Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 68 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 10 de março de 2017

Cine Especial: Ettore Scola: Um Cineasta Muito Especial: FINAL



Nos dias 11 e 12 de março eu estarei participando do curso de cinema Ettore Scola: Um Cineasta Muito Especial, criado pelo Cine Um e ministrado pela pesquisadora e professora nas áreas de Análise, Teoria, Crítica e História do Cinema Fatimarlei Lunardelli. Enquanto os dias da atividade não chegam, por aqui eu irei falar um pouco desse cineasta que, através dos seus filmes, soube prestar homenagem ao melhor da história do cinema Italiano e do seu próprio país. 

 

O Baile (1983)



Sinopse: Um filme que mostra as transformações sociais e culturais na França dos anos 1930 à 1980 em um único salão de baile, onde pessoas se encontram e se relacionam.
Personagens que dançam e que, dançando, fazem uma retrospectiva dos principais fatos que têm início nos anos 30 e termina no fim do Baile nos anos 80. Os períodos são destacados por fotos em preto e branco. Nenhuma palavra é dita, toda a leitura é efetuada pela movimentação corporal dos atores. O diálogo corporal é completamente tocante, não há como não se emocionar, sentir profundamente com a narrativa genial do Baile.
Os períodos históricos vão se desenrolando ao som das músicas e nos movimentos da dança. O cenário não muda, é o salão amplo e bem iluminado onde toda a história se desenrola ao som de diversos ritmos. Conhecemos então a história da França nos anos 30; a ascensão da classe trabalhadora; a ocupação nazista durante a 2a. Guerra Mundial; a libertação da França pelas forças aliadas; a musicalidade de Glenn Muller; a chegada do Rock n'roll; o movimento estudantil; o brilho estonteante dos anos 70.
É um filme para se assistir inúmeras vezes, pela riqueza de detalhes e pelas sutilezas que desfilam por toda a narrativa.


  A Família (1987)



Sinopse: Carlo, um intelectual, narra a história de sua família de 1906 a 1986. Ele teve um relacionamento controverso com duas mulheres, as irmãs Adriana e Beatrice. Ele se casa com a segunda, embora seja apaixonado pela primeira. A história vai do batismo de Carlo até seus 80 anos, quando ele, professor universitário, se aposenta.
Difícil não se maravilhar com esse filme. O filme A Família prega pela delicadeza em diversas maneiras. Nas suas cenas, com movimentos de câmera pensados e nos seus planos subjetivos, como quando Beatrice toma o seu chá, paparicando com Carlo, e quando sua irmã, Adriana, faz o mesmo, dessa vez em uma roda de dança.
É delicado, também, nas transformações físicas e psicológicas de seus personagens. São passagens de tempo que fazem ratificar que a vida é assim mesmo, passa que a gente nem sente. E os personagens, são naturais, banais, tal como nós. E estão sujeitos a encontros e desencontros, erros e acertos, certeza e dúvidas.


Inscrições para atividade cliquem aqui.

Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: