Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio e Diretor de Comunicação e Informática do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 99 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de março de 2011

Cine Dica: Em DVD: SENNA

EM UM TEMPO QUE TINHAMOS SABOR DE LEVANTARMOS MAIS CEDO NO DOMINGO

Sinopse: O filme contará a história da lenda do automobilismo a partir se sua família, empresários que trabalharam com ele em sua carreira na Fórmula 1 e terá detalhes sobre o Instituto Ayrton Senna; fundado após a morte do piloto, em 1º de maio de 1994, o instituto ajuda crianças carentes.
Neste ano, Senna completaria 50 anos. O piloto, tricampeão mundial (1988, 1990 e 1991), morreu em um acidente na curva Tamborello, no GP de Ímola, na Itália, em 1994.

Talvez a primeira vez que senti o gosto amargo da morte foi quando o piloto de formula 1 Ayrton Senna morreu no dia 1º de Maio de 1994. Foi um dia sem nuvens, mas cinzento e triste para muitos brasileiros naquele dia e para o resto do mundo que curtia o automobilismo.
Atualmente a formula 1 é apenas uma imagem pálida do que foi um dia. Sua época de ouro em que os pilotos realmente disputavam palmo a palmo cada corrida de uma maneira grandiosa, principalmente nos combates entre Senna e Prost, talvez os melhores momentos de toda historia da categoria. Isso e muito mais é mostrado no ótimo documentário dirigido por Asif Kapadia em que, pela primeira vez, mostra os bastidores da categoria daquele tempo, o dia a dia de Ayrton e o seu combate contra política intolerante da FIA que na época era comandada pelo arrogante Jean-Marie Balestre que não escondia que era muito camarada de Prost, tanto que deu o titulo ao piloto de bandeja em uma corrida que Senna havia feito magia e ganhado, mas Balestre mexeu então ali e aqui e cometeu uma das maiores sacanagens da historia da formula 1.
O documentário não tem a intenção de mostrar Senna como alguém infalível e sim apenas um ser humano que queria de todas as formas desafiar seus próprios limites, mesmo diante de inúmeras dificuldades nas quais chegou a um ponto que era difícil de ignorar, principalmente na véspera de sua morte onde quase desistiu de correr, depois de muitos acidentes durantes os treinos e da morte de um piloto, mesmo assim ele foi lá.
Assistindo Senna se preparando para sua ultima corrida e nos daqui assistindo e sabendo o que ira acontecer em seguida é de uma emoção muito grande na qual faz voltar a sentir aquele gosto amargo da perda de alguém querido. É um filme para, não somente para aqueles que são amantes de uma época de ouro da formula 1, mas de uma época que sempre levantamos mais cedo num domingo e torcíamos ao maximo para alguém que fazia o impossível.

Nenhum comentário: