Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Cine Especial: O QUE ACONTECEU COM M. Night Shyamalan?

Muitas pessoas acham que o diretor não fez mais nada de bom desde O Sexto Sentido mas será que é isso mesmo? Pensando nisso, estou dando uma analisada de cada filme que o diretor fez, portanto me acompanhem.

A VILA  
Sinopse: O filme se passa na zona rural da Pensilvânia em 1887, e conta a história de um pequeno vilarejo de Covington, com a pequena população de 60 pessoas, rodeada por uma floresta onde acredita-se haver critaturas míticas habitando o lugar. A história ainda conta o romance de Kitty, a filha do líder do vilarejo e de Lucius, um jovem rapaz.
Os dirigentes da cidade possuem uma política de restrição bem forte: todos são proibidos de adentrar a floresta, ou seja, todos os habitantes da vila viveram toda a sua existência isolados do restante do mundo, já que ninguém do exterior pode entrar lá também. Há um monte de postos de vigia, que servem tanto para afugentar as criaturas como para se certificarem de que ninguém tente fugir da vila.
Entretanto, o vilarejo começa a ser ameaçado quando Lucius começa a questionar sobre o confinamento completo das pessoas de lá.

Se em Sinais, (seu filme anterior), havia sido um tanto que afetado pelos atentados do 11 de setembro, esse filme é o mais puro reflexo desse mundo após esse dia fatídico. O diretor explora o isolamento e a rigidez de um grupo de pessoas que se isolaram do mundo e que convivem com o medo perante certas criaturas místicas que vivem na floresta, contudo, nem tudo é o que parece.
Assim como nos filmes anteriores, a trama mais sugere do que mostra, mas quando mostra, mesmo que rapidamente as criaturas, é um pulo na cadeira, talvez o melhor filme de momentos de suspense que o diretor criou desde o Sexto Sentido, pois a seqüência da primeira aparição das criaturas é de uma tensão angustiante. Contudo o diretor foi um tanto que pretensioso neste filme, pois o tão falado final inesperado de todos os seus filmes, dessa vez foram dois, só que infelizmente a primeira grande revelação foi revelada precipitadamente no momento errado e mesmo assim, o diretor ainda tenta nos convencer com algo no qual a verdade já foi esclarecida e só vendo para entender do que eu estou falando. E a segunda revelação, essa sim, foi muito bem feita e pegou muitas pessoas de surpresa e faz um verdadeiro reflexo da paranóia que os norte americanos ficaram após os atentados de 2001.
Com um super elenco que inclui Joaquin Phoenix, William Hurt; Sigourney Weaver e Adrien Brody, todos ótimos em seus papeis mas é Bryce Dallas Howard que rouba a cena interpretando a jovem cega, após esse filme sua carreira decolou atuando em filmes como A Dama Da Água, Homem Aranha 3 e Eclipse.


curiosidades:  O diretor e roteirista M. Night Shyamalan declarou que se inspirou em O Morro dos Ventos Uivantes, para criar a parte dramática de A Vila, e em King Kong, no sentido de ter uma comunidade com medo de criaturas predatórias;
Bryce Dallas Howard foi escalada no lugar de Kirsten Dunst sem nem ao menos realizar um teste de cena.

Nenhum comentário: