Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de junho de 2020

Cine Especial: 'Perfect Blue' - Uma Fonte de Inspiração

Sinopse: Mima Kirigoe é membro de uma banda de música pop japonesa (j-pop), chamada "CHAM!", que decide deixar a banda para se dedicar à carreira de atriz. Alguns fãs ficam descontentes com a repentina mudança de carreira, pois Mima, sendo um ídolo pop, é vista como uma menina inocente e angelical. 
Alguns ótimos filmes acabam se tornando uma forte fonte de influência para elaboração de outros ótimos filmes que vieram a nascer mais adiante. O clássico longa de animação japonesa "O Fantasma do Futuro" (1995), por exemplo, serviu como uma verdadeira fonte de ideias para que as irmãs  Wachowski criassem alguns anos depois "Matrix" (1999). "Perfect Blue" (1997) segue esse meu raciocínio, pois ao assisti-lo se percebe que o filme serviu de base para a realização de, ao menos, dois ótimos filmes do diretor Darren Aronofsky.
Dirigido por  Satoshi Kon, do filme "Paprika" (2008), o filme conta a história de Mima Kirigoe, uma cantora pop de uma banda CHAM!, mas decide se tornar uma atriz, tendo como primeiro projeto uma série de crime dramática. Muitos de seus fãs ficam chateados com sua decisão e uns deles, obcecado por Mima, começa a persegui-la e a enviar mensagens a chamando de traidora. Decidida a ignorar tais fatos, ela se preocupa com sua personagem na série que sofrerá um sequestro em um dos episódios. Sem ter noção da possibilidade de ser afetada pela cena, Mima fica traumatizada e começa a não saber distinguir a realidade da ficção. Seu problema maior começa quando seus colegas de trabalho são assassinados e as provas apontam para ela mesma.
Tendo criado um universo rico de detalhes em seu filme "Paprika", o diretor Satoshi Kon novamente nos surpreende com o seu traço simples, mas cheio de detalhes em diversas cenas e que servem até mesmo de pistas sobre o que irá acontecer mais pra frente no decorrer da trama. Embora seja uma animação japonesa o filme não é para todos, já que ele transita para momentos de suspense psicológico, cenas fortes de violência e das quais deixaram muitas pessoas chocadas. Ao mesmo tempo, o filme é uma dura crítica sobre a máquina do sistema que faz celebridades instantâneas, mas que nunca se pergunta se a mesma realmente desejava essa vida.
Como dito acima, o filme serviu de forte inspiração para que Darren Aronofsky criasse seus filmes como, por exemplo, "Réquiem para um Sonho" (2000) e, principalmente, "Cisne Negro" (2009). Aliás, a situação de Mima é extremamente semelhante com a situação da personagem de Natalie Portman, já que ambas começam a ter crises de identidade, mania de perseguição e fazendo elas duvidarem de suas próprias realidades. Se alguns achavam que "Cisne Negro" lembrava o clássico "A Repulsa do Sexo" (1965) é porque não conhecia a real paixão de  Darren Aronofsky.
Além disso, o filme é um verdadeiro quebra cabeça, sendo rico em diversas situações que nos faz perguntar quando é real e quando é fantasia da protagonista. Em alguns casos, por exemplo, temos a sensação de estarmos assistindo a um filme dentro de um filme, já que a personagem deseja se tornar uma atriz, mas não separando para nós quando está sendo ela mesma ou a sua personagem. Por essa observação, não me surpreenderia se o filme tivesse também servido de fonte de inspiração ao realizador David Lynch ao criar o seu filme "Império dos Sonhos" (2006).
Com diversos momentos de pura tensão, o filme nos prende na cadeira e fazendo com que aflição da protagonista se torne a nossa. Em sua reta final, o filme pode até entregar algumas respostas, mas fazendo levantar inúmeras outras perguntas e fazendo com que tenhamos o desejo de revisita-lo novamente. "Perfect  Blue" é uma viagem extra-sensorial cinematográfica, a frente de sua época e sendo até hoje uma forte fonte de inspiração. 

Onde assistir: Youtube. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: