Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Cine Dicas: Lançamentos em DVD (19/01/11)

Em um ano que passou, em  que o cinema americano só decepcionou, bons títulos de outros países é o que não faltaram. Com isso deixo abaixo três dicas de países diferentes.

BAARÌA - A PORTA DO VENTO
Sinopse: Escrito e dirigido por Giuseppe Tornatore, Baarìa - A Porta do Vento é um filme autobiográfico, uma saga épica sobre a vida e a morte, amor e ódio, que acompanha 40 anos de história em uma vibrante cidade siciliana durante a primeira metade do século 20. O filme segue a vida de Peppino Torrenuova, desde sua infância como um filho problemático na década de 30, passando pela Segunda Guerra Mundial e o autoritário regime fascista, até seu romance proibido e casamento com a bela Mannina, que culmina em uma tumultuada vida política ao ingressar no Partido Comunista Italiano. Uma jornada cheia de emoção, nostalgia, alegrias e tragédias em um mundo tão distante do nosso, porém tão próximo.
Superprodução Italiana do diretor Giuseppe Tomatore (Cinema Paradiso) que soube muito bem narrar a saga do protagonista Peppino, sua família e a cidade de Baaría. Usando ficção misturados com momentos históricos da historia e política da época, o filme é de uma beleza plástica fantástica em que a fotografia e edição de arte se casam muito bem e se a longa  projeção do filme assusta para os desavisados, o diretor soube muito bem dosar inúmeros momentos de humor no qual torna a trama rápida e por alguns momentos bem divertida, mesmo em momentos mais sérios.
Destaco a trilha sonora de Ennio Morricone que rouba a cena em muitos momentos, principalmente no ato final e que deixa o espectador com os últimos minutos de projeção em sua mente.


O Guerreiro Silencioso
Sinopse: 1000 AC. Durante anos, um guerreiro mudo de força sobrenatural, foi mantido prisioneiro. Ajudado por um menino, ele mata seu opressor e junto fogem, iniciando uma viagem ao coração das trevas. Durante a fuga, quando estão a bordo de um navio Viking, mas o navio é logo engolido por um interminável nevoeiro que o leva a uma terra desconhecida. Este novo mundo revela os seus segredos e os Vikings confrontam um destino terrivel e sangrento. É neste Mundo que o Guerreiro Silencioso irá descobrir quem na vedade ele é.
Apesar de curto (1h30min) o filme pode parecer um pouco mais longo para os desavisados, principalmente para aqueles que esperam um filme de aventura épica, mas quem espera isso acabou caindo do cavalo. O filme é uma espécie de pequeno retrato da transição quando o mundo começou largar a teoria sobre Deuses para abraçar totalmente o Cristianismo e com isso, mostra a loucura do homem em si em busca do paraíso em uma crusada cujo o caminho é  sem volta. Dividido em capitulos, o protagonista dessa jornada misteriosa é um guerreiro violento e misterioso, interpretado com intensidade pelo ator Mads Mikkelsen (007 - Cassino Royale) em que, mesmo não falando nada, transmite tudo o que esta sentindo. Curiosamente o filme me lembrou elementos de outros filmes como Apocalypse Now e Aguirre-A Colera dos Deuses, mas o filme fala por si com belas imagens que sobressai a historia, embora o publico em geral dificilmente ira compreender o seus significados.

Um Doce Olhar
Sinopse: Yusuf (Bora Altas) é uma criança que mora com os pais numa isolada área montanhosa. Para ele, a região de floresta torna-se um verdadeiro mistério e aventura a partir do momento em que ele acompanha o pai em um dia de trabalho. O filme acompanha sua incrível jornada pela busca de algum sentido a sua vida.
Esse curioso filme Turco ganhou o premio de melhor filme no ultimo festival de Berlim. O projeto é o terceiro de uma trilogia, que foi feita em ordem cronológica inversa. Cada um dos filmes foi exibido em um grande festival europeu. Yumurta (Ovo) estreou em Cannes em 2007. Süt (Leite) teve sessões em Veneza, em 2008. E BAl (titulo original do filme) acabou ganhando o Urso de Ouro. O filme é mais simples possível, sem trilha sonora e poucos truques de câmera, o objetivo é somente mostrar o dia a dia apartir da visão do garoto Yusuf (Borá Altas) que com certeza acabou conquistando o júri do festival pois ele conquista o publico por sua simpatia e inocência que transmite e os melhores momentos do filme são quando ele segue seu pai com um olhar de orgulho e curiosidade. Resta saber se a distribuidora ira trazer as duas outras partes da trilogia. 

Um comentário:

ANTONIO NAHUD disse...

Fiquei interessado no filme de Tornatore. Vou assisti-lo.
Abração

www.ofalcaomaltes.blogspot.com