Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Cine Dica: Em DVD: Direito de Amar

sinopse:George (Colin Firth) é um professor de inglês, que repentinamente perde seu companheiro de 16 anos. Sentindo-se perdido e sem conseguir levar adiante sua vida, ele resolve se matar. Para tanto passa a planejar cada passo do suicídio, mas neste processo alguns pequenos momentos lhe mostram que a vida ainda pode valer a pena.

De um estilista, para um diretor de cinema, Tom Ford começou com o pé direito na indústria de cinema ao criar um drama sobre perdas irreparáveis nas quais um ser humano comum tenta, mas não consegue superar a dor da perda. O filme é visualmente belo com fotografia e edição de arte primorosa ao retratar os anos 60 onde se passa a trama, mas o filme não seria nada se não tivesse um elenco de primeira linha e isso o filme tem e muito, mas basta a interpretação de Colin Firth para o filme ganhar o espectador. Mais lembrado em comédias como o O Diário de Bridget, Colin passa toda a dor insuportavel que sente pela perda do companheiro, tanto que tenta por vezes se matar (cena alias triste e ao mesmo tempo engraçada) mas que em meio a essas tentativas sempre ocorre algo para adiar o ato, como o encontro com determinados personagens como sua ex esposa e atual grande amiga Charley (Julianne Moore fantástica como sempre) ou então com o aluno de faculdade (Nicholas Hoult cada vez mais com cara de Tom Cruise).
Um filme para poucos, mais para aqueles com mente aberta e encara o filme não como um filme gay, mas sim como mais um belo romance de fins trágicos.

Curiosidades: Don Bachardy, companheiro de longa data de Christopher Isherwood, autor do livro o qual Direito de Amar é baseado, participa em uma ponta no filme.
Ao ser contactado Colin Firth não pôde aceitar o papel, devido a conflitos de agenda. Entretanto o filme sofreu um atraso nas filmagens, o que permitiu a participação do ator;

Nenhum comentário: