por causa disso isso não passou batido. Contudo que isso sirva de exemplo para não brincar com a inteligência do espectador, eles sabem muito bem o que estão escutando na tela. Estamos de olho e ouvindo.

2 comentários:

Déia Nogueira disse...

ahhhhhh, eu vou assistir *___*

ja te sigo,

dá uma olhadinha no meu blog

http://eu-moda.blogspot.com/

:-)

ANTONIO NAHUD disse...

Marcelo, o blog está muito bom. Vou linká-lo. Gosto muito de CIDADE DOS SONHOS, embora não o considere o melhor filme da década. E a lista dos 10 mais está bastante lúcida.
Abração
Apareça. Aguardo comentários no meu blog.

Antonio Nahud Júnior
www.ofalcaomaltes.blogspot.com